Ancoradouro

Protestantismo: antessala para o ateísmo

958 23

Quando durante algumas madrugadas conversei com jovens em points na cidade de Fortaleza uma informação chamava-me a atenção. A maioria dos adolescentes e adultos que se diziam satanistas ou simpatizantes de seitas agnósticas  , dark e ateus tinham, em tempos passados, ligação  de alguma forma com  denominações protestantes.

Teto da Catedral de Brasília

Foi-se construindo um quadro sobre o qual nunca desenvolvi uma pesquisa, mas sei que renderia ótimos estudos. Tanto que não fiquei surpreso quando no começo de outubro de 2012 uma pesquisa revelou a queda considerável de protestantes nos Estados Unidos e o crescimento, ao mesmo passo largo, de ateus e agnósticos. “Quando eles desistem da religião, ao invés de de mudarem de igreja, eles se juntam às fileiras crescentes que não se identificam com nenhuma religião. Quase 1 em cada 5 americanos, ou 19,6% , disseram que são ateus,agnósticos […]”, noticia o site Último Segundo.

No Brasil, o fenômeno não é muito diferente. Geralmente a pessoa nasce – nascia – e recebia os sacramentos da iniciação cristã na fé católica mas não aprofundavam a experiência com Deus. Então migravam para denominações protestantes, sobretudo, aquelas que prometiam o cancelamento do sofrimento e a prosperidade material, e de quebra, a “sorte” no amor. Como o resultado não saía conforme  o prometido e o esperado, o neo-pentecostal se via em nova aventura de se filiar a outra denominação protestante que por sua vez prometia o céu na terra com completa ausência de conflitos. Essa migração interna no protestantismo é muito comum, basta perguntar  a alguns filiados e logo constataremos.

Aliás, essa migração não se dar apenas entre as ovelhas. É muito comum entre os pastores desvencilharem-se de uma denominação para fundar a sua própria. Maiores exemplos no Brasil é Edir Macedo que fundou a Universal e tinha como braços fortes R.R. Soares e Valdemiro Santiago que posteriormente romperam e fundaram denominações com nomes sinôninos, Internacional da Graça de Deus e Mundial do Poder de Deus, respectivamente.

Leia também: Quem briga com quem nas denominações evangélicas

Entre os pastores existem também aqueles que migraram de um ramo a outro das seitas evangélicas e acabaram por se tornar   um ateu prático ou materialista. Encaixa-se como exemplo o fundador da Vinde – um sucesso na década de 90 – o reverendo

Santuário de Dom Bosco – Brasília

Caio Fábio, hoje, um cáustico crítico do Neo-protestantismo.

Outro desdobramento do agnosticismo que nasce no ambiente evangélico  é o, chamado por alguns teólogos e jornalistas de, “novo cristianismo”(?). Certamente você já ouviu falar dele, se não do conceito, pelo menos como funciona na prática. “Eu aceitei Jesus mas não sou de Igreja alguma”, “Religião é coisa entre mim e Deus”, “Igreja não salva, não sou filiado a nenhuma”.

Esta é uma postura das mais perigosas pois mitiga o ensinamento bíblico sobre a necessária vida em Comunidade. Reflete apenas o egoísmo de uma vivência centrada  na religiosidade individualista e mesquinha que renega a ordem, princípio também constitutivo do cristianismo.

A verdadeira experiência com Deus nos coloca irremediavelmente na dinâmica do amor e vivência em Comunidade. A Igreja é a esposa de Cristo como afirma o Apóstolo. Como desdenhá-la? Assim como Maria, não podemos dizer que a Igreja é tal qual um acidente bíblico, uma coisa qualquer. É de suma importância, não fosse, nem estaria no Livro Sagrado.

É preciso  redescobrir as Sagradas Escrituras, o que, infelizmente, não é observado por muitos evangélicos.

Claro, existem os evangélicos que busca a equilibrada vivência da fé em comunidade e reconhece a igreja como um dom, nem que a principio seja apenas a sua denominação. Já é um passo para uma posterior descoberta da Igreja que foi fundada por Cristo e confiada a tutela de Pedro e seus sucessores como vigário de Cristo nesta terra.

Recomendado para você

23 Comentários

  • Lauro disse:

    Considero esse texto preconceituoso e superficial, pois força a vinculação de duas coisas: ateísmo e protestantismo de forma completamente equivocada.

    Cabe dizer, se o blogueiro não sabe, que os norte americanos são tipicamente protestantes, e não católicos. Sua cultura toda é protestante. Desta forma, o resultado não poderia ser outro.

    Além disso, particularmente sou ateu e era católico praticante. A totalidade de ateus que conheço também era católica.

  • Luis disse:

    Bom dia Vanderlucio,

    parabéns pelo texto. De fato muitas das seitas ditas “evangélicas” que ensinam que religição/igreja não salvam estão, na prática, dizendo ao fiel que ele não deve está em nenhuma igreja.

