Ancoradouro

Protestantes, Mercadores e Milagreiros

O protestantes de modo recorrente implicam com as imagens das quais se servem os católicos para alimentar sua fé, expressar sua gratidão a Deus e procurar um seguimento a Deus como o fizeram os santos. No entanto, cresce  nestas milhares de denominações a venda de instrumentos inanimados associados à  bênção divina.

Por um lado apresentam anacronicamente a Igreja católica como aquela que vendia indulgências no período medieval  e cometem erros ainda mais crassos ao comercializarem com os fieis objetos inanimados com0 portadores da bênção divina. Outros tipos de unções absurdas são apresentadas ao público como divinas. Selecionei alguns vídeos que demonstram as aberrações. Confira.

Na Igreja Mundial o pastor Valdemiro (dissidente da Universal) vende as chavinhas da prosperidade. Acompanhe o vídeo.

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=aHHKe2mY6YI&feature=related[/youtube]

E que tal adquirir água abençoada pelo apóstolo, sim apóstolo Valdemiro? O pastor disse que basta uma gota. Na igreja Católica a água benta vendida é um cirme, chamado de simonia. Entre os protestantes não tem isso.

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=IdSJMV9G7m8&feature=related[/youtube]

Caso o fiel seja uma pessoa interdenominacional poderá comprar na universal uma pulseira com portador de água abençoada. Uma invenção engenhosa do departamento de marketing da Igreja. Acompanhe o vídeo:

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=arFsikcgDx4[/youtube]

Reverendo João Batista convida fieis a levarem garrafada de água para despacho. Pensei que estivesse assistindo a um vídeo ligado a alguma expressão ubandista ou espírita, mas não, é evangélica, mesmo. Nesta gravação você vai conhecer também o coração do amor e ouvir as palavras humildes do reverendo ao afirmar que sua oração atinge o sétimo céu. Inacreditável!

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=D4sMJbK5-cY&feature=related[/youtube]

O mesmo reverendo apresenta o cimento da casa e do ‘negócio’  próprio do qual se orgulha a ser o único monistro evangélico a distribuir. Assista ao vídeo.

 [youtube]http://www.youtube.com/watch?v=0hcW4HbSBx0&feature=related[/youtube]

Mirabolante, as invenções das denominações para atrair pessoas para seus bancos, afinal, quanto mais pessoas, maior é a possibilidade de aumentar a arrecadação. As promessas são as mais fantásticas. O ministro evangélico do vídeo abaixo faz unção especial em telefone celular. Acompanhe.

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=ws4mAjlHlJ4&feature=related[/youtube]

 Agora se você é do tipo que gosta de tudo legalizado, posto em contrato, não tem problema. A Universal pensou em você e criou o Contrato da Fé. No vídeo o pastor explica como funciona, frisa, inclusive que se trata de um contrato autenticado. (As legendas do vídeo não de responsabilidade do autor do blog. Imagem plugada da internet).

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=EFn1rLAIBPw&feature=related[/youtube]

 Você já ouviu falar da lipoaspiração espiritual? O recurso foi descoberto e está sendo utilizado por denominações evangélicas. As pessoas diminuem de peso à medida da fé. O pastor no vídeo abaixo explica  melhor, confira.

 [youtube]http://www.youtube.com/watch?v=-IzSjyYon1Y&feature=related[/youtube]

Pator diz ter a unção de transformar metal em ouro e prata. Ele grita, no vídeo abaixo, que é a unção de Deus presente na Igreja. Para mim é um dos vídeos mais impressionantes.

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=L3vuUzlBtTY&feature=related[/youtube]

Para as crianças não pderia a unção. O pastor Valdemiro distribui balas abençadas (aqui não se trata das balas apreendidas em poder de pastores da Igreja, junto com Rifles) e unge uma fronha milagreira. Confira o último vídeo desta série.

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=wwjoCse8u2g&feature=related[/youtube]

Lamento por uma multidão se deixar enganar por homens que se dizem falar em nome de Deus. Em um país marcado pelo sofrimento e dificuldades econômicas  surgem líderes religiosos com promessas de enriquecimento fácil e soluções milagreiras para situações adversas.

Muitos dos frequentadores destas denominações mercantilistas  percorrem o mesmo caminho. Saem da igreja católica, saltam de uma denominação a outra a busca do milagre e ao se cansarem, pois correm através de uma ilusão, afastam-se do verdaeiro Deus, perdem a fé, enfraquecem na esperança e se filiam aos ditos ateus ou dos que se dizem acreditarem em Deus, mas não querem saber de igreja.

Abra seus olhos e cuide para não ser enganado. Caso tenha algum vídeo que julgue interessante publicar no blog sobre o assunto, o encaminhe para vanderluciosz@gmail.com

Nenhum comentário

  • Daniel disse:

    é brincadeira! E ainda tem gente que acredita… essas “igrejas” realmente brincam com as coisas de Deus!

  • catrina disse:

    É imoral,é horrendo.Devem haver leis para coibir esse tipo de coisa…o alvo preferido deles são pessoas inocentes,que tem pouco estudo,que estão doentes,depressivas,desesperadas e por isso se deixam ludibriar.

  • Boni (O aniquilador de ídolos) disse:

    Assim como há muitos pilantras evangélicos,
    também tem muita gente por aí que diz tirar almas do purgatório por valores bem simbólicos.

    Veja aparecida do norte por exemplo.Quanto dinheiro não circula ali ?

  • Paulo César disse:

    Caro Vanderlucio,

    Intriga-me vê-lo apresentar-se como “missionário”, frequentador de seminários, homem de oração e outras coisas mais, quando, na verdade, com seu blog, incita os católicos contra os protestantes. Meu amigo, você pela maneira que dissemina o ódio entre religiosos, deve nunca ter tido um encontro verdadeiro com Cristo como você afirma, pois como a maioria dos evangélicos, os quais você tanto critica aqui, prefere defender a hipócrita organização religiosa a qual pertence do que proclamar o evangelho do Senhor Jesus. Irmão, deixa de idiotice, o clero católico quer que você se F…!! Eles, assim como muitos pastores (esses de seu post são um exemplo), estão interessados somente em explorar as pobres almas. Se você conhecesse a verdade, a mesma teria te libertado. E me admira um jornal como OPOVO te dar um espaço para afrontar a garantia constitucional da laicidade do Estado brasileiro. É lamantável ver pessoas como você, que pelo que transparece em suas postagens, estarem preocupadas em defender religião e incitar o ódio religioso, quando Cristo não fundou nenhuma religião. Ele defendeu a amor ao próximo, a exclusiva adoração ao Deus verdadeiro (e abominou a idolatria e o fanatismo dos fariseus). Me prove que Jesus fundou a igreja católica, bem como esta é a representante de Deus na terra, atráves do Papa, que eu me entregarei de corpo e alma a religiosidade hipócrita da sua religião. Deus quer de nós união, amor ao próximo, e não contendas idiotas de religiosidade. Chega de discursos inflamados de protestantes contra católicos e vice-versa. Use seu espaço para falar àqueles que não conhecem o Cristo Salvador e deixe de meninice e cresça, tanto mentalmente como espiritualmente. Afinal, você diz que este espaço é obra de Deus para você falar da verdade e só fala baboseiras espalha contendas, então não não é verdade que vem de Deus. É graças a pessoas como você que outras não querem mais saber de Deus, pois só veêm ódio entre os que se auto-proclamam CRISTÃOS. Deus vai te cobrar isso. Se quiser manter contato, meu e-mail está registrado no blog. Aguardo resposta.

  • Daniel disse:

    Caro Paulo Cesar, salve Maria “Mãe do meu Senhor”,

    Você reclama que a Igreja Católica Apostólica Romana seja a igreja universal fundada por Jesus Cristo…

    Desafio a você me mostrar uma citação da Bíblia provando que só a Bíblia é a única fonte da doutrina de Deus.

    E além disso, o canôn do Novo Testamento, quem foi que definiu? Eu te respondo: Foi um concílio ecumênico da Igreja Católica. Portanto, a veracidade e o conjunto de livros do Novo Testamento, aceito pelos protestantes, foram “regulamentados em concílios reservados dos fiéis”.

    Talvez a Igreja Universal para você seja aquela que “pede mais cedo”, e que dá descarrego em seus fiéis, com raminho de arruda e tudo o mais, ou eu estaria enganado?

