Ancoradouro

Na Rússia, ícone verte mirra; no Japão,religiosa recebe mensagem de Nossa Senhora

773 1

Um ícone da Mãe de Deus, pintado no séc. XVIII está emanando míron (óleo aromático, mirra) na antiga Igreja em ruínas de São Miguel Arcanjo, em Tula, Rússia. O arcebispo Dom Nikolai Dudin confirmou que do ícone sai o míron (mirra, óleo aromático) a cada dois dias desde 8 de fevereiro de 2020.

Imagens da Virgem que vertem mirra e lágrimas.

De acordo com testemunhas oculares e o reitor da Igreja Epifania, na cidade de Venev, o arcebispo Oleg Aleinikov, que presta assistência pastoral à vila de Urusovo, este ícone foi encontrado há 30 anos  no sótão de uma casa abandonada por um morador da vila de Ostrovka Anatoly Nikolaev. O ícone chamou sua atenção pelo fato de que nas costas dele  está escrito “a imagem da Mãe de Deus Cálice Inesgotável”.

A mirra, um dos presentes oferecidos ao Menino Deus, junto ao ouro e o incenso,  representa  a humanidade de Jesus, segundo os estudiosos . São Gregório afirma que a mirra figura a mortificação de nossa carne.

No dia 21 de março, o Blog Ancoradouro noticiou sobre a mensagem da Virgem Maria conhecida como  Nossa Senhora da Akita, devido à uma aparição sua nesta cidade japonesa. A imagem de Nossa Senhora no princípio das aparições chorou lágrimas por 101 vezes.

Confira a história completa

Em 1973, Nossa Senhora apareceu a uma religiosa na região de Akita, no Japão. Neste dia, irmã Agnes Sasagawa viu raios luminosos saindo do sacrário, fenômeno que se repetiu por dois dias. Dezesseis dias depois, apareceu na mão da religiosa uma chaga no formato de cruz que lhe causava dor e sangrava. A ferida ficou na mão da irmã por mais de dois meses. No dia 13 de outubro de 1973, a religiosa recebeu a terceira e última mensagem. Em janeiro do ano seguinte, a imagem de Nossa Senhora passou a chorar, fenômeno que aconteceu por 101 vezes, sendo a última em 15 de setembro de 1981, dia da festa de Nossa Senhora das Dores.

A imagem de Nossa Senhora de Akita lacrimejou 101 vezes. Irmã Agnes hoje está com 88 anos.

Após ouvir o relato de mais de 500 testemunhas, inclusive não cristãos, a Igreja classificou os fenômenos acontecidos com aquela imagem e com a religiosa nipônica como sobrenatural e autênticos, além de autorizar a devoção mariana naquela Diocese. Irmã Agnes Sasagawa  foi curada milagrosamente da surdez, mais um indício da veracidade da aparição mariana. A mensagem de Nossa Senhora de Akita fala de conversão, o valor da Eucaristia e a importância da oração como meio de reparação e  conversão para a humanidade.

Imagem de Nossa Senhora de Akita, no Japão. Igreja aprovou devoção mariana naquela diocese.

E a pandemia?

Quarenta e seis anos após a última série de mensagens, irmã Agnes Sasagawa teria recebido mais uma revelação privada, dia 6 de outubro de 2019, por volta das 3h30. Segundo  notícia publicada pela rádio WPQH, a religiosa teria recebido as seguintes palavras de um anjo:

“É bom que diga a todos: cubram-se de cinzas e rezem o rosário penitente todos os dias. E você tem de se tornar uma menina e oferecer sacrifícios todos os dias”.

 

Irmã Agnes, agora com 88 anos, ficou em dúvida sobre divulgar ou não a mensagem. Dois dias depois, ao ouvir na Santa Missa a leitura da história do profeta Jonas que apregoou ao povo de Nínibe a conversão, e, considerando que a mensagem não contraria em nada  o ensinamento do Evangelho, a religiosa decidiu manifestá-lo publicamente.

Internauta fez observação dia 13 de novembro de 2019.

O internauta gaúcho Lucas Gelásio, em 13 de novembro de 2019, fez a seguinte observação em sua conta no Facebook,  fazendo relação entre a mensagem de Nossa Senhora à religiosa e o relato do profeta Jonas:

“Se essa relação estiver mesmo certa e a mensagem se referir ao mesmo período de tempo da profecia bíblica, completam-se os quarenta dias no dia 15 de novembro, nesta sexta-feira. Seria o início desse grande castigo, que teria duas características: uma profunda crise na Igreja e uma grande destruição no mundo”. 

 

Dois dias depois,agora se sabe, em 17 de novembro de novembro,  foi detectado o primeiro caso de coronavírus na China.

O que pensar diante dessa mensagem e a aparente relação entre a mensagem e o que vivemos?

Estaríamos nós diante da realização de uma profecia que nos chama à conversão?

Importante que voltemos o nosso coração para Deus, supliquemos sua misericórdia e que tenha misericórdia da humanidade inteira.

Recomendado para você

1 comentário

\

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × três =