    Faltou você ressaltar que este pensamento, infelizmente, também invadiu a Igreja Católica. Nós Católicos temos de ter coragem de falar a verdade pras pessoas. Não faz muito, participei de uma formação pra catequistas e o formador, um seminarista, estava ensinando isso e sendo aplaudido. Quanto falei da Declaração Dominus Iesus o cidadão se enfureceu e bradou que igreja não salva, Papa não salva o que importa é Jesus… Tentei explicar que de fato é Jesus quem salva mas através da Igreja.. Mas foi em vão…

    Rezemos. Sejamos corajosos, mas também caridosos e ensinemos a Verdade. De outra forma seremos como os maus pastores evangélicos/protestantes que estão mandando as ovelhas para o lobo.

    Nossa Senhora, rogau por nós.

  • Isayas disse:

    O PROTESTANTISMO INCOERENTE E ULTRA RELATIVISTA.
    O protestantismo – historicamente todas as denominações cristãs fora da Igreja Católica Apostólica Romana, mesmo as outras adotantes de “católica e (ou) apostólica” no nome, foi alicerçado no dissenso e anti semita Lutero: entrou no convento sem vocação sacerdotal, mas para se abrigar por crime de morte cometido, por inveja; ordenou-se e se envolveu em adultérios, idem com os Rosacruzes, suicidando-se ao final. Adotou princípios gnósticos e deístas subjetivistas, como: aversão a superiores, no caso, ao poder hierárquico-doutrinário exercido pela Igreja à época. A esquerdista e relativista TL adotou-o sobremodo.
    Lutero evidenciou por suprimir o poder eclesial católico e sua rígida doutrina tradicional bíblico-patrística por um sistema mais flexível e individual, em que pessoas e comunidades autodeterminassem pastores, ensinariam a seu modo e critério; resultado: gradativa formação de milhares de seitas relativistas em que cada uma doutrina a seu modo ou conveniência, acusam-se mutuamente de heréticas, traduzindo-se num Evangelho e igrejas conversíveis a situações, interesses e muitos contrastes entre facções que, apesar dos paradoxos, afirmam cada uma inspirada pelo Espírito Santo(?)… A qual deles? De fato, cada evangélico é uma micro seita devido à interpretação pessoal que difere entre si por interpretarmos diferentemente uns dos outros. Há seitas abortistas, outras pró adultério, etc; a Eucaristia sim, outras não, o batismo de crianças sim, outras não, etc., e até homossexualistas e quase todas cultuam o esoterismo, similares a centros espíritas: manifestações de entidades, exorcismos de supostos maus espíritos ou para curas, histeria coletiva, rodopios, pessoas em aparentes transes – enfermando-se, o pastor não convoca outro para exorcizá-lo; vai ao médico. E suas as homilias sujeitam-se à aprovação ou não individual, tudo no mais absoluto relativismo doutrinário-hermenêutico, recheados de esoterismo-satanismo explícitos.
    Há supostos grupos RCCs dissidentes à Igreja praticando o pentecostalismo acima, não se diferindo em nada deles.
    Elos com nazistas: Hitler elegeu-se graças a votos dos estados protestantes, media de 47%, nos católicos 21%; se fosse a Alemanha católica não subiria ao poder e 99,4% dos pastores à época converteram-se em informantes pró-nazismo. E ainda atribuem injustamente ao S Padre Pio XII aliança a ele!
    Assim, nesse ideário relativista existia a antiga e esoterista maçonaria de antes do cristianismo, de Babilônia, do antigo Egito, etc., e sua legislação atual foi formalizada por James Anderson, pastor presbiteriano; por sinal, nos EUA e Europa os vínculos aproximam-se com o protestantismo – muitos pastores são maçons – e influenciaram a Revolução Francesa nos princípios – igualdade, liberdade e fraternidade – idem o espiritismo e o comunismo, o qual é apenas a transposição de idéias de Lutero-maçonaria para a práxis socialista-comunista, supostamente igualitarista, fraternal em meio a contrastes marcantes de povos e pessoas, pelo menos na sua proposta; de fato, uma tremenda farsa
    Taí o comunista PT que não deixa mentir com sua tramas e ciladas. falando a verdade só se for por engano.
    Há vídeos no You Tube e literários de pastores em recíprocas acusações de coligações ou pertença à maçonaria; o ídolos deles é a si mesmos, interpretação e seguimento da fé cristã a critério individual; são ateus envolvidos em capas de Bíblias.
    Sem dúvidas: o orgulho e soberba camuflam-se sob esses comportamentos; o progresso, a ciência e o modernismo tecnológico, cada vez mais aparentando resolver os problemas humanos estão a serviço de um reino luciferino que poderá eclodir, de um homem auto suficiente e neo deificista, mas tão cego ao não perceber sua submissão a nova tutela, nada diferindo o acima do pecado do homem no Éden, dando guarida ao orgulho e soberba de querer se igualar a Deus, aceito por nossos pais e vivenciados no protestantismo.
    Suas facções são “restaurantes self-services doutrinário-relativistas, hoje às dezenas de milhares com cardápio ao bel gosto de cada cliente, servidos por fantoches de Satanás.