    Ou a Igreja Universal, seria aquela fundada por Lutero, um “heroi da fé” protestante, que disse: “Tenha fé e peque muitas vezes”. e que afirmou que Nosso Senhor fornicou por três vezes?

    E qual das milhares e milhares igrejas protestantes é a tal “Igreja Universal”. Ou quais pertencem à ela? Cuidado com a escolha, porque a maioria delas são discordantes entre sí. Umas dizem que crianças podem ser batizadas, outras não. Umas dizem até que Nosso Senhor Jesus Cristo não é Deus!

    E como bem disse São Pedro, condenando o livre exame da Bíblia, e dessa forma também aos protestantes “Antes de tudo, sabei que nenhuma profecia da Escritura é de interpretação pessoal.” (II Pedro 1: 20)

    E São Pedro, o primeiro papa, ainda fala, e que cabe bem aos protestantes: “Assim como houve entre o povo falsos profetas, assim também haverá entre vós falsos doutores que introduzirão disfarçadamente seitas perniciosas. Eles, renegando assim o Senhor que os resgatou, atrairão sobre si uma ruína repentina. Muitos os seguirão nas suas desordens e serão deste modo a causa de o caminho da verdade ser caluniado.” (II Pedro, 2:1-2).

    E como nenhuma profecia da Escritura é de interpretação pessoal, Jesus deixou seus apóstolos, que nomearam bispos e presbíteros para pregar o evangelho e interpretar corretamente as escrituras. Ou seja, ele fundou a Sua Igreja. Uma igreja fundada por Deus, e não por homens.

    Que Igreja era esta? A Católica Apostólica Romana, e não aquelas fundadas por homens, muito menos aquelas que “pedem mais cedo”.

  • Paulo César disse:

    Sr. Daniel,

    Parece-me que você é mais um fanático que não entendeu a essência do cristianismo, como muitos católicos e protestantes. Quero lhe assegurar que não defendo igreja “A” ou “B”, mas a pureza do Evangelho de Cristo.

    A igreja universal realmente é uma fábrica de dinheiro, a qual usa da Palavra de Deus para explorar seus fiéis, nisso você e outros que assim afirmam tem toda razão. Mas diante disso, lembro-me das palavras inspiradas do pregador no livro de Eclesiastes 1:9,10:

    “O que foi, isso é o que há de ser,e o que se fez, isso se tronará a fazer; nada há de novo debaixo do sol. Há alguma coisa que se possa dizer: Vê, isto é novo? Já foi nos séculos passados, que foram antes de nós.”

    O que a IURD faz nos nossos dias, nada mais é do que a velha prática ambiciosa da igreja romana, a qual, em tempos passados, vendiam indulgências, praticavam o terror psicológico usando as escrituras, exigiam dinheiro dos fiéis,etc. Só não podem, hoje, imitar o catolicismo no que tange a “SANTA” inquisição, afinal, hoje temos os direitos universais do homem (graças à Deus!!).

    Quanto a Lutero, V.Sª. se engana ao afirmá-lo como “héroi da fé” protestante. O verdadeiro fundador do protestantismo foi JHON HUS (pesquise), um padre que não aceitava as mentiras e abominações da igreja romana e decidiu ensinar a Palavra de Deus de forma genuína aos seus fiéis, sendo, por isso(pasmem!), queimado vivo pelo clero romano.

    Você cita II Pedro 1:20, mas como se justifica a igreja de roma PRIVATIZAR a interpretação das Escrituras Sagradas? Afinal, o texto por você citado fala justamente disso?!

    Aproveitando a sua citação de II Pedro 2:1,2, quero lhe fazer o último questionamento:
    Quando Pedro fala “os quais introduzirão encobertamente heresias destruidoras,negando até o Senhor que os resgatou…”, como você explica a doutrina católica que afirma ter a missa realizada por um pecador(padre),o mesmo valor do verdadeiro sacrifício da Cruz?! Se assim for, Cristo morreu debalde?!

    Daniel, a Igreja de Jesus Cristo não está neste mundo, ele é espiritual. Não há religião, visto que o Senhor jamais tocou neste assunto, pelo contrário, recriminou a religiosidade dos fariseus. Deus quer que sejamos fiéis a ele, obidientes até o final. Deixe de lado esse ódio religioso, pois ele só te levará a perdição eterna. Ame seu próximo e a Deus acima de todas as coisas, esse é o mandamento do nosso grande Mestre. Já que você citou tanto II Pedro, leia o capítulo 3, versículos 15,17,18.

    Não quero criar contendas, nem com você, nem com qualquer seguidor de “religião” alguma, pelo contrário, se quiser manter contato, fique à vontade. Que Deus te ilumine e abra seus olhos. Fique na paz do Senhor Jesus, o único Senhor e Salvador.

  • Daniel disse:

    Caro Paulo César, salve Maria “Mãe do meu Senhor”,

    inicio essa simples colocação colocando em evidência sua afirmação: “Quero lhe assegurar que não defendo igreja…”, me sinto obrigado a fazer uma correção! Não somos nós que defendemos igrejas, pois existe somente uma única Igreja, que é a Igreja fundada por Cristo e continuada por seus apóstolos.

    Nosso Senhor disse aos apóstolos: “Quem vos ouve, a mim ouve, e o que vos despreza a Mim despreza” (Luc 10, 16).

    E disse a Pedro: “Apascenta as minhas ovelhas” (Jo 21, 15-18).

    E declarou que a Pedro daria as chaves do Reino dos Céus. Quem não aceita Pedro, e quem não ouve os apóstolos despreza o próprio Cristo, coisa que o ladrão arrependido não fez. O bom ladrão confessou que Cristo era o Senhor, dizendo:”Senhor, lembra-te de mim, quando entrares em teu Reino” (Luc 23I, 42); Ele se salvou confessando a Deus, e foi batizado por seu sangue.

    E no juízo final Cristo julgará os homens pela Fé e pela observância da lei de Deus, da qual “nem um só jota será tirado” (Mt 5, 18). E no juízo ele dirá “não vos conheço” para aqueles que não alimentaram a lâmpada da fé com as boas obras. Por isso lhes dirá “Tive fome, e não me destes de comer” (Mt 25, 34-46).

    O único sacerdote do único sacrifício propiciatório que nos remiu é realmente Cristo. Na Missa, que é a renovação do sacrifício de Cristo no Calvário, o sacerdote atua “in persona Christi”, isto é, emprestando a sua voz a Cristo. Por isso, o sacerdote diz “Isto é meu corpo”, para significar o corpo de Cristo e não o dele, sacerdote. Da mesma forma, o Papa é Vigário de Cristo na terra. Ele representa Cristo.

    Muito provavelmente você jamais leu um livro sério sobre esse assunto, limitando-se, como quase todo o mundo, a repetir o que se espalha contra a Igreja.

    Meu caro, comece a pensar, e deixe de repetir slogans.

    Quanto à sua afirmação de que nenhuma Igreja é real e totalmente certa, então o Deus em que você diz acreditar, e a pureza do evangelho que diz proclamar, é um deus bem incompetente, que não soube ensinar a verdade sobre Si mesmo, nem fundar uma religião verdadeira.

    Desejando-lhe um bom final de semana e que Deus lhe conceda a verdadeira e única Fé, que é a da Igreja Católica Apostólica Romana, me despeço atenciosamente

  • Seria bom se estivesse um mister”M” para desvendar as falsidades desses irmãos.
    Não sei se é falta de estrutura religiosa nossa ou se temos no nosso código genético um certo atraso mental. Parece que nós os brasileiros temos preguiça de pensar, ou se somos mesmo bobãos.

  • Paulo César disse:

    Daniel,

    Lamento o seu conhecimento da Palavra de Deus. pois, pelo que vejo, é você quem repete “slogans” da sua igreja, e por isso, deveria começar a pensar. Mas não quero mais te questionar, visto que somente respondeste o meu questionamento sobre a missa e, mesmo assim, sem um contexto bíblico.

