Ancoradouro

Uma cruz para Dilma

Semana passada foi esclarecida reirada do crucifixo e da Bíblia do gabinete presidencial. Conforme nota da Secretaria de Comunicação da Presidência o crucifixo era um dos presentes do Presidente Lula e foi despachado na mudança presidencial e a bíblia foi colocada numa sala contígua ao gabinete.

É lei que o presidente da república reúna os presentes recebidos ao longo do mandato e os exponham ao público evitando desfazer-se dos mesmos. Nos oitos anos de governo os presentes de Lula encheram oito caminhões.

Retornando ao fato, o Gabinete de Dilma está sem crucifixo peça presente há décadas no local, portanto fica o apelo, um crucifixo para Dilma, Já que o presidente ganhou uma peça no início de sua gestão, seria um ótimo presente  à nova presidente.

Recomendado para você

Nenhum comentário

  • Ricardo disse:

    Pessoalmente acho péssimo presente, pois a presidenta é de todos os brasileiros, sejam cristãos, muçulmanos, judeus, ateus, etc. Ela não deve se ligar a um grupo específico. O estado é laico. Ou você gostaria de ver uma estátua da umbanda na sala da presidenta? Nada de crucifixo!

  • Lauro disse:

    Concordo com Ricardo, se ela quiser, pode usar em sua casa o símbolo religioso que preferir, mas como ela é uma funcionária pública, ou seja, de todos os brasileiros, seu local de trabalho deve manter as regras do estado laico, até mesmo para não intimidar/constranger pessoas de outras religiões.

    • Vanderlúcio Souza disse:

      Pergunto aos nobres internautas Lauro e Ricardo, num país de predominância religiosa budista, Islâmica… que imagens se vê nas repartições públicas? O que seria comum num país como o Brasil de origem católica? Será que o relativismo prático deste tempo deve arrastar inclusive nossas origens? Ou não temos cultura o suficiente para termos de importar “deuses” de outras gentes?

  • Lauro disse:

    Vanderlúcio, o estado não deve representar grupos específicos, não importa se são maioria ou não. Orgãos oficiais do estado devem usar os símbolos oficiais, não aqueles que demonstrem credo ou opinião religiosa.
    Pense em como você se comportaria se fosse a uma instituição jurídica (talvez em algum processo ou julgamento) e atrás do Juiz estivesse estampado símbolo muçulmano… Você acreditaria 100% em um julgamento justo, sendo você cristão?
    Não é questão de maioria, ou de ser “comum”. É questão de consideração, respeito e credibilidade por todos. Se você exibe um símbolo e o ostenta, demonstra não apenas que acredita em seu significado, mas também que segue as leis e códigos de conduta implícitos nele.

  • Ricardo disse:

    Além disso, Vanderlúcio, se você quer que sejamos “fiéis” as nossas origens católicas, isso pode ser considerado como um saudosismo a: cruzadas católicas, onde milhares de muçulmanos foram trucidados; escravidão de milhões de negros, com o beneplácito da igreja católica; inquisição, onde milhares foram mortos pela “santa” igreja. Portanto, não sei se devemos ser tão fiéis às nossas “origens”, como você quer. Outro ponto: o Irã, que é um governo do modo que você defende, fiel a suas origens (muçulmanas), não é um modelo para mim.

    • Vanderlúcio Souza disse:

      Com anacronia não podemos ler a história. Ou você julga pessoas e instituições por falhas no passado?
      Queiramos ou não nossa origem é cristã-católica.
      A Europa quer apagar essa mesma origem e o resultado é o que vemos uma sociedade envelhecida, apartada de valores primordiais, como um árvore pesada de seus frutos podres.
      A essência do cristianismo é boa.

  • Ricardo disse:

    A essencia do cristianismo, do budismo, do espiritismo, do islamismo, todas são boas: a ética. Precisamos reforçar a ética, que NÃO é privilégio de nenhuma religião. Os juízes do STF não devem ser cristãos, devem ser ÉTICOS. Assim, acho essencial retirar simbolos religiosos de todos os órgãos publicos, e reforçar valores universais. Como disse, a escravidão, a opressão de minorias (raciais, sexuais, etc) que sempre marcaram os cristãos NÃO é ética.

    Além disso, alguém pode descrever uma “sociedade envelhecida, apartada de valores primordiais, como um árvore pesada de seus frutos podres” como a igreja católica também, você não acha? Todos os valores europeus de respeito aos direitos humanos surgiram numa afronta ao cristianismo, e não a partir dele. Apenas quando a igreja católica teve seu poder reduzido que os valores europeus humanistas tiveram poder.

    • Vanderlúcio Souza disse:

      A Igreja está mais viva do que nunca, basta conferir as novidades que surgem a cada década.
      Quanto a Europa, ela envelhece e se perde justamente porque defende um direito humano que não corresponde ao que ela aprendeu.

      A Holanda, país de primeiro mundo já chegou inclusive a defender pedofilia através de um partido, defende e promove aborto, cultura gay como ninguém…o resultado é lamentável.

      Como diziam os padres da Igreja a Glória de Deus é o homem vivo…e não esta sobrevida que mascaram com o nome de direitos humanos.