  • jr melo disse:

    ´È para rir ou chorar , com o artigo preconceituoso , sectário e discriminatorio. Nao poderia ter partido de um catolico, reacinonario .Alias o catolicismo produz isso :SALVAÇao so na igreja do PAPA e se obcdecer os dogmas e “sacramentos;’ Ai se converter , blogueiro . PARA amenizar o tom de deboche e autoritarismo , o catolicismo escreve..Já é (….) um passo para uma posterior descoberta da Igreja que foi fundada por Cristo e confiada a tutela de Pedro “”LAmento irmao, mas oc crente genuinos ja sao lavados e remidos pelo sangue do cordeiro , cuja PEDRA Angular e eleita NAO É PEDRO e sim JESus de NAzare, a Rocha eterna e insubstituivel .AH, essa turma do Edir macedo e outros falsos profetas nao nos abala, pois JEsus ja nos advertiu sobre os falsos profetas. Siga a Cristo e nao olhe para o erro alheioa a final, se sua fe dependessev de algum padre pedofilo (aos montes existem) vc ja seria um ateu

  • Isayas disse:

    O PROTESTANTISMO INCOERENTE E ULTRA RELATIVISTA.
    O protestantismo – historicamente todas as denominações cristãs fora da Igreja Católica Apostólica Romana, mesmo as outras adotantes de “católica e (ou) apostólica” no nome, foi alicerçado no dissenso e anti semita Lutero: entrou no convento sem vocação sacerdotal, mas para se abrigar por crime de morte cometido, por inveja; ordenou-se e se envolveu em adultérios, idem com os Rosacruzes, suicidando-se ao final. Adotou princípios gnósticos e deístas subjetivistas, como: aversão a superiores, no caso, ao poder hierárquico-doutrinário exercido pela Igreja à época. A esquerdista e relativista Teologia da Libertação adotou-o sobremodo.
    Lutero evidenciou por suprimir o poder eclesial católico e sua rígida doutrina tradicional bíblico-patrística por um sistema mais flexível e individual, em que pessoas e comunidades autodeterminassem pastores, ensinariam a seu modo e critério; resultado: gradativa expansão de milhares de seitas em que cada uma doutrina a seu modo ou conveniência, acusam-se mutuamente de heréticas, traduzindo-se num Evangelho e igrejas conversíveis a situações, interesses e muitos contrastes entre facções que, apesar dos paradoxos, afirmam cada uma inspirada pelo Espírito Santo(?)… A qual deles? De fato, cada evangélico é uma micro seita devido à interpretação pessoal que difere entre si por interpretarmos diferentemente uns dos outros. Há seitas abortistas, outras pró adultério, etc; a Eucaristia sim, outras não, o batismo de crianças sim, outras não, etc., e até homossexualistas e quase todas cultuam o esoterismo, similares a centros espíritas: manifestações de entidades, exorcismos de supostos maus espíritos ou para curas, histeria coletiva, rodopios, pessoas em aparentes transes – enfermando-se, o pastor não convoca outro para exorcizá-lo; vai ao médico. E suas as homilias sujeitam-se à aprovação ou não individual, tudo no mais absoluto relativismo doutrinário-hermenêutico.
    Há supostos grupos RCCs dissidentes à Igreja praticando o pentecostalismo acima, não se diferindo em nada deles.
    Elos com nazistas: Hitler elegeu-se graças a votos dos estados protestantes, media de 47%, nos católicos 21%; se fosse a Alemanha católica não subiria ao poder e 99,4% dos pastores à época converteram-se em informantes pró-nazismo. E ainda atribuem injustamente ao S Padre Pio XII aliança a ele!
    Assim, nesse ideário relativista existia a antiga e esoterista maçonaria de antes do cristianismo, de Babilônia, do antigo Egito, etc., e sua legislação atual foi formalizada por James Anderson, pastor presbiteriano; por sinal, nos EUA e Europa os vínculos aproximam-se com o protestantismo – muitos pastores são maçons – e influenciaram a Revolução Francesa nos princípios – igualdade, liberdade e fraternidade – idem o espiritismo e o comunismo, o qual é apenas a transposição de idéias de Lutero-maçonaria para a práxis socialista-comunista, supostamente igualitarista, fraternal em meio a contrastes marcantes de povos e pessoas, pelo menos na sua proposta; de fato, uma tremenda farsa.
    Há vídeos no You Tube e literários de pastores em recíprocas acusações de coligações ou pertença à maçonaria; o ídolos deles é a si mesmos, interpretação e seguimento da fé cristã a critério individual; são ateus envolvidos em capas de Bíblias.
    Sem dúvidas: o orgulho e soberba camuflam-se sob esses comportamentos; o progresso, a ciência e o modernismo tecnológico, cada vez mais aparentando resolver os problemas humanos estão a serviço de um reino luciferino que poderá eclodir, de um homem auto suficiente e neo deificista, mas tão cego ao não perceber sua submissão a nova tutela, nada diferindo o acima do pecado do homem no Éden, dando guarida ao orgulho e soberba de querer se igualar a Deus, aceito por nossos pais e vivenciados no protestantismo.
    Suas facções são “restaurantes self-services doutrinário-relativistas, hoje às dezenas de milhares com cardápio ao bel gosto de cada cliente.