    Você me questionou sobre a bíblia ser a única fonte da doutrina de Deus e até me desafiou a mostrar citações bíblicas provandoisto. Tudo bem, vamos lá:

    1. UM SELO FOI COLOCADO NO CAPÍTULO FINAL DO ÚLTIMO LIVRO DA BÍBLIA SIGNIFICANDO SUA CONCLUSÃO E ALERTANDO A CADA HOMEM A NÃO ADICIONAR OU SUBTRAIR DELA (AP 22:18-19);

    2. A CONCLUSÃO DO CÂNON DAS ESCRITURAS FOI RECONHECIDA NO SEGUNDO SÉCULO, MUITO ANTES DA IGREJA CATÓLICA EXISTIR. (FATO HISTÓRICO);

    3. PASSAGENS QUE INDUZEM OS CRISTÃOS SEGUIREM A TRADIÇÃO REFEREM À TRADIÇÃO INSPIRADA DADA PELOS APÓSTOLOS, NÃO A TRADIÇÕES NÃO INSPIRADAS DE HOMENS QUE VIERAM DEPOIS DELES. Exemplos:
    3.1 “Mas, em vão me adoram, ensinando doutrinas que são preceitos dos homens.” (Mt 15:9).
    3.2 “Invalidando assim a palavra de Deus pela vossa tradição, que vós ordenastes. E muitas coisas fazeis semelhantes a estas.” (Mc 7:13)
    3.3 “Tende cuidado, para que ninguém vos faça presa sua, por meio de filosofias e vãs sutilezas, segundo a tradição dos homens, segundo os rudimentos do mundo, e não segundo Cristo;” (Cl 2:8)

    E para finalizar o desafio feito por V.Sª., quero te dizer que não somente é a doutrina e a prática católica romana não baseada na Bíblia: elas contradizem a Bíblia; portanto, elas não podem ser a sua fonte (nem mesmo podem ser de Deus, como citado nas passagens bíblicas acima).

    Dogmas católicos tais como o do papado, da mariolatria, dos culto a santos, o sacerdócio,a missa, e o purgatório, não são encontrados no Novo Testamento, e eles contradizem o claro ensino e a prática do Novo Testamento. O papado contradiz 1 Pe l. 5:1-4, entre muitas outras passagens. A mariolatria e os santos contradizem 1 Tim. 2:5. A missa contradiz 1 Co. 11:23-26. O purgatório contradiz 2 Co. 5:1-8 e Fl. 1:23. O sacerdócio contradiz o Novo Testamento em que Cristo é o sacerdote segundo a ordem de Melquisedeque (Heb. 7:21-27) e Cristo não estabeleceu nenhum sacerdócio das igrejas do Novo Testamento à exceção aquele do sacerdócio de todos os crentes nEle(1 Pe 2:5, 9).

    Não há um exemplo no Novo Testamento de um sacerdote que é ordenado e colocado à parte ou executando o tipo do ministério que vemos na Igreja Católica Romana. O Novo Testamento dá qualificações para presbíteros e diáconos, mas nenhum para padres.

    Se obedecermos II Ts 2:15 e 3:6 e compararmos a tradição católica com o ensino dos apóstolos, temos que rejeitar o catolicismo por ser contrário a este padrão. Os apóstolos não ensinaram que há um sacerdócio especial entre os crentes. Os apóstolos não ensinaram que há um papa. Os apóstolos não ensinaram que a ceia do Senhor é para ser um tipo qualquer de sacrifício. Os apóstolos não ensinaram que Maria é sem pecado, e permaneceu eternamente virgem, ou ascendeu ao céu, ou que ela é a rainha dos céus, ou que os cristãos devem orar a ela. Os apóstolos não ensinaram que o ofício deles era para ser continuado após morrerem, e eles não deram nenhuma instrução para uma “sucessão apostólica”. Os apóstolos não ensinaram que as igrejas devam ter sacramentos. Os apóstolos não ensinaram que há santos especiais a quem os cristãos podem orar. Essas são algumas poucas das tradições católicas que são contrárias ao ensino dos apóstolos nas Escrituras do Novo Testamento.

    Agora eu te desafio a me mostrar na BÍBLIA onde que:

    1. Jesus estabeleceu o ofício de papa e onde ele determina a continuidade de tal ofício;

    2. Jesus estabeleceu o sacerdócio católico.

    Você mostrou-se um conhecedor da Palavra, não de decepcione,afinal, você pertence a “verdadeira e única Fé”. Abraço.

    P.S: Não preciso de igreja para conhecer a verdadeira fé, pois conheci Alguém que me diz e te diz:

    “Eu sou o caminho, a VERDADE e a vida. Ninguém vem ao Pai, senão por MIM”. (Jo 14:6)

    MEDITE:

    “De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela Palavra de Deus” (Rm 10:17)

  • Daniel disse:

    Caro Paulo César, salve Maria, “Mãe do meu Senhor”!

    Me alegra sua busca pela VERDADE, porém percebo que se você não tiver um direcionamento, suas idéias continuarão confusas e sem fundamentos. Você colocou uma série de questionamentos nos comentários passados, gostaria eu de respondê-los com mais rapidez, mas como não posso selecionarei alguns pontos que são mais esdrúxulos e confusos para te responder.

    SOBRE O PAPADO E FUNDAÇÃO DA IGREJA:

    Preste atenção no seguinte trecho da Bíblia, quando Nosso Senhor aparece aos doze apóstolos após a ressurreição:
    “Disse-lhes outra vez: A paz esteja convosco! Como o Pai me enviou, assim também eu vos envio a vós. Depois dessas palavras, soprou sobre eles dizendo-lhes: Recebei o Espírito Santo. Àqueles a quem perdoardes os pecados, ser-lhes-ão perdoados; àqueles a quem os retiverdes, ser-lhes-ão retidos.” (Evangelho segundo São João, 20: 21-23).
    Note que Cristo sopra sobre os apóstolos (e somente sobre eles) e lhes dá o Espírito Santo, e em seguida lhes expõe o poder que lhes outorgou com estes gesto: perdoar ou reter o pecado dos outros!
    Veja bem, somente Deus teria o poder de perdoar os pecados. E Ele o transmite aos apóstolos (e somente a eles) outorgando-lhes assim poder de perdoar os pecados. Isso Ele deu-lhes para que pudessem legitimamente atuar em Seu nome. Vê que enorme graça Deus nos dá ao nos legar um meio visível de perdão dos pecados?

    Agora outro texto importante para esta questão:
    “Eis os nomes dos doze apóstolos: o primeiro, Simão, chamado Pedro; depois André, seu irmão. Tiago, filho de Zebedeu, e João, seu irmão. Filipe e Bartolomeu. Tomé e Mateus, o publicano. Tiago, filho de Alfeu, e Tadeu. Simão, o cananeu, e Judas Iscariotes, que foi o traidor. Estes são os Doze que Jesus enviou em missão, após lhes ter dado as seguintes instruções: Não ireis ao meio dos gentios nem entrareis em Samaria; ide antes às ovelhas que se perderam da casa de Israel. Por onde andardes, anunciai que o Reino dos céus está próximo. Curai os doentes, ressuscitai os mortos, purificai os leprosos, expulsai os demônios. Recebestes de graça, de graça dai!” (Evangelho segundo São Mateus 10: 18-19)

    Agora, se Deus deu o poder de perdoar os pecados aos apóstolos com o intuito de beneficiar aos seus fiéis, era de se esperar que esta graça divina continuasse mesmo após a morte dos apóstolos. “Recebestes de graça, de graça dai!”. Os apóstolos então legaram o poder que receberam de Nosso Senhor, principalmente os de cunho espiritual, como o perdão dos pecados e o ministério dos sacramentos, a outras pessoas, que foram denominados bispos e presbíteros, da Igreja que ia se formando. E estes bispos, legítimos sucessores dos apóstolos, passaram por sua vez estes poderes a outras pessoas, constituindo o que é conhecido como sucessão apostólica. Cada bispo católico existente hoje no mundo pode ter sua ordenação relacionada com um dos doze apóstolos de Nosso Senhor Jesus Cristo. E assim, a graça e o ministério autêntico continua até hoje na Igreja Católica. A sucessão apostólica já está presente no início da Igreja, quando os Apóstolos escolhem Matias para ocupar o lugar deixado por Judas. (Atos 1: 25-26).

    São Pedro é o primeiro entre os apóstolos, o que o próprio texto citado acima ilustra ao dizer “Eis os nomes dos doze apóstolos: o primeiro, Simão, chamado Pedro”.
    Pedro é o primeiro porque Jesus o escolheu para ser a pedra onde seria erguida a Sua Igreja:
    “E eu te declaro: tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja; as portas do inferno não prevalecerão contra ela.
    Eu te darei as chaves do Reino dos céus: tudo o que ligares na terra será ligado nos céus, e tudo o que desligares na terra será desligado nos céus” (Evangelho segundo São Mateus 16: 18-19).

