Ancoradouro

Padre Reginaldo Manzotti recebe a medalha da Abolição

Em 25 de março de 1884, o Ceará ganhava a simbologia de Terra da Luz. Quatro anos antes da Lei Áurea, a então província do Ceará decretava a abolição da escravatura no Ceará, fazendo da luz para a liberdade um sinônimo para as terras alencarinas. A atitude dos cearenses é a inspiração para atitudes de grandes homens e mulheres que até hoje se destacam no cenário nacional e cuja trajetória está presente na história do Ceará, em espacial os homenageados na versão 2018-2019 da Medalha da Abolição.

Padre Reginaldo Manzotti recebe do Governador Camilo Santana maior comenda do Estado. Site: ceara.gov

Nesta sexta-feira (29), o governador Camilo Santana homenageou personalidades importantes que ajudaram a construir a história do Ceará. “Aqui no Ceará, um estado encravado no semiárido nordestino, com enormes e históricos desafios, temos tido, ao longo dos últimos anos, uma demonstração inequívoca do quanto é possível, com respeito, persistência e muito diálogo, enfrentar as adversidades e avançar nas soluções. Os sete homenageados desta noite são exemplo vivo de tudo isso”, destacou.

View this post on Instagram

Uma grande emoção receber, nesta noite, a mais alta comenda outorgada do governo do Estado do Ceará – a Medalha da Abolição, proposta pelo governador Camilo Santana. Deus me deu de presente o carinho e o respeito deste povo que carrega a força, a ousadia e a coragem em suas veias. E quem acompanha a minha caminhada e da Obra Evangelizar é Preciso, sabe que temos, por fio condutor, a fé viva em Cristo, que alimenta as nossas forças e fomenta a única manifestação que supera as diferenças e vence as resistências ou seja – a cultura do amor. Uma homenagem como essa é sempre motivo de orgulho, mas também de responsabilidade com o estado e com todo o povo de Deus. E até ano que vem, no 13° Evangelizar é Preciso Fortaleza.

A post shared by Padre Reginaldo Manzotti (@padremanzotti) on

A principal honraria do Estado foi concedida à presidente da Academia Cearense de Letras, Ângela Maria Rossas Mota de Gutiérrez, primeira mulher a presidir a entidade literária; empresário Edson Carvalho Ventura; desembargadora do Tribunal de Justiça do Estado do Ceará, Maria Iracema Martins do Vale, conselheira do Conselho Nacional de Justiça (CNJ); ex-senador Carlos Mauro Cabral Benevides; Regina Marta Albuquerque Barbosa, fundadora da Casa de Vovó Dedé, instituição sem fins lucrativos que promove o desenvolvimento de crianças e jovens em situação de vulnerabilidade social; e padre Reginaldo Manzotti, fundador da associação Evangelizar é Preciso, movimento de evangelização.

O padre Reginaldo Manzotti, que há 12 anos traz a palavra de Deus para o povo cearense, por meio do evento Evangelizar é Preciso, destacou a religiosidade do povo cearense, citando importantes símbolos do Estado, como o Padre Cícero, a Menina Benígna, a Estátua de São Francisco, em Canindé, e as romarias de Juazeiro do Norte. Receber a Medalha da Abolição para ele é motivo de alegria, “porque os laços com o Ceará e os cearenses se esteiram cada vez mais e eu me sinto cada dia mais próximo de uma terra tão abençoada por Deus e que me deixa com o compromisso de trazer aqui sempre a palavra Dele. Feliz o Estado que tem um governador temente a Deus e que tem um olhar de sensibilidade para com o seu povo”, ressaltou.

Fonte: ceara.gov.br

Recomendado para você

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

11 + nove =