Ancoradouro

Senador Eduardo Girão participa da Marcha Pela Vida em Washington

949 8

O senador cearense Eduardo Girão está em Washington (EUA) para participar da March for Life, pelo quinto ano consecutivo, evento realizado desde 1974 e que inspirou a Marcha pela Vida brasileira. O evento acontece nesta sexta-feira (18). A expectativa é que cerca de 800 mil pessoas participem do ato.

Eduardo Girão, senador pró-vida.

A marcha reúne ativistas pró-vida contrários à prática do aborto. O evento, este ano, deve contar com a presença do vice-presidente americano, Mike Pence. Para o senador Eduardo Girão, o evento carrega uma missão nobre e ao mesmo tempo importante, de buscar uma reflexão sobre a prática do aborto, tendo em vista suas consequências.

“A ciência comprova que quando se faz um aborto, não é só a vida do bebê que é destruída, a saúde da mulher fica comprometida para o resto da vida, com questões psicológicas, sentimentais e físicas, tendo maior probabilidade de ter depressão, levando muitas vezes ao suicídio, e tendo problemas com drogas e álcool”, pontua o senador.

 

Eduardo Girão  acredita que a mobilização da sociedade em torno do assunto, deve reverter à decisão da corte suprema que legalizou o aborto nos Estados Unidos. “As pessoas não se intimidam, vão para as ruas com cartazes e eu sempre me surpreendo com essa mobilização. É um evento que cresce a cada edição, por isso, eu acredito que em mais uns dois anos, no máximo, com esse crescimento e despertar das pessoas, eles revertem a lei do aborto nos EUA”, prevê o senador.

Marcha pela Vida em Fortaleza já acontece há dez anos.

Em 1973, a corte suprema americana decidiu que o aborto deveria ser legalizado. Desde então, a Marchs For Life acontece. O evento é organizado por membros do movimento pró-vida, que buscam  sensibilizar a comunidade americana. “Esse assunto precisa ser esclarecido para que seja poupada a vida de mulheres e de crianças inocentes. Com o advento dos métodos contraceptivos é bom se prevenir, porque a partir do momento que a vida é concebida, é vida, e a vida precisa de dignidade, de respeito, desde a sua concepção até a sua morte natural”, declarou o senador.

Padre Rafhael Maciel discursa na Marcha pela Vida, em Fortaleza.

Eduardo Girão é um dos fundadores do Movida, uma organização sem fins lucrativos que promove ações pela vida e contra o aborto, que anualmente promove a Marcha Pela Vida em Fortaleza. O evento já acontece há 10 anos na capital cearense.

Recomendado para você

8 Comentários

  • rangel brasil disse:

    BEM feito, para os OTÁRIOS que o elegeram. Mais um MIDIÁTICO que usou alguns CEARENSES para trampolim, e se ESCAFEDER dessa terra SECA. Igual ao MORONI, MAGNO MALTA… Mil vezes o EUNÍCIO, que com toda perseguição, trouxe para o CEARÁ, VERBAS e PARCERIAS para o estado.

  • Guilherme Sampaio disse:

    O Ceará pegando fogo e o cabra vai pra Washington participar de passeata. COVARDE! Quem te elegeu não foi os americanos não, tá? Vai pagar por isso, traidor! Próxima eleição vamos ver se você vai fazer campanha em Washington também, rsrs

  • Cristiano Mützenberg disse:

    Muito bem! Gostaria que mais políticos também seguissem o exemplo.

  • Luiz fernando disse:

    Louvável atitude do Senador , mas devia lutar também contra o a posse, porte de arma ele está totalmente omisso

  • Eliana Barroso disse:

    O Senador fala que a vida precisa de dignidade e respeito…Certo, até sua morte natural. Mas o que dizer dos pais irresponsáveis que dão a vida sem pensarem nas consequências? E quando se morre de forma violenta, como acontece não raramente nos lugares mais sórdidos de uma cidade imunda, o que fazem as autoridades? Promovem uma vida melhor para essa gente ? O aborto pode não ser a melhor solução, mas nas primeiras semanas de gravidez o embrião ainda não está formado completamente e não é como morrer de facada na rua, quando ainda se é criança e vive sem nenhuma assistência ou é deixado nas mãos de criminosos. Isso não é vida ! É claro que os métodos contraceptivos existem, mas às vezes falham, e nem sempre o preservativo ou a pílula garantem. Vamos ser realistas, não vivemos em conto de fadas e acontecem casos de abuso sexual até dentro de casa, estupro de menor, de meninas que engravidam mal chegando na puberdade. Elas também vão ficar traumatizadas pelo resto de suas existências, e por cima o filho vai sofrer a consequência da situação dela. Um aborto seguro, dentro dos limites, em ambiente hospitalar e com assistência psicológica, seria o mais correto. Ou não? Pensem bem sobre o assunto.

  • Eliana Barroso disse:

    Não saiu meu comentário por que ?
    Isso não é correto…

\

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezenove + oito =