    Onde estiver Pedro, lá está a Igreja de Cristo. E Pedro foi bispo de Roma, deixando um sucessor que herdou a promessa de Cristo. Este seu sucessor hoje é o Papa Bento XVI.

    nas proxímas postagens, tentarei esclarecer outros pontos de seus comentarios precedentes.

    Esperando ter esclarecido suas duvidas, me despeço.

  • Bonillo disse:

    Dando continuidade as postagens do Paulo César,também quero fazer perguntas ao Daniel :

    1_Se Pedro foi o primeiro Papa,porque ele tinha sogra,coisa que o Papa não tem ?.Ou seja Pedro não foi celibatário.Ou você pensa Daniel que Pedro só apertava a mão da moça ?.

    2_Se o celibato é bíblico,porque em 1_Timóteo_4 diz que proibir o casamento é doutrina de demônios ?.E depois em Hebreus_13_4 diz isso :

    4_Venerado seja entre todos o matrimônio e o leito sem mácula; porém, aos que se dão à prostituição, e aos adúlteros, Deus os julgará.

    Porque em Timóteo está escrito que Jesus é o unico intercessor entre Deus e os homens ?

    Sim, porque para que vocês não entendessem errado o 1 versículo,o escritor escreveu o versículo 5 para mostrar qie as pessoas vivas intercedem pelos vivos e não pessoas mortas,tanto é que nosso intercessor Jesus está vivo.

    1 Timóteo 2

    1_Admoesto-te, pois, antes de tudo, que se façam deprecações, orações, intercessões, e ações de graças, por todos os homens;

    2_Pelos reis, e por todos os que estão em eminência, para que tenhamos uma vida quieta e sossegada, em toda a piedade e honestidade;

    3_Porque isto é bom e agradável diante de Deus nosso Salvador,

    4_Que quer que todos os homens se salvem, e venham ao conhecimento da verdade.

    Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem.
    4_ diz isto :

    Até mais.

  • Bonillo disse:

    Olá Daniel.

    Pensei que o representante de Jesus na terra era o Espírito Santo.

    É o Papa então ?.

    Faz – me rir.

  • Daniel disse:

    Caro Bonillo, salve Maria, “Mãe do meu Senhor”!
    Não ria, REZE / ORE e peça a Deus a graça da conversão!

    Sobre o primado de Pedro, fundação da Igreja e o Papa já tratei nos comentários anteriores. Confira também em sua bíblia: Evangelho segundo São Mateus 16: 18-19.

    Percebo que você ainda não conhece a terceira pessoa da Trindade Santa, por isso abaixo segue um texto que fala um pouco sobre o Espírito Santo. Lembre-se: não basta somente o conhecimento intelectual, mas é de suma importância a experiência com a pessoa do Espírito Santo. Rezarei por você!

