Ancoradouro

Professora da UFC manda para blogueiro um VTNC

392 4

A professora da Universidade Federal do Ceará Lola Aronovich usou sua conta no twitter nesta  sexta-feira, 4 de abril, para mandar ao titular deste blog um VTNC. A sigla contém as iniciais de uma expressão chula, no mínimo, descabida para uma professora universitária. 

Lola escreveu o tweet “Machistas q vivem dizendo q mulher q usa pouca roupa merece ser atacada comemoram loucamente erros do Ipea” com link para postagem em seu blog:  http://bit.ly/1lwk6fr “. Em resposta, na tentativa de travar um diálogo, o titular do ANCORADOURO postou a frase: “Não se comemora erro, se lamenta. Lamenta-se também a ingenuidade de tantas mulheres se deixarem manipular”.

Foi o suficiente para a docente disparar (imagem abaixo) o insulto: “Honey, deixa eu te dedicar um VTNC antes de te bloquear. Obg.” Na resposta posterior do blogueiro, a decepção de ler uma mensagem abjeta de quem se esperaria uma discussão madura. “Como toda pessoa de igual mentalidade,não consegue travar um diálogo. Que pena professora, pensei que a senhora fosse diferente”.

Lola manda que blogueiro VTNC

Lola manda que blogueiro VTNC

A professora Lola  Aronovich  é conhecida pela militância feminista inclusive contra a violência sexual, mas se contradisse ao usar uma expressão com conotação de violência sexual  ao  interlocutor.

O que esperar de uma professora que se recusa a travar um diálogo de respeito e ainda trata com insulto uma pessoa?  De fato, o problema de nosso país tem sua raiz na educação, aliás, na falta dela. 

Pourquoi tant de haine, Lola? (Por que tanto ódio, Lola?). Ditado francês com grifos do autor.

Outro caso

O que estaria acontecendo com alguns professores universitários. No início do ano o filósofo Paulo Ghiraldeli escreveu em sua conta no Facebook que desejava que em 2014 a jornalista Rachel Scheherazade fosse estuprada. Alertado sobre denúncias pelo insulto simplesmente desconsiderou, pois segundo ele, pagaria algumas cestas básicas e estaria livre (leia sobre o caso, aqui).

p.s: Lola é professora de Letras na UFC. 

 

Recomendado para você

4 Comentários

  • Thiago disse:

    Você lamentou a ingenuidade de tantas mulheres, agora deveria lamentar a sua própria ingenuidade em acreditar em esquerdistas, feministas etc.

  • Luis disse:

    Imagine a qualidade dos alunos que são formados tendo professoras nesse baixo nível… Depois são religiosos os fundamentalistas…

  • Karol Bang disse:

    Já não me agrada este movimento social. Vejo como um preconceito. Sou contra tanta distinção. Gênero , cor, raça. E este tipo de comportamento me parece no mínimo estúpido.

  • Anna Celico disse:

    Caro autor desse blog,

    Eu vi e compartilhei seu post no Facebook porque o grau de descompensação dessa senhora é inaceitável e é daí para baixo.

    Eu já fui “vítima” desse senhora que já me ofendeu chegando a publicar injúrias em seu blog (inclusive tenho BO e pretendo representar) porque “questionei” que algumas feministas, como ela, haviam se calado sobre os casos de estupro de meninas menores por Eduardo Gaievski, ex-assessor da Casa Civil e ex-prefeito, e sobre o caso filósofo Paulo Ghiraldelli que disse que Rachel Sheherazade deveria ser estuprada… (este que, inclusive, você citou no seu artigo). Aliás, sobre esse último, apesar ter apagado os tweets alegando que “foi o hacker” continua ofendendo Rachel Sheherazade, acusando-a de aborto e desejando-lhe estupro, uma NOJEIRA sem fim. Outro evento que a deixou com tanta raiva de mim, a ponto de vasculhar minha vida e postar sobre mim, foi porque questionei, como ela sendo uma pessoa que se diz amante de animais, VENDER casaco de pele através do blog de seu marido. Não que seja crime o uso de peles de animais, mas é completamente amoral (além de cafona num país quente como o nosso) e se as pessoas acham que é casaco de pele é bobagem, deveriam pelo menos se informar sobre a crueldade que é realizada com estes animais para lhes arrancar a pele ainda vivos (quem tiver “estômago” pode procurar vídeos na internet)

    Eu não me considero uma feminista, mas acredito que aquelas que se autodeclaram como ativistas e que espalham aos quatro cantos que seus blogs são os mais vistos sobre o assunto (conforme entrevista dela concedida à revista Trip), tem OBRIGAÇÃO MORAL de se manifestar sobre o assunto, o que não fazem apenas por interesses políticos. Comercializar pele de um animal que sofreu crueldades ainda vivo então, é de uma frieza e falta de empatia sobrenaturais.

    Uma vez no Twitter eu disse que ela estava “surtando” e fui duramente repreendida por uma pessoa por isso, mas se o que ocorre com várias pessoas, como o descrito acima por você e até comigo, não é exemplo de “surto” de uma pessoa descompensada que não admite ser contrariada, então eu não sei mais o que pode ser.

    O que eu sei é que, independente de interesses ou ideologias, inclusive políticas, e sendo eu uma pessoa que é na internet aquilo que ela é na vida online, eu jamais permitira que um(a) filho(a) meu(minha) tivesse aulas com essa senhora. Já tive uma professora de Literatura que me repetiu porque que foi contrariada por mim e sei bem como essas pessoas são. Se ela é valente assim na internet, imaginem dentro de uma sala de aula onde deve se sentir “deus”. Uma pessoa que não sabe ou não consegue lidar com as diferenças e nem com as adversidades, sem antes bloqueá-las, xingá-las e ofendê-las, sinceramente, não pode fazer ativismo de causa e, muito menos, dar aulas ara adultos em formação.

    Mas essa é minha humilde opinião pessoal.

\

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco + dezesseis =