  • Alexandre disse:

    Vanderlúcio,
    Dizer que as Sagradas Escrituras, não é observado por muitos evangélicos, é uma piada, é para morrer de rir. Me responda o seguinte, quando foi que um padre pegou uma Bíblia em algum programa para argumentar algo com relação a sua religião? Eu nunca vi. Você está colocando uma característica dos católicos como se fosse dos cristãos evangélicos, quem nunca lê Bíblia são os católicos, porque se lessem, com certeza estariam a par das verdades de Deus, porque é a Palavra que liberta. Como já disse, igreja católica segue ritos humanos, não segue a Bíblia, é por isso que é muito cômodo para muitos católicos viver na igreja católica, sabe porque? Porque pode ser católico e macumbeiro ao mesmo tempo que não tem nenhum problema, pode ser católico e ter várias mulheres que não tem problema, pode ser católico e beber sua cerveginha que não tem problema, pode ser católico e cometer um monte de pecados que é só rezar um pouquinho e se confessar para o padre e está tudo certo, etc…….. Pelo amor de Deus, para de brincadeira. Deus não divide a sua Glória com ninguém, ele é Soberano, Ele é Senhor. Só mais um detalhe, é por isso que a Igreja Evangélica cresce, porque lê a Palavra de Deus, e quanto as pessoas que você diz que eram protestantes e foram para alguma seita é porque nunca tiveram um encontro verdadeiro com o Senhor da Vida, Jesus Cristo Nosso Senhor.
    Mais uma vez!

  • GENTE COM TODO RESPEITO FIQUEI ESPANTADO COM O QUE LI.SOMOS FILHOS DE NOSSO SENHOR JESUS,NOSSO SALVADOR,REDENTOR, INTERCESSOR E SUMO-SACERDOTE NO SANTUÁRIO CELESTIAL Á DIREITA DO PAI,E CRISTO NÃO NOS ENSINOU A JULGAR,CONDENAR,MASSACRAR,MAS AMAR A DEUS E AO PRÓXIMO SEGUNDO Á SUMA DOS DEZ MANDAMENTOS REPETIDA NOS EVANGELHOS;COMO SEREMOS CRISTÃOS A EXEMPLO DO APÓSTOLO PAULO,QUE DE PERSEGUIDOR, PASSOU A EMBAIXADOR DO EVANGELHO OU DE CRISTO ASSIM COMO OS OUTROS,OU DE MARTINHO LUTERO QUE PREGOU ,O JUSTO VIVERÁ PELA FÉ NO PRECIOSO SANGUE DERRAMADO NA CRUZ PELO NOSSO QUERIDO JESUS,PORTANTO,DIGO,QUE SE ALMEJAMOS UMA PÁTRIA CELESTIAL,EU,TODOS,PRECISAMOS AMAR COMO CRISTO NOS AMOU,SERMOS TOLERANTES DE ACORDO COM A BÍBLIA,E QDO TIVER CHEGO O FIM,RECEBEREMOS A COROA DA VIDA E VIVEREMOS ETERNAMENTE COM NOSSO GLORIOSO E QUERIDO PAI NAQUELA BENDITA E TÃO AGUARDADA MANHÃ GLORIOSA.FIQUEM TODOS COM O BONDOSO DEUS!

  • “Siga a Cristo e nao olhe para o erro alheioa a final, se sua fe dependessev de algum padre pedofilo (aos montes existem) vc ja seria um ateu”

    Vc tem provas do que vc tá dizendo?Tem estatísticas?Fundamentos?Ou só achismo?Para mim é um achismo. Parabéns Vanderlúcio, tocou num dedo na ferida exposta e que incomoda.

  • FLÁVIA disse:

    LAURO disse tudo o que queria (:

  • Lilian disse:

    São os 03 nãos do protestantismo. Primeiro se diz não a Igreja. Depois dizem não a Jesus, algo que já está acontecendo e finalmente dirão o não a DEUS.
    Na Europa protestante o cristianismo praticamente desapareceu.

    Afinal, foi o próprio Jesus quem disse que reino dividido contra si mesmo não fica de pé. Exatamente o que acontece com o protestantismo em suas 50 ou 60 mil seitas divergentes entre si.

    Parabéns pela matéria.

  • Alexandre disse:

    Lilian,
    Se o protestante que acredita na Palavra de Deus é seita a igreja católica que não entende nada de Bíblia é o que?

  • Edson disse:

    Concordo plenamente com este artigo.

    É só ver o principal argumento utilizado pelos ateus, a tal contradição da Bíblia.

    Quando passa existir a interpretação pessoal do texto sagrado da Bíblia que veio por meio do advento do Protestantismo, então surge o relativismo interpretativo e leitura ao pé da letra de versículos bíblicos. Cria-se assim, a falsa imagem de que a Bíblia é contraditória, os ateus utilizam-se deste fato como principal argumento.

    Ateísmo utiliza-se do mesmo instrumento, a interpretação individual da Bíblia, só que com a intenção de negar a palavra de Deus contida nas sagradas escrituras.