    CREIO NO ESPÍRITO SANTO

    «Ninguém pode dizer “Jesus é o Senhor” a não ser pela ação do Espírito Santo» (1Cor 12, 3). «Deus enviou aos nossos corações o Espírito do seu Filho, que clama: “Abbá! Pai!’» (Gl 4, 6). Este conhecimento da fé só é possível no Espírito Santo. Para estar em contacto com Cristo, é preciso primeiro ter sido tocado pelo Espírito Santo. É Ele que nos precede e suscita em nós a fé. Em virtude do nosso Batismo, primeiro sacramento da fé, a Vida, que tem a sua fonte no Pai e nos é oferecida no Filho, é-nos comunicada, íntima e pessoalmente, pelo Espírito Santo na Igreja:
    O Batismo «dá-nos a graça do novo nascimento em Deus Pai, por meio do Filho no Espírito Santo. Porque aqueles que têm o Espírito de Deus são conduzidos ao Verbo, isto é, ao Filho: mas o Filho apresenta-os ao Pai, e o Pai dá-lhes a incorruptibilidade. Portanto, sem o Espírito não é possível ver o Filho de Deus, e sem o Filho ninguém tem acesso ao Pai, porque o conhecimento do Pai é o Filho, e o conhecimento do Filho de Deus faz-se pelo Espírito Santo».
    O Espírito Santo, pela sua graça, é o primeiro no despertar da nossa fé e na vida nova que consiste em conhecer o Pai e Aquele que Ele enviou, Jesus Cristo. No entanto, Ele é o último na revelação das Pessoas da Santíssima Trindade. São Gregário de Nazianzo, «o Teólogo», explica esta progressão pela pedagogia da «condescendência» divina:
    «O Antigo Testamento proclamava manifestamente o Pai e mais obscuramente o Filho. O Novo manifestou o Filho e fez entrever a divindade do Espírito. Agora, porém, o próprio Espírito vive conosco e manifesta-se a nós mais abertamente. Com efeito, quando ainda não se confessava a divindade do Pai, não era prudente proclamar abertamente o Filho: e quando a divindade do Filho ainda não era admitida, não era prudente acrescentar o Espírito Santo como um fardo suplementar, para empregar uma expressão um tanto ousada […] É por avanços e progressões “de glória em glória ” que a luz da Trindade brilhará em mais esplendorosas claridades».
    Crer no Espírito é, portanto, professar que o Espírito Santo é uma das Pessoas da Santíssima Trindade, consubstancial ao Pai e ao Filho, «adorado e glorificado com o Pai e o Filho». É por isso que tratamos do mistério divino do Espírito Santo na «teologia» trinitária. Portanto, aqui só trataremos do Espírito Santo no âmbito da «economia» divina.
    O Espírito Santo age juntamente com o Pai e o Filho, desde o princípio até à consumação do desígnio da nossa salvação. Mas é nestes «últimos tempos», inaugurados com a Encarnação redentora do Filho, que Ele é revelado e dado, reconhecido e acolhido como Pessoa. Então, esse desígnio divino, consumado em Cristo, «Primogénito» e Cabeça da nova criação, poderá tomar corpo na humanidade pelo Espírito derramado: a Igreja, a comunhão dos santos, a remissão dos pecados, a ressurreição da carne, a vida eterna.
    “Ninguém conhece o que há em Deus, senão o Espírito de Deus» (1 Cor 2, 11). Ora, o seu Espírito, que O revela, faz-nos conhecer Cristo, seu Verbo, sua Palavra viva; mas não Se diz a Si próprio. Aquele que «falou pelos profetas» (5) faz-nos ouvir a Palavra do Pai. Mas a Ele, nós não O ouvimos. Não O conhecemos senão no movimento em que Ele nos revela o Verbo e nos dispõe a acolhê-Lo na fé. O Espírito de verdade, que nos «revela» Cristo, «não fala de Si próprio». Tal escondimento, propriamente divino, explica porque é que «o mundo não O pode receber, porque não O vê nem O conhece», enquanto aqueles que crêem em Cristo O conhecem, porque habita com eles e está neles (Jo 14, 17).
    A Igreja, comunhão viva na fé dos Apóstolos que ela transmite, é o lugar do nosso conhecimento do Espírito Santo:
    — Nas Escrituras, que Ele inspirou:
    — na Tradição, de que os Padres da Igreja são testemunhas sempre actuais;
    — no Magistério da Igreja, que Ele assiste;
    — na liturgia sacramental, através das suas palavras e dos seus símbolos, em que o Espírito Santo nos põe em comunhão com Cristo;
    — na oração, em que Ele intercede por nós;
    — nos carismas e ministérios, pelos quais a Igreja é edificada;
    — nos sinais de vida apostólica e missionária;
    — no testemunho dos santos, nos quais Ele manifesta a sua santidade e continua a obra da salvação.
    A missão conjunta do Filho e do Espírito
    Aquele que o Pai enviou aos nossos corações, o Espírito do seu Filho, é realmente Deus. Consubstancial ao Pai e ao Filho, é d’Eles inseparável, tanto na vida íntima da Trindade como no seu dom de amor pelo mundo. Mas ao adorar a Santíssima Trindade, vivificante, consubstancial e indivisível, a fé da Igreja professa também a distinção das Pessoas. Quando o Pai envia o seu Verbo, envia sempre o seu Espírito: missão conjunta na qual o Filho e o Espírito Santo são distintos mas inseparáveis. Sem dúvida, é Cristo quem aparece, Ele que é a Imagem visível de Deus invisível; mas é o Espírito Santo quem O revela.
    Jesus é Cristo, «ungido», porque o Espírito é d’Ele a Unção; e tudo quanto acontece a partir da Encarnação, decorre desta plenitude. Finalmente, quando Cristo é glorificado, pode, por sua vez, enviar de junto do Pai, o Espírito, aos que crêem n’Ele: comunica-lhes a sua glória , quer dizer, o Espírito Santo que O glorifica . A missão conjunta desenvolver-se-á, a partir desse momento, nos filhos adotados pelo Pai no Corpo do seu Filho: a missão do Espírito de adoção consistirá em uni-los a Cristo e fazê-los viver n’ Ele:
    «A unção sugere… que não há nenhuma distância entre o Filho e o Espírito. Com efeito, do mesmo modo que entre a superfície do corpo e a unção do óleo, nem a razão nem os sentidos encontram qualquer entremeio, assim é imediato o contacto do Filho com o Espírito, de tal modo que aquele que vai tomar contacto com o Filho pela fé, tem que contactar primeiro com o óleo. Com efeito, não há pane alguma que esteja despida do Espírito Santo. É por isso que a confissão do Senhorio do Filho se faz no Espírito Santo para aqueles que a recebem, pois o Espírito vem, de todos os lados, ao encontro daqueles que se aproximam pela fé».
    O nome, as designações e os símbolos do Espírito Santo
    O NOME PRÓPRIO DO ESPÍRITO SANTO
    «Espírito Santo», tal á o nome próprio d’Aquele que adoramos e glorificamos com o Pai e o Filho. A Igreja recebeu este nome do Senhor e professa-o no Batismo dos seus novos filhos.
    O termo «Espírito» traduz o termo hebraico « Ruah» que, na sua primeira acepção, significa sopro, ar, vento. Jesus utiliza precisamente a imagem sensível do vento para sugerir a Nicodemos a novidade transcendente d’Aquele que é pessoalmente o Sopro de Deus, o Espírito divino (14). Por outro lado, Espírito e Santo são atributos divinos comuns às três Pessoas divinas. Mas, juntando os dois termos, a Escritura, a Liturgia e a linguagem teológica designam a Pessoa inefável do Espírito Santo, sem equívoco possível com os outros empregos dos termos «espírito» e «santo».
    AS DESIGNAÇÕES DO ESPÍRITO SANTO
    Jesus, ao anunciar e prometer a vinda do Espírito Santo, chama-Lhe o «Paráclito», que, à letra, quer dizer: «aquele que é chamado para junto», ad vocatus (Jo 14, 16. 26; 15, 26; 16, 7). «Paráclito» traduz-se habitualmente por «Consolador», sendo Jesus o primeiro consolador. O próprio Senhor chama ao Espírito Santo «o Espírito da verdade».
    Além do seu nome próprio, que é o mais empregado nos Actos dos Apóstolos e nas epístolas, encontramos em S. Paulo as designações: Espírito da promessa (Gl 3, 14; Ef 1, 13), Espírito de adopção (Rm 8, 15: Gl 4, 6), Espírito de Cristo (Rm 8, 9), Espírito do Senhor (2 Cor 3, 17). Espírito de Deus (Rm 8, 9. 14; 15, 19; 1 Cor 6, 11; 7, 40), e em S. Pedro, Espírito de glória (1 Pe 4, 14).
    OS SÍMBOLOS DO ESPÍRITO SANTO
    A água. O simbolismo da água é significativo da acção do Espírito Santo no Baptismo, pois que, após a invocação do Espírito Santo, ela torna-se o sinal sacramental eficaz do novo nascimento. Do mesmo modo que a gestação do nosso primeiro nascimento se operou na água, assim a água baptismal significa realmente que o nosso nascimento para a vida divina nos é dado no Espírito Santo. Mas, «baptizados num só Espírito», «a todos nos foi dado beber de um único Espírito» (1 Cor 12, 13): portanto, o Espírito é também pessoalmente a Agua viva que brota de Cristo crucificado como da sua fonte, e jorra em nós para a vida eterna.
    A unção. O simbolismo da unção com óleo é também significativo do Espírito Santo, a ponto de se tomar o seu sinônimo. Na iniciação cristã, ela é o sinal sacramental da Confirmação, que justamente nas Igrejas Orientais se chama «Crismação». Mas, para lhe apreender toda a força, temos de voltar à primeira unção realizada pelo Espírito Santo: a de Jesus. Cristo («Messias» em hebraico) significa «ungido» pelo Espírito de Deus. Houve «ungidos» do Senhor na antiga Aliança, sobretudo o rei David. Mas Jesus é o ungido de Deus de maneira única: a humanidade que o Filho assume é totalmente «ungida pelo Espírito Santo». Jesus é constituído «Cristo» pelo Espírito Santo. A Virgem Maria concebe Cristo do Espírito Santo, que pelo anjo O anuncia como Cristo aquando do seu nascimento e leva Simeão a ir ao templo ver o Cristo do Senhor. É Ele que enche Cristo e cujo poder emana de Cristo nos seus atos de cura e salvamento. Finalmente, é Ele que ressuscita Jesus de entre os mortos. Então, plenamente constituído «Cristo» na sua humanidade vencedora da morte, Jesus difunde em profusão o Espírito Santo, até que «os santos» constituam, na sua união à humanidade do Filho de Deus, o «homem adulto à medida completa da plenitude de Cristo» (Ef 4, 13), «o Cristo total», para empregar a expressão de Santo Agostinho.
    O fogo. Enquanto a água significava o nascimento e a fecundidade da vida dada no Espírito Santo, o fogo simboliza a energia transformadora dos atos do Espírito Santo. O profeta Elias, que «apareceu como um fogo e cuja palavra queimava como um facho ardente» (Sir 48, 1), pela sua oração faz descer o fogo do céu sobre o sacrifício do monte Carmelo, figura do fogo do Espírito Santo, que transforma aquilo em que toca. João Batista, que «irá à frente do Senhor com o espírito e a força de Elias» (Lc 1, 17), anuncia Cristo como Aquele que «há-de batizar no Espírito Santo e no fogo» (Lc 3, 16), aquele Espírito do qual Jesus dirá: «Eu vim lançar fogo sobre a terra e só quero que ele se tenha ateado!» (Lc 12, 49). É sob a forma de línguas, «uma espécie de línguas de fogo», que o Espírito Santo repousa sobre os discípulos na manhã de Pentecostes e os enche de Si. A tradição espiritual reterá este simbolismo do fogo como um dos mais expressivos da acção do Espírito Santo. «Não apagueis o Espírito!» (1 Ts 5, 19).
    697. A nuvem e a luz. Estes dois símbolos são inseparáveis nas manifestações do Espírito Santo. Desde as teofanias do Antigo Testamento, a nuvem, umas vezes escura, outras luminosa, revela o Deus vivo e salvador, velando a transcendência da sua glória: a Moisés no monte Sinai, na tenda da reunião e durante a marcha pelo deserto; a Salomão, aquando da dedicação do templo. Ora estas figuras são realizadas por Cristo no Espírito Santo. É Ele que desce sobre a Virgem Maria e a cobre «com a sua sombra», para que conceba e dê à luz Jesus. No monte da transfiguração, é Ele que «sobrevém na nuvem que cobriu da sua sombra» Jesus, Moisés e Elias, Pedro, Tiago e João, nuvem da qual se fez ouvir uma voz que dizia: “Este é o meu Filho, o meu Eleito, escutai-O!”» (Lc 9, 35). E, enfim, a mesma nuvem que «esconde Jesus aos olhos» dos discípulos no dia da Ascensão e que O revelará como Filho do Homem na sua glória, no dia da sua vinda.
    O selo é um símbolo próximo do da unção. Com efeito, foi a Cristo que «Deus marcou com o seu selo» (Jo 6, 27) e é n’Ele que o Pai nos marca também com o seu selo». Porque indica o efeito indelével da unção do Espírito Santo nos sacramentos do Baptismo, da Confirmação e da Ordem, a imagem do selo («sphragis») foi utilizada em certas tradições teológicas para exprimir o «carácter» indelével, impresso por estes três sacramentos, que não podem ser repetidos.
    A mão. É pela imposição das mãos que Jesus cura os doentes e abençoa as crianças. O mesmo farão os Apóstolos, em seu nome. Ainda mais: é pela imposição das mãos dos Apóstolos que o Espírito Santo é dado. A Epístola aos Hebreus coloca a imposição das mãos no número dos «artigos fundamentais» do seu ensino. Este sinal da efusão omnipotente do Espírito Santo, guarda-o a Igreja nas suas epicleses sacramentais.
    O dedo. «É pelo dedo de Deus que Jesus expulsa os demônios». Se a Lei de Deus foi escrita em tábuas de pedra «pelo dedo de Deus» (Ex 31, 18), a «carta de Cristo», entregue ao cuidado dos Apóstolos, «é escrita com o Espírito de Deus vivo: não em placas de pedra, mas em placas que são corações de carne» (2 Cor 3, 3). O hino «Veni Creator Spiritus» invoca o Espírito Santo como «digitus paternae dexterae» — «Dedo da mão direita do Pai».
    A pomba. No final do dilúvio (cujo simbolismo tem a ver com o Batismo), a pomba solta por Noé regressa com um ramo verde de oliveira no bico, sinal de que a terra é outra vez habitável. Quando Cristo sobe das águas do seu batismo, o Espírito Santo, sob a forma duma pomba, desce e paira sobre Ele. O Espírito desce e repousa no coração purificado dos batizados. Em certas igrejas, a sagrada Reserva eucarística é conservada num relicário metálico em forma de pomba (o columbarium) suspenso sobre o altar. O símbolo da pomba para significar o Espírito Santo é tradicional na iconografia cristã.