  • Júnior disse:

    Ricardo, os seus comentários carecem de qualquer evidência lógica. Quem livrou a Europa de cair na barbárie foi justamente a Igreja Católica; a simples noção de direitos humanos foi gerada e disseminada por influência do cristianismo, e não por “geração espontânea”, como você parece imaginar.
    Retire os óculos que seus professores de “estória” do ensino médio colocaram em você e veja a realidade com mais sobriedade.

  • Lauro disse:

    Sim, a igreja católica evitou a “barbárie” e como consequência houve a idade média, que está longe de ter sido justa para com as minorias e para com as mulheres.
    E os direitos humanos não foram apenas propagados pelo cristianismo, mas também por outras religiões (gandhi e dalai lama não são cristãos, por exemplo).
    E a igreja não tem muitas “novidades”; continua discriminando homossexuais, não permitem que mulheres tenham qualquer função de igualdade, continua míope para métodos anticonceptivos comprovadamente eficazes…

  • Luis disse:

    Boa noite a todos,

    o estado é laico, mas a maioria absoluta do povo é cristão, principalmente católicos! O fato de o estado ser laico não significa ser ateu e uma parede sem nenhum quadro é uma manifestação atéia, não devemos aceitar também. O calendário tem origem cristã, porque não mudam também?

  • Ricardo disse:

    A Igreja Católica já matou milhares de pessoas, além de oprimir milhões, isso é FATO. O Ocidente conseguiu deixar a igreja no seu devido lugar, sem poder político. So nesse momento os direitos humanos conseguiram libertar (até hoje, infelizmente, apenas em parte) negros, mulheres e outras minorias, sempre tratadas pelos católicos como inferiores (leiam a biblia e o que ela fala sobre as mulheres: como uma mulher pode ser católica?). A escravidão foi apoiada abertamente pela Igreja Católica. E a pedofilia da igreja foi encoberta até o fim, o que tornou a cupula da igreja em cumplice, e não vitima.

  • Ricardo disse:

    A história ensina que a Igreja Católica sempre é derrotada. O mundo realmente gira em torno do sol, apesar da Igreja ter assassinado tantos para encobrir a verdade. Indios e negros têm ALMA e não podem ser negociados, hoje, depois da igreja ter sido derrotada nessa questão. No futuro a igreja vai acabar aceitando o preservativo, e os defensores católicos da época vão acabar dizendo que a igreja sempre defendeu a proteção do preservativo. É o revisionismo católico. Mas não adianta…

    • Vanderlúcio Souza disse:

      Não acredito que uma instituição bimilenar seja constantemente derrotada. No entanto nesta visão aqui se aplica a frase do Apóstolo, quando somos fracos é que somos fortes. E quanto às perseguições sempre existirão. Os servos não são maiores do que seu Senhor. Quem tem ouvidos para ouvir, ouça!

  • Vagner disse:

    Carissímos Ricardo e Lauro,
    Completando o comentário do Júnior lhes recomendo que caso queiram conhecer a História da Igreja Católica não leiam livros maçonicos, leiam bons livros. Há um, escrito por um francês chamado Daniel Roops que é uma obra ilustre e garanto a vocês absolutamente IMPARCIAL (ou seja ele apresenta os dois lados da moeda). Penso que lendo está obra vocês entenderam que a Igreja sempre foi a grande benfeitora da humanidade (apesar dos erros de alguns de seus membros, como acontece em toda instituição formada por seres humanos). Entenderam que foi justamente esse movimento heróico e glorioso intitulado as cruzadas (que sempre são apresentadas como um passado negro) que deteve o avanço mulçumano; entenderam que as escolas e universidades foram criadas pela Igreja, entenderam que os hospitais também foram obras da Igreja.
    Com abraço fraternal,
    Vagner

  • Lauro disse:

    Vagner, não questiono o importante papel da igreja na organização dos estados, na criação de associações beneficentes (algumas com importância fundamental nos dias de hoje) e até no cuidado aos necessitados. Até apóio essas iniciativas, por que como instituição a igreja tem responsabilidade ética e obrigação de ajudar os menos necessitados, afinal ela tem recursos para tanto.
    Quanto a fatos históricos, seria um certo exagero dizer que fatos contra a igreja seriam “maçônicos”, pois existem estudos históricos/científicos sérios. Não duvido que nos fatos que você apresentou as intenções de boa parte dos cristão não fosse com um bom propósito.
    No entanto a igreja sempre foi paradoxal. Propuseram as cruzadas, porém também tinham intenções políticas e muitos foram para elas em busca de fortuna e terras. Também venderam indulgências.
    Criaram universidades, mas controlavam o pensamento e o conhecimento para que sempre ficasse de acordo com sua doutrina.
    Abriam escolas, mas também divulgavam listas de obras literárias proibidas.
    Além disso, parece ser difícil para a igreja entender que os tempos mudam, e que as minorias também tem direitos como cidadão, e merecem não apenas tolerância, mas também respeito e consideração.

  • Ailton disse:

    È isso ai gente vamos providenciar, um crucifixo para nossa presidente. E olha só pessoal não vamos dar ouvidos há papagaios que apenas repetem o que ouviram na faculdade, penso que são inteligentes e vão ampliar o seu conhecimento para não ficar repetindo esses chavões universitários. História tem que ser entendida no contexto e não fora dele.

  • Irenilson disse:

    Nunca ouvir dizer, para se presentear a presidente devemos levar em consideração a laicidade de sua nação, pra mim presente é um gesto muito nobre, ou vocês são contra a partilha?

\

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 × dois =