    Não é por acaso que o Ateísmo é mais forte em países de tradição protestante, cuja a única exceção era os EUA, que infelizmente caminha pelo mesmo caminho de países como Holanda, Suécia, etc.

    Agendas anti-cristã, anti-família e socialistas são mais fáceis de implantar em países de tradição protestante. Veja que os países em que a degradação é maior são Suécia, Noruega e Holanda.

    Veja que a Holanda, país de tradição protestante, que não tinha uma Igreja de Estado como a Inglaterra (Anglicanismo), por isso não tinha limites para segmentação em seitas típica do Protestantismo. Enquanto em território britânico, a unidade mantida pelo Estado através da Igreja Anglicana, provocou uma grande migração de britânicos católicos e de outras igrejas protestantes para o Continente Americano e Oceania. Esta motivação não ocorreu na Holanda secularizada desde o século 16.

    Não é por acaso que a Holanda é a primeira aprovar todos absurdos anti-cristão e do chamado marxismo cultural. Lá nos Países Baixos é legalizado o aborto, prostituição, casamento gay e drogas, além da agenda em favor da pedofilia começa a ser implantada com a tentativa de criar até um partido.

    Depois da Holanda, espalha-se em direção aos países de tradição protestante com a chamada Igreja Protestante de Estado (Anglicana, Luterana, etc.) como a Suécia, a Noruega, o Reino Unido, etc, pois nestes não existem mais leis que restringem a segmentação religiosa protestante desde os séculos 18 e 19.

    Neste sentido, a Suécia vem depois da Holanda como a pioneira nas absurdidades imorais, com seus efeitos devastadores disfarçados pela prosperidade material, que camufla a decadência moral para quem é cego e não enxerga a verdade ou não quer vê-la.

    Um dos poucos países protestantes que ainda resiste a isto é os EUA, porém este está decaindo moralmente rapidamente, principalmente quando a maioria de sua população elegeu Obama duas vezes.

    Infelizmente começa nestes países de maioria protestante e/ou ateia (EUA, Holanda, Reino Unido, Suécia, etc.) e espalha-se em direção a países católicos também, pois desde o Concílio Vaticano II, infelizmente a Igreja Católica está sendo destruída por dentro por seus inimigos, ou seja, a única e verdadeira resistência contra o AntiCristo. Mas a Santa Madre Igreja resistirá a este ataque, mesmo que sobre poucos fiéis no fim dos tempos.

  • Lilian disse:

    Em todos os países originalmente protestantes o ateísmo agora é ordem do dia.

    O Jesus triunfalista no luga do Jesus da cruz trás as promessas não atendidas e os caprichos e desejos não resolvidos. Logo surge a decepção com DEUS.

    Interpretação literal da Bíblia gerando absurdos teológicos que trazem desconforto e tristeza.

    Não por acaso, aqui mesmo no Brasil, o IBGE já apontou que o grupo dos Sem Igreja de natureza evangélica já soma 7 milhões de pessoas dececpcionadas e descrentes com tudo e com todos.

  • Alexandre disse:

    Lilian,
    Deixa eu rir um pouquinho só tá.
    Percentual de católicos no Brasil cai a 57%, segundo pesquisa Data folha. E estes milhares de católicos que saíram da Igreja Católica, se decepcionaram com o que? Será que foi por causa de exemplos como O segredo por trás da renúncia do Papa Bento XVI.

    Mais do que querelas teológicas, são o dinheiro e as contas sujas do banco do Vaticano os elementos que parecem compor a trama da inédita renúncia do papa. Um ninho de corvos pedófilos, articuladores de complôs reacionários e ladrões sedentos de poder, imunes e capazes de tudo para defender sua facção.
    A história secreta da renúncia de Bento XVI: o Vaticano não é mais do que um reflexo pontual e decadente da própria decadência do sistema católico.
    Deixa de brincadeira Lilian.

  • Hudson disse:

    Mais um ignorante que não sabe a diferença entre protestantismo e evangelicalismo. Um ignorante é sempre um ignorante! Só mais um outro que fez “profundas” observações e chegou a uma “brilhante” conclusão. Depois que conversou com alguns adolescentes, chegou a conclusão que… Bravo!! Científico!!
    É como se eu dissesse: “as vacas não acreditam em Deus, logo, todo ateu é uma vaca”!!! Ah, tenha dó!
    Sempre pensei que o ateísmo fosse produto de reflexões filosóficas, mas para o tonto aí acima, ateísmo é produto de adolescentes protestantes (evangélicos!!).
    Ateísmo, meu caro gênio pesquisador, é produto do subjetivismo irracional. Alguém fica com raivinha do papai-do-céu e resolve fazer beicinho para ele: “não vou mais acreditar em você, viu? Você me fez sofrer!” Pobrezinho desamparado!
    Tá, para um cerebrozinho que compartilhou DNA com macaco, é mais fácil acreditar que uma ameba (por puro acaso) virou o Pelé, do que acreditar que o universo é produto da inteligência!
    Ignorante!!!