    Vem sobre nós, oh Santo Espírito de Deus!

  • Bonillo disse:

    Daniel

    Jesus disse :

    “Sede meus imitadores”.certo ?.

    Como ele se batizou ?.Por imersão.certo ?.

    Como vocês se batizam ?.

    Tchau.

  • Bonillo disse:

    Daniel

    Poderíamos comentar estes textos ?.

    2_Se o celibato é bíblico,porque em 1_Timóteo_4 diz que proibir o casamento é doutrina de demônios ?.
    E depois em Hebreus_13_4 diz isso :

    4_Venerado seja entre todos o matrimônio e o leito sem mácula; porém, aos que se dão à prostituição, e aos adúlteros, Deus os julgará.

    Porque em Timóteo está escrito que Jesus é o unico intercessor entre Deus e os homens ?

    1 Timóteo 2

    1_Admoesto-te, pois, antes de tudo, que se façam deprecações, orações, intercessões, e ações de graças, por todos os homens;

    2_Pelos reis, e por todos os que estão em eminência, para que tenhamos uma vida quieta e sossegada, em toda a piedade e honestidade;

    3_Porque isto é bom e agradável diante de Deus nosso Salvador,

    4_Que quer que todos os homens se salvem, e venham ao conhecimento da verdade.

    Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem.
    4_ diz isto :

    Até mais.

  • Paulo César disse:

    Daniel,

    Acho que o amigo está com um pequeno problema de hermenêutica bíblica. O texto que você citou como sendo o fundamento bíblico para a questão do papado, é bem aceito entre católicos. Mas não entre teólogos, dentre eles Santo Agostinho.

    Realmente, na língua portuguesa faz até um pouco de sentido, no tocante a edificação da Igreja do senhor sobre Pedro. Mas no original, escrito em grego(e por este devemos ter a base hermenêutica), as palavras de Cristo tem o significado bem definido, sem dúvida alguma:

    “TU ES PETRUS ET SUPER HANC PETRAM AEDIFICABO ECCLESIAM MEAM !” Mt 16:18

    O teólogo e professor Paulo Cristiano, bem define a tradução literal do texto sagrado em questão:

    “Jesus ao se referir a Pedro usa o termo grego “Petros” que significa um “seixo”, “pedregulho”, mas ao se referir à edificação da Igreja diz ser edificada não sobre o “Petros” (Pedro), mas sobre a “Petra”, um rochedo inabalável. Ora, Jesus fez nítida diferença semasiológica entre “Petra” e “Petros”: um é substantivo feminino singular e está na terceira pessoa; o outro masculino plural e se encontra na segunda pessoa. Demais disso, nunca o termo “Petra” é usado na Bíblia em relação a homem algum, mas somente em relação a Deus. Outrossim, tal verso nem de longe insinua alguma coisa sobre Roma, sucessão apostólica e congênere.”

    Vale salientar, que a declaração do próprio Pedro sobre quem era Jesus é chave para entendermos o sentido das palavras do Salvador:”TU ÉS O CRISTO, O FILHO DO DEUS VIVO”. Jesus perguntou a todos, mas somente a Pedro foi revelado pelo espirito naquele momento, daí Cristo ter-lhe dito: “Bem-aventurado és tu, Simão Barjonas, porque não foi carne e sangue que to revelou, mas meu Pai, que está nos céus. Pois também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja…”, ou seja, sobre a fé no filho de Deus a Igreja do Senhor seria edificada.

    Cristo é a rocha, PETRA. Santo Agostinho, em seu Tratado nº124 sobre S. João, esclarece:

    “… pois não é da palavra Pedro que se deriva a palavra pedra, mas, ao contrário, da palavra pedra é que se deriva o nome de Pedro, assim como o nome de Cristo não se deriva da palavra cristão, mas, ao contrário, cristão vem de Cristo. O Salvador disse: “E sobre esta pedra edificarei a minha Igreja” depois que Pedro dissera: “Vós sois o Cristo, o Filho do Deus vivente”. E na verdade a Pedra é Cristo e o próprio Pedro foi edificado sobre este fundamento”.

    O próprio apóstolo Pedro confessa não ser ele a pedra:
    “Para vós outros, portanto, os que credes, é a preciosidade; mas, para os descrentes, A pedra que os construtores rejeitaram, essa veio a ser a principal pedra, angular.” 1 Pedro 2:7

    O maior evangelista que o mundo conheceu, Paulo, é categórico ao afirmar diversas vezes ser Cristo a Rocha:

    “…edificados sobre o fundamento dos apóstolos e profetas, sendo ele mesmo, Cristo Jesus, a pedra angular;” Efésios 2:20

    “Ele é a cabeça do corpo, da igreja. Ele é o princípio, o primogênito de entre os mortos, para em todas as coisas ter a primazia,…” Colossenses 1:18

    Segundo os historiadores, “o advento do papado romano surgiu a partir do século V, conferindo a um dos bispos romanos, o título de legítimo herdeiro dos imperadores romanos. Disputa política comercial entre a igreja católica e a igreja ortodoxa, chamadas de igreja do ocidente e oriente respectivamente.”

    Diante disso, vê-se que tal afirmação de Cristo é mal interpretada, visto nos originais gregos as palavras são bem definidas em seu sentido, dando o poder de sustentação da Igreja ao Senhor dos senhores, Rei dos reis.

    Obrigado pela troca de informações meu amigo Daniel, afinal, conhecimento nunca é demais, bem como é interessante conhecer outras doutrinas, e o amigo esbanja conhecimento na sua área. Parabéns. Esteja à vontade para comentar ou contestar.

    Fica com Deus.

  • Renata disse:

    COMO VCS PERDEM TEMPO TIVE NEM SACO PRA LER O COMENTÁRIOS DE VCS,PARECE UMA DISPUTA PRA VER QUEM TEM CONHECIMENTO!!!

    Usem esses conhecimento pra algo bom de verdade…E não se achando os donos da verdade e julgando os outros como meu irmão Paulo Cesar que iniciou tudo!!!

    O IRMÃO QUIS ABORDAR ESSE ASSUNTO ELE NÃO PODE?
    E UMA OPNIÃO DELE CONCORDA QUEM QUER!!!

  • Paulo César disse:

    Renata,

    Conhecimento só se adquiri lendo e trocando informações, não cai do céu. Leia as opniões aqui constantes e separe o que você acha certo. Blog não é só para saber fofoca de artista e outras baboseiras, mas é também um ambiente para adquirir conhecimento e expôr pensamentos. Lamento você não ler as postagens do Daniel, pois poderia aprender com ele também. E como disseste, o Daniel abordou um assunto e tem todo o direito de expôr o seu conhecimento e ponto de vista, não sendo nem a opnião dele nem a minha a correta.

