Ancoradouro

Conheça Tenente Aihara, o ícone dos Bombeiros de BH

Ele tem apenas 25 anos e se tornou o ícone dos Bombeiros das Minas Gerais nesta tragédia anunciada de Brumadinho. Incansável, Tenente Aihara repassa para a imprensa nacional e internacional as últimas informações sobre a operação de resgaste das vítimas, enfrentando até duas horas consecutivas de entrevistas.

Tenente Aihara, Porta-voz do Corpo de Bombeiros das Minas Gerais.

A fala assertiva e precisão das informações chama a atenção .  Foi o jovem tenente que alertou para as campanhas fraudulentas de arrecadação de recursos para Brumadinho e desmentiu a Fake News espalhada em jornais dizendo que os equipamentos trazidos pelo exército de Israel era ineficiente. “Informação completamente equivocada”, disparou.

Tenente desmente notícia falsa.

Chama atenção também a humildade do profissional.  “Não desejo, nem mereço nenhum tipo de reconhecimento ou aplauso, desejo apenas que meu trabalho seja capaz de transmitir o meu respeito e a minha solidariedade por tantas pessoas que sofrem agora com essas perdas tão abruptas “, disse.

Tenente Aihara também trabalhou na tragédia de Mariana.

Aihara agradeceu as orações e gentilezas recebidas e se mostrou confiante em Deus. “Peço a Deus todos os dias que ilumine a mim e a meus companheiros para que possamos exercer nossa profissão de modo a diminuir um pouco do sofrimento das vítimas e de suas famílias “.

Tenente Aihara mostra competência e assertividade.

Os últimos dias de férias do Tenente Aihara, agora em janeiro, foram dedicados a um reencontro que os mineiros tomaram conhecimento pela TV. Havia quatro anos, no período da Copa do Mundo, o tenente ajudara um cadeirante a conseguir lugar adequado para assistir ao jogo Brasil e Chile, no Mineirão.

View this post on Instagram

Os últimos três dias de férias foram dedicados a um reencontro que havia prometido há 4 anos! O Luiz e a Leopoldina são um casal de Limeira-SP que ajudei na Copa de 2014, no jogo do Brasil e Chile. Naquela ocasião, depois de uma aventura cinematográfica, conseguimos um final feliz. Ainda em 2014, fui surpreendido por um amigo me informando que havia uma publicação viralizando no Facebook de um casal de SP que queria agradecer aos bombeiros mineiros que tinham ajudado naquele situação inusitada, só que não sabiam quem eram aqueles bombeiros. Após ler a publicação e ver que se tratava daquela ocorrência, troquei alguns emails com a família e ficamos de nos reencontrarmos algum dia. O Luiz tornou-se cadeirante em 2010, após um infarto e um AVC que também ocasionou algumas complicações na fala e desde então sua vida é uma superação diária. Nesses três dias, pude ter uma aula sobre o que é o amor e de como ele consegue superar qualquer barreira com a família do Luiz, em especial sua esposa e filha, que fazem de tudo para trazer alegria e força em cada dificuldade. Além do presente de conhecer essas pessoas, pude ganhar uma vovó e uma tia postiças, que foram a @fernandalima7 e a @yaraliima que foram as amigas da família que fizeram contato comigo para provocar esse reencontro e que me acolheram como um filho em Limeira. Durante os 1200 km percorridos nessa visita, refleti que só posso agradecer a Deus e aos espíritos de luz que me protegem por presenciar esses milagres cotidianos. Não posso sentir nada mais do que gratidão: pela vida, pelo meu trabalho que amo, pelas pessoas que me rodeiam, pelas bençãos com as quais tenho sido presenteado e por esse ensinamento de que só dá pra ser feliz de verdade compartilhando felicidade. O link com a matéria contando um pouco dessa história tá na bio! #bombeirosmg

A post shared by Pedro Aihara (@pedroaihara) on

Em alguns momentos, Aihara e outro bombeiro haviam colocado o cadeirante nos braços para chegar ao destino. A ajuda comoveu a família.  Quatro anos depois , uma amiga da família publicou o relato nas redes sociais e gostaria de fazer o encontro para agradecer ao jovem bombeiro .

Tenente Aihara com a família que ele ajudou durante a Copa do Mundo.

Aihara é porta-voz do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, especialista em prevenção de desastres pela Universidade de Yamaguchi, no Japão. Também possui formação em direito e na tragédia de Mariana, ocorrida há três anos, trabalhou no planejamento das operações na zona quente do desastre.

Até semana passada, Aihara , assim como os demais Bombeiros e funcionalismo público de Minas não haviam recebido o décimo terceiro salário. O Governador Romeu Zema (NOVO) apresentou um plano de pagamento deixado pelo seu antecessor Fernando Pimentel (PT).

 

Recomendado para você

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco + 13 =