  • Bel e Anderson disse:

    Alexandre você menciona a história secreta da renúncia de Bento XVI.

    Se é secreta como você sabe ?

    E se você sabe por que não conta, prova e denuncia ?

    Conte ao mundo o segredo da renúncia do Papa Bento XVI.

  • Alexandre disse:

    Já que perguntou, aí está, agora vê se lê, e aprende um pouquinho sobre o Vaticano.

    O Papa Bento XVI decidiu renunciar em março passado, depois de regressar de sua viagem ao México e a Cuba. Naquele momento, o papa, que encarna o que o diretor da École Pratique des Hautes Études de Paris (Sorbonne), Philippe Portier, chama “uma continuidade pesada” de seu predecessor, João Paulo II, descobriu em um informe elaborado por um grupo de cardeais os abismos nada espirituais nos quais a igreja havia caído: corrupção, finanças obscuras, guerras fratricidas pelo poder, roubo massivo de documentos secretos, luta entre facções, lavagem de dinheiro. O Vaticano era um ninho de hienas enlouquecidas, um pugilato sem limites nem moral alguma onde a cúria faminta de poder fomentava delações, traições, artimanhas e operações de inteligência para manter suas prerrogativas e privilégios a frente das instituições religiosas.

    Muito longe do céu e muito perto dos pecados terrestres, sob o mandato de Bento XVI o Vaticano foi um dos Estados mais obscuros do planeta. Joseph Ratzinger teve o mérito de expor o imenso buraco negro dos padres pedófilos, mas não o de modernizar a igreja ou as práticas vaticanas. Bento XVI foi, como assinala Philippe Portier, um continuador da obra de João Paulo II: “desde 1981 seguiu o reino de seu predecessor acompanhando vários textos importantes que redigiu: a condenação das teologias da libertação dos anos 1984-1986; o Evangelium vitae de 1995 a propósito da doutrina da igreja sobre os temas da vida; o Splendor veritas, um texto fundamental redigido a quatro mãos com Wojtyla”. Esses dois textos citados pelo especialista francês são um compêndio prático da visão reacionária da igreja sobre as questões políticas, sociais e científicas do mundo moderno.

    O Monsenhor Georg Gänsweins, fiel secretário pessoal do papa desde 2003, tem em sua página web um lema muito paradoxal: junto ao escudo de um dragão que simboliza a lealdade o lema diz “dar testemunho da verdade”. Mas a verdade, no Vaticano, não é uma moeda corrente. Depois do escândalo provocado pelo vazamento da correspondência secreta do papa e das obscuras finanças do Vaticano, a cúria romana agiu como faria qualquer Estado. Buscou mudar sua imagem com métodos modernos. Para isso contratou o jornalista estadunidense Greg Burke, membro da Opus Dei e ex-integrante da agência Reuters, da revista Time e da cadeia Fox. Burke tinha por missão melhorar a deteriorada imagem da igreja. “Minha ideia é trazer luz”, disse Burke ao assumir o posto. Muito tarde. Não há nada de claro na cúpula da igreja católica.

    A divulgação dos documentos secretos do Vaticano orquestrada pelo mordomo do papa, Paolo Gabriele, e muitas outras mãos invisíveis, foi uma operação sabiamente montada cujos detalhes seguem sendo misteriosos: operação contra o poderoso secretário de Estado, Tarcisio Bertone, conspiração para empurrar Bento XVI à renúncia e colocar em seu lugar um italiano na tentativa de frear a luta interna em curso e a avalanche de segredos, os vatileaks fizeram afundar a tarefa de limpeza confiada a Greg Burke. Um inferno de paredes pintadas com anjos não é fácil de redesenhar.

    Bento XVI acabou enrolado pelas contradições que ele mesmo suscitou. Estas são tais que, uma vez tornada pública sua renúncia, os tradicionalistas da Fraternidade de São Pio X, fundada pelo Monsenhor Lefebvre, saudaram a figura do Papa. Não é para menos: uma das primeiras missões que Ratzinger empreendeu consistiu em suprimir as sanções canônicas adotadas contra os partidários fascistóides e ultrarreacionários do Mosenhor Levebvre e, por conseguinte, legitimar no seio da igreja essa corrente retrógada que, de Pinochet a Videla, apoiou quase todas as ditaduras de ultradireita do mundo.

    Bento XVI não foi o sumo pontífice da luz que seus retratistas se empenham em pintar, mas sim o contrário. Philippe Portier assinala a respeito que o papa “se deixou engolir pela opacidade que se instalou sob seu reinado”. E a primeira delas não é doutrinária, mas sim financeira. O Vaticano é um tenebroso gestor de dinheiro e muitas das querelas que surgiram no último ano têm a ver com as finanças, as contas maquiadas e o dinheiro dissimulado. Esta é a herança financeira deixada por João Paulo II, que, para muitos especialistas, explica a crise atual.