  • Vagner disse:

    Olá Daniel,
    Não perca seu tempo tentando refutar as heresias do sr. Bonillo. Mas caso você as queira ver destruidas vá até o post “protestantes acusam católicos de idolatria”. Alí toda a doutrina “criada” pelo sr. Bonillo estão pelo chão.
    Viva a Igreja Católica!!!
    Vagner
    PS. Só uma informação para o sr. Paulo César. O Evangelho de Mateus foi escrito em Aramaico e recebido no Canón sua versão grega. De maneira que as palavras de Cristo:”Pedro tu es pedra e sobre está pedra edificarei minha Igreja” foram pronunciadas em Aramaico.

    PEDRO É PEDRA PEQUENA OU ROCHA?

    Meu caro, a palavra Rocha tem seu significado bem claro para Pedro.

    Em grego:

    Pedra pequena = Lithos ( liqoi, liqon )

    Prova bíblica, exemplo:

    Judeus apanha pedras pequenas para jogar em Jesus.

    Jo 10, 31 – “… apanham pedras para apedrejá-lo”. Ora você leria “… apanham ROCHAS para apedrejá-lo.” Imagine os judeus pegando ROCHAS (pedras grandes), para jogar em Jesus.

    Na passagem da tentação de Jesus, o demônio pede que transforme pedra pequena em pães.

    Mt 4, 3 – “mande que essas pedras se transformem em pães”. Ora você leria “…mande que essas Rochas se transformem em pão.” Imagine Jesus tendo que comer Rochas (pedras grandes).

    É evidente que o autor se refere à pedra PEQUENA. Imaginar diferente disso já é fanatismo.

    Vamos ao grego dessas passagens. Usando uma bíblia grega de origem da luterana.

    JO 10:31 ebastasan palin liqouV oi ioudaioi ina liqaswsin auton

    (liqou ) – pedra pequena.

    MT 4:3 kai proselqwn o peirazwn eipen autw ei uioV ei tou qeou eipe ina oi liqoi outoi artoi genwntai

    ( liqoi ) – pedra pequena.

    No grego koiné do NT as palavras petros e petra não possuem significados distintos [ver as seguintes fontes protestantes que confirmam este fato: Joseph H. Thayer, Thayer’s Greek-English Lexicon of the New Testament (Peabody: Hendrickson, 1996), 507; D.A. Carson, “Matthew,” in Frank E. Gaebelein, ed., The Expositor’s Bible Commentary (Grand Rapids: Zondervan, 1984), vol. 8, 368].

    Jesus falava aramaico, não grego, e em aramaico ele usou a mesma palavra para designar Pedro e pedra: kefa (cfr. Jo 1,42).

    Se o Senhor tencionasse chamar o Apóstolo de “pequena pedra”, teria usado o termo aramaico correspondente, evna.

    O evangelista usou petros enquanto forma masculina de petra, para evitar uma impropriedade de gênero, a designação de um sujeito masculino – o Apóstolo – com um nome feminino – petra.

    Especialistas em grego reconhecem que petros = petra na sentença de Mt 16,18. A sintaxe da frase não deixa lugar para dúvidas. Petros é o mesmo sujeito que é designado sob o nome de petra, ou seja, São Pedro.

    Tanto o evangelho de Mateus quanto o de Marcos são tidos como tendo sido escritos primeiramente em Aramaico e depois transcritos para o grego, segundo a tradição católica.
    Prova disso é ter sido achado nos escritos do mar morto o evangelho de Marcos em aramaico.
    Por isso algumas palavras nesses evangelhos estão em aramaico.

    E essa é aprova cabal para provar que petrus NÃO é pequena pedra, diz no grego

    JO 1:42 hgagen auton proV ton ihsoun embleyaV autw o ihsouV eipen su ei simwn o uioV iwannou su klhqhsh khfaV

    Jo 1, 42 – Levou-o a Jesus, e Jesus, fixando nele o olhar, disse: Tu és Simão, filho de João; serás chamado Cefas (que quer dizer pedra).

    E Cefas é em aramaico, e tem seu significado bem claro, que é PEDRA GRANDE, ROCHA.

    Mas vejam uma coisa curiosa, quando se coloca algo entre parênteses, significa dizer que não está no texto original, foi um acréscimo de alguém.

    Mas os protestantismos que são os donos da verdade, mudando até a bíblia para descaradamente provar a suas falácias e sofismas, colocam “(que quer dizer Pedro)”.

    Pedro é chamado de Cefas 9 vezes na bíblia, e quem mudou o nome de Pedro foi claramente Jesus, foi o próprio DEUS, e só mais 2 pessoas tiveram o nome mudado LITERALMENTE por DEUS.

    Abrão – pai exaltado ficou – Abraão – Pai de Muitos, pai da multidão

    Jacó – o que luta com Deus – ficou – Israel – O que governa com Deus.

    Simão – caniço ficou – Pedro – pedra, rocha
    Somente esse três em toda a bíblia, que DEUS mudou o nome.

    E quando Deus muda o nome de uma pessoa, é para dar um mumus a mesma.
    Referencias:

    http://www.scribd.com/doc/3586331/Significados-de-Nomes-Biblicos

    http://blog.bibliacatolica.com.br/tag/evna/

    http://blog.bibliacatolica.com.br/tag/kephas/

  • Vagner disse:

    Outras palavras ao sr. Paulo César:
    Vou colocar outro texto de santo Agostinho no qual fica bem clara a visão do santo sobre O Papa:
    “O Senhor Jesus, antes de sua paixão, elegeu a seus discipulos, aos que du o nome de apóstolos. Entre eles, Pedro foi o único que representou a totalidade da Igreja quase em todas partes. Por isso, enquanto que Ele só representava EM SUA PESSOA à totalidade da Igreja, pôde escutar estas palavras: “Eu te darei as chaves do reino dos céus” (sermão 295).

  • Vagner disse:

    Olá Paulo César,
    Não sou de comprar briga de ninguém, no entanto peço licença para entrar no diálogo de vocês pois lí uma afirmação do sr. que diz que as doutrinas Católicas são anti-Bíblicas, e como sou Católico convicto me vejo na obrigação de defender minha Santa Igreja.
    Porém para que nosso diálogo seja frutuoso gostaria que você me respondesse a 2 perguntas:
    1-Porque o sr. crê que a Bíblia é palavra de Deus? (dê-me por favor uma resposta OBJETIVA)
    2- Onde está escrito na Bíblia que toda verdade se encontra nela?.

    Aproveito para esclarecer alguns temas. O sr. escreveu a seguinte afirmação:”1. UM SELO FOI COLOCADO NO CAPÍTULO FINAL DO ÚLTIMO LIVRO DA BÍBLIA SIGNIFICANDO SUA CONCLUSÃO E ALERTANDO A CADA HOMEM A NÃO ADICIONAR OU SUBTRAIR DELA (AP 22:18-19);” Só gostaria de aclarar que o Apocalipse está em ultimo lugar na Bíblia, mas NÃO é o ultimo livro da Bíblia. O Ultimo livro escrito foi o evangelho de São João (ano 95). De maneira que sua afirmação está fora de contexto.
    Um grande abraço, e caso o sr. não permitir que eu entre no diálogo entenderei. Desculpe-me se estou parecendo orgulhoso ou mau educado. Creio que o que dizer-mos servirão para aclarar muitos pontos.
    Vagner

  • João Paulo disse:

    Olá!
    Gostaria de pedir com todo amor ao Daniel, Vagner, Paulo César e Bonillo que fizessem uma reflexão a respeito da troca de conhecimentos bíblicos entre vcs. Creio que nesse momento da conversa já não existe mais bons frutos. Concordo plenamente que é direito de todos a troca de conhecimentos e liberdade de expor opnião. Mas gostaria de pedir com todo carinho e compreensão que vcs pudessem analisar até que ponto está sendo proveitoso. Mesmo com toda a educação e compreensão de ambas as partes, o que parece para nós leitores é que o clima da conversa está ficando um pouco pesado e , em alguns momentos, irônico. As vezes parece, também, que vcs estão manipulando a Bíblia para explicar doutrinas um para o outro! e que bom essa disposição! Saliento que talvez não seja essa a intenção de vcs, mas é o que está chegando em nossos “corações leitores”. Contudo, gostaria de sugerir que se vcs quisessem continuar essa conversa, vcs fizessem isso pelo e-mail pessoal de vcs e disponibilizassem esse e-mail para quem mais quisesse conversar com vcs. Seria bacana da parte de vcs!. Ah! outra sugestão!: toda a doutrina e todos os documentos da igreja católica podem ser encontrados em livrarias como a Paulus, Paulinas, Ave-maria. Bem como, (acredito pois não conheço bem) os documentos evangélicos estejam disponíveis em livrarias evangélicas. Cada um de vcs podem pesquisar por si só, e tirar as suas conclusões. Não seria legal! Eu sei que é bom trocar conhecimentos mas antes de tudo seria bem legal cada um pesquisar em totalidade as doutrinas específicas e, já que agora conhecem bem a opnião um do outro seria bem mais saudável e legal a discussão. Peço de todo meu coração que vcs pensem em minha opnião. Desde já peço desculpas se usei alguma palavra que fez da minha opnião ofensiva, dura, egoísta, ou opressiva para vcs! de verdade: me desculpem!Não é essa a intenção! è de coração aberto que faço esse pedido a vcs! sei que querem defender a opnião pessoal de vcs, a igreja que o Vagner e o Daniel amam, o pensamento firme do Paulo Cesár e do Bonillo, mas ao refletirem o meu pedido esqueçam um pouco tudo o que já aconteceu até aqui e reflitam se vale apena mesmo!(não a troca de conhecimento, mas a forma como ele está sendo abordado).” Desde já peço à Deus que essa mensagem chegue ao coração de vcs do jeito que saiu do meu: com todo amor! Que Ele possa acalmar o nosso coração para buscar juntos um só coração Nele.” Obg por vcs permitirem que expresse minha opnião. Muito Obrigado mesmo! Deus abençoe cada um!

    ” Obrigado Senhor pela vida do Vagner, do Daniel, do Bonillo e do Paulo César. Obrigado por permitir que, como irmãos, possamos trocar nossas opniões e conhecimentos. Por estar mais próximos um do um outro e sentir a tua presença.
    Obrigado por colocar em nossos corações o desejo de buscar sempre a Verdade em Ti!
    Peço que nosso coração a cada momento seja semelhante ao vosso! Amém.”

    ABRAÇO FORTE!
    sue irmão e já amigo,
    João Paulo Maciel

  • Bonillo disse:

    João Paulo

    Pela franqueza do seu pedido e comentários,paro por aqui.

    Abraço e que Deus te abençoe.

  • João Paulo disse:

    Bonillo, muito obrigado!
    Fico feliz por vc ter entendido o meu comentário! tava com medo de vcs não entenderem do jeito que quis falar! rsrsrsrs
    Que bom!

    Deus abençoe!

    seja luz!

  • Paulo César disse:

    João Paulo,

    Faço das palavras do Bonillo as minhas. Realmente você foi muito feliz em seus comentários. Realmente pelo que vi hoje, a conversa não estava “rendendo bons frutos”.

    Termino por aqui as minhas contribuições e aproveito para mandar um abraço ao Daniel que, com muita educação e conhecimento, soube defender os fundamentos de sua fé, sem arrogância ou falta de educação. Abraço e que Deus abençoe a todos.

  • João Paulo disse:

    Paulo César,

    Obg pela sua compreensão! Que Deus possa guiar seus passos a cada dia. Tudo de bom!

    Deus abençoe!

    Abraço

  • Claudio Alencar disse:

    Qual é o espanto ???
    Os filhos de Lutero são assim mesmo.
    Brigam, brigam, brigam.
    Da mesma forma que nutrem ódio contra o catolicismo são intolerantes uns para com os outros.
    Por isso dividem-se, dividem-se, fragmentam-se e pulverizam a mensagem do evangelho.
    Ora, o que a bíblia diz sobre tudo isso ?
    Quem divide é anti cristo.
    Todos vieram de Lutero.
    Lutero homem, alcoolotra, farrista, mulherengo e herege.
    Foi ele quem criou o Sola Scriputra. A doutrina do livre exame.
    Pode uma árvore podre produzir bons frutos ???
    Soares, Valdomiro e Hernandez. Todos procedem de Lutero e todos o tem como ídolo e inspiração.
    Agora Damázio brigou com Valdomiro e fundou sua própria igreja.
    Logo alguém brigará com ele e fundará uma nova denominação.
    Soares brigou com Macedo.
    Soares briga com Valdomiro.
    Valdomiro briga com Macedo.
    Macedo chama Soares e Valdomiro de ladrões.
    Casa da Rocha saiu dos Hernandez.
    Silas brigou com a Assembléia e vai fundar sua igreja.
    Silas era amigo de Macedo e agora trocam acusações.
    Macedo, Soares e Miguel Ângelo procedem da mesma denominação e saíram para fundar as suas.
    Tudo é negócio. Tudo é dinheiro. Tudo é poder e ambição.
    Qual o espanto em tudo isso ???
    Cada qual com sua própria doutrina.
    Todas diferentes entre si e todas dizendo-se portadoras da verdade e inspiradas pelo Espírito Santo.
    Acaso não lemos sobre os falsos profetas ???
    Não lemos sobre seus seguidores ???
    “Deixarão a sã doutrina e seguirão ensinamentos de homens.”
    “Atrás de toda a sorte de novidades ajustarão mestres para si.”
    Acaso não sabemos que o pai e filho tem a mesma natureza ?
    O filho faz as obras do pai.
    Ora, os filhos de Lutero fazem as obras de Lutero.
    Contendas, brigas, dissidências.
    E todos serão considerados “bênçãos” e “ungidos”.
    Dirão que tiveram uma visão para fundar igrejas e todos acreditarão.
    “…darão crédito às fábulas”.
    Pois continuem os filhos de Deus fazendo as obras de Deus e os filhos de Lutero fazendo as obras de seu pai.
    Quem tem ouvidos que ouça: Extra Ecclesiam Nulla Salus

  • Vagner disse:

    Olá, João Paulo.
    Obrigado por suas palavras. Você fez juz ao seu nome, e como o Papa João Paulo II Magno, você veio trazer a paz.
    Estive pensando e cheguei à conclusão que enquanto discutimos o demônio trabalha, por exemplo na Argentina foi aprovada a lei para a realização de matrimônios homosexuais, e se nós os Cristãos, não nos organizar-mos poderá acontecer o mesmo no Brasil, e sem falar das outras leis que querem aprovar: lei da homofobia, aborto, retirada de simbolos religiosos, etc.
    Lutemos por tanto contra os inimigos de Cristo,
    Grande abraço,
    Vagner

  • João Paulo disse:

    Vagner,
    Fico muito feliz de saber que minhas palavras chegaram ao seu coração! Louvo a Deus por vc perceber que podemos juntos desmascarar o inimigo de Deus! Louvo a Deus pelo seu discernimento e de todos os outros (bonillo, paulo cesar e com certeza o daniel!).
    Quem sabe podemos ser amigos em Cristo? Qualquer coisa estou aqui !!!! rsrsrs

    Seja Luz !

    João Paulo Maciel

  • Vagner disse:

    Olá João Paulo,
    Eu também estaou à sua disposição: vagnerdesouza@ive.org

    Grande abraço,
    Vagner

  • jessica disse:

    olha cada um tem sua opinião sou evangelica
    e ate hoje nunca me roubaram nada, pois penso que cada um tem sua fe
    pois nao vejo a diferença entre a quela agua que o pastor estava orando, da agua benta que a igeja catolica da, e se os pastor rouba e poblema dele o que importa e minha fe com Deus, e olha e so os pastores qua fazem narquia olha ate hoje so vi falar mal de pastor dizendo que eles roubam, mas que eles tinham abuzado de crianças ate hoje nunca ouvi nada.
    parem de falar dos outros olham para suas vidas talves a vida daquelas pessoas que tao sendo roubas esta melhor que as suas!!!!!!!!!
    pensem nisso !!!!!!!!!

  • bianca disse:

    Blá blá blá…

    Engraçadíssimo como vocês são tão prolixos em defenderem cada um a sua religião… Devem ter perdido muito tempo escrevendo essas coisas.

    Quando na verdade, as duas são puro lixo! É o sujo falando do mal lavado.

    Bando de tolos

\

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

19 − sete =