    Em setembro de 2009, Ratzinger nomeou o banqueiro Ettore Gotti Tedeschi para o posto de presidente do Instituto para as Obras de Religião (IOR), o banco do Vaticano. Próximo à Opus Deis, representante do Banco Santander na Itália desde 1992, Gotti Tedeschi participou da preparação da encíclica social e econômica Caritas in veritate, publicada pelo papa Bento XVI em julho passado. A encíclica exige mais justiça social e propõe regras mais transparentes para o sistema financeiro mundial. Tedeschi teve como objetivo ordenar as turvas águas das finanças do Vaticano. As contas da Santa Sé são um labirinto de corrupção e lavagem de dinheiro cujas origens mais conhecidas remontam ao final dos anos 80, quando a justiça italiana emitiu uma ordem de prisão contra o arcebispo norteamericano Paul Marcinkus, o chamado “banqueiro de Deus”, presidente do IOR e máximo responsável pelos investimentos do Vaticano na época.

    João Paulo II usou o argumento da soberania territorial do Vaticano para evitar a prisão e salvá-lo da cadeia. Não é de se estranhar, pois devia muito a ele. Nos anos 70, Marcinkus havia passado dinheiro “não contabilizado” do IOR para as contas do sindicato polonês Solidariedade, algo que Karol Wojtyla não esqueceu jamais. Marcinkus terminou seus dias jogando golfe em Phoenix, em meio a um gigantesco buraco negro de perdas e investimentos mafiosos, além de vários cadáveres. No dia 18 de junho de 1982 apareceu um cadáver enforcado na ponte de Blackfriars, em Londres. O corpo era de Roberto Calvi, presidente do Banco Ambrosiano. Seu aparente suicídio expôs uma imensa trama de corrupção que incluía, além do Banco Ambrosiano, a loja maçônica Propaganda 2 (mais conhecida como P-2), dirigida por Licio Gelli e o próprio IOR de Marcinkus.

    Ettore Gotti Tedeschi recebeu uma missão quase impossível e só permaneceu três anos a frente do IOR. Ele foi demitido de forma fulminante em 2012 por supostas “irregularidades” em sua gestão. Tedeschi saiu do banco poucas horas depois da detenção do mordomo do Papa, justamente no momento em que o Vaticano estava sendo investigado por suposta violação das normas contra a lavagem de dinheiro. Na verdade, a expulsão de Tedeschi constitui outro episódio da guerra entre facções no Vaticano. Quando assumiu seu posto, Tedeschi começou a elaborar um informe secreto onde registrou o que foi descobrindo: contas secretas onde se escondia dinheiro sujo de “políticos, intermediários, construtores e altos funcionários do Estado”. Até Matteo Messina Dernaro, o novo chefe da Cosa Nostra, tinha seu dinheiro depositado no IOR por meio de laranjas.

    Aí começou o infortúnio de Tedeschi. Quem conhece bem o Vaticano diz que o banqueiro amigo do papa foi vítima de um complô armado por conselheiros do banco com o respaldo do secretário de Estado, Monsenhor Bertone, um inimigo pessoal de Tedeschi e responsável pela comissão de cardeais que fiscaliza o funcionamento do banco. Sua destituição veio acompanhada pela difusão de um “documento” que o vinculava ao vazamento de documentos roubados do papa.

    Mais do que querelas teológicas, são o dinheiro e as contas sujas do banco do Vaticano os elementos que parecem compor a trama da inédita renúncia do papa. Um ninho de corvos pedófilos, articuladores de complôs reacionários e ladrões sedentos de poder, imunes e capazes de tudo para defender sua facção. A hierarquia católica deixou uma imagem terrível de seu processo de decomposição moral. Nada muito diferente do mundo no qual vivemos: corrupção, capitalismo suicida, proteção de privilegiados, circuitos de poder que se autoalimentam, o Vaticano não é mais do que um reflexo pontual e decadente da própria decadência do sistema.

    TÁ BOM O QUER MAIS.

  • Lilian disse:

    O protestantismo leva ao ateísmo não porque negue o Senhor Jesus, muito embora já tenhamos visto alguns ícones do segmento ignorarem o Senhor da Glória.

    Podemos citar uma das 446.980 Assembléias de DEUS, no caso Madureira/RJ, que abraçou o Reverendo Moon que nega a perfeição da obra de Cristo.

    Apóstata do inferno ! Maldito Moon que ganhou acolida na Assembléia de DEUS.

    Temos ainda Terra Nova que diz que devemos perdoar a DEUS por seus “erros”.

    Citamos ainda Valdemiro Santiago que nega que Cristo seja DEUS.

    Sobre estes está escrito que chegariam ao ponto de renegarem o Senhor que lhes resgatou.

    Mas acredito que pelo menos por enquanto a maior parte se mantém firme quanto a necessidade de Jesus Cristo para a salvação e seu caráter divino.

    O que ocorre é que o evangelho falso pregado por estas denominações, o evangelho triunfalista sem cruz, acaba não produzindo os resultados esperados pelos crentes e assim gera decepções.

    Entre os pregadores lunáticos que assistimos por aí podemos citar o casal Hernandez, Ana Paula Valadão, Macedo e Malafaia.

    Neste sentido, sem dúvida o protestantismo que promete uma vida sem renúncia é de fato a porta de entrada para o ateísmo.

    Bem diferente das seitas que andam por aí distorcendo a mensagem cristã, temos ainda as denominações históricas do protestantismo com compromissos sérios na implantação do reino de DEUS já nesta vida.

  • Bel e Anderson disse:

    Os países onde o protestantismo predominava, são hoje em dia os países mais ateus do mundo.

    A idéia de que DEUS está obrigado a atender aos nossos caprichos é fruto das distorções bíblicas produzidas por ignorantes e outros de má-fé.

    A livre interpretação proposta por Lutero criou uma série de “super poderosos” com ar de superioridade.

    Basta surgir alguém com terno e gravata e Bíblia debaixo do braço que já se tem um novo “mestre” das Escrituras e possível fundador de Igreja.

    Não por acaso surgem entre aqueles que recusam o Evangelho de Cruz expressões do tipo:

    .Tome posse de sua benção;
    .DEUS irá restituir tudo que o diabo tomou;
    .DEUS irá lhe dar prosperidade,
    .Exija de DEUS as suas bençãos;
    .Eu determino;
    .Eu exijo;
    .Eu declaro;
    .Eu profetizo;

    É óbvio que a decepção é grande.

    E depois de passar por inúmeras seitas sem obter os resultados esperados, é lógico que o ateísmo é o caminho natural.

    O maior dos apóstolos, Paulo, que não fundou Igrejas, mas submeteu-se aos menos letrados, conviveu a vida inteira com o espinho na carne.

    Não exigiu para si cura de qualquer tipo. Pelo contrário, dizia o Santo que na sua fraqueza DEUS lhe fazia forte.

    Jesus Cristo orando ao pai próximo ao tempo de sua paixão disse: “…Pai, se possível, afasta de mim este cálice. Mas não seja feita a minha e sim a tua vontade.”

    Quem além de Jesus Cristo poderia exigir algo de DEUS ?

    Pois este mesmo nada pediu para si.

    E são estes auto suficientes e “doutores” que dizem por aí:

    .Eu não preciso de Igreja;
    .Eu não preciso de Papa;
    .Eu não preciso de Santos;
    .Eu não preciso me confessar;
    .Eu não preciso de sacramentos;
    .Eu não preciso da Virgem Maria;
    .Eu não preciso de penitência;
    .Eu não preciso de indulgências;
    .Eu não preciso de Eucaristia.

    Pois então continuem os justos a praticarem as obras de justiça.

    E continuem os filhos da carne a praticarem as doutrinas de homens.

    A Lutero o que é próprio de Lutero e a DEUS o que é de DEUS.

    Martinho Lutero pai dos evangélicos: “Quem não crê como eu está destinado ao inferno. O meu juízo e o juízo de DEUS são a mesma coisa.”

  • Alexandre disse:

    João 14:21-24 diz assim a Palavra de Deus:

    21 Aquele que tem os meus mandamentos e os GUARDA esse é o que me ama; e aquele que me ama será amado de meu Pai, e eu o amarei, e me manifestarei a ele.

    22 Disse-lhe Judas (não o Iscariotes): Senhor, de onde vem que te hás de manifestar a nós, e não ao mundo?

    23 Jesus respondeu, e disse-lhe: Se alguém me ama, GUARDARÁ A MINHA PALAVRA, e meu Pai o amará, e viremos para ele, e faremos nele morada.

    24 Quem NÃO me ama NÃO GUARDA AS MINHAS PALAVRAS; ora, a palavra que ouvistes não é minha, mas do Pai que me enviou.

    Observe que o Senhor faz uma relação entre amá-lo e OBEDECER-LHE. Amar a Cristo significa guardar seus mandamentos. Mas não podemos guardar seus mandamentos, a menos que esquadrinhemos a ESCRITURAS para descobrir quais são.

    JESUS É BEM CLARO QUANDO DIZ: Se alguém me ama, GUARDARÁ A MINHA PALAVRA.
    Jesus não disse para guardar nenhuma tradição católica, porque para os católicos a tradição católica tem o mesmo valor da Bíblia, dá para acreditar nisso!

    É verdade que Maria tem que ser colocada em seu lugar, onde a Bíblia amostra, somente.

  • Walter disse:

    A nota está totalmente equivocada. Estão comparando “protestantismo” com denominações que adota a Teologia da Prosperidade, sendo que os unicos que prosperam são os dirigentes ou até donos de franquia, e em beneficio próprio. O protestantismo nasceu principalmente de uma atitude incorreta da igreja da época, que era a venda de indulgências para perdão dos pecados, e isto foi devidamente reconhecida incorreta pelo papa anterior, cardeal Rätzinger, profundo estudioso e teólogo. Apenas Lutero descobriu que o “justo viverá pela fé”, não apenas por suas obras. E aliás, os incentivos das igrejas católicas para adquirir materiais de “santos” (folhetos, estátuas, peregrinações obrigatórias, tec), não divergem muito do que a igreja de 1500 fazia. Não acham? Portanto, não misturem teologia da prosperidade com protestantismo.

\

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *