Cinema às 8

“O Último Capítulo”: mais um entre tantos

Uma coisa fica clara nos primeiros minutos de “O Último Capítulo”, novo filme de terror a chegar ao nosso serviço de streaming favorito: a protagonista não vai sobreviver ao mal que assola a casa onde vive. A jornada para nós descobrirmos como chegará a seu inevitável fim é a proposta principal do filme.

Estrelando Ruth Wilson, de “Luther” e “The Affair” (fica aqui a recomendação de ambos seriados, aliás), a história se desenrola durante os meses em que sua personagem, Lily, cuida da romancista Iris Blum (Paula Prentiss), já idosa e sem apoio da família. Medrosa do nível das que pula a cada sombra inesperada, Lily se vê horrorizada em sequer pegar em um dos livros de terror pelos quais Iris é conhecida. Ela não esperava, contudo, que seus dias fossem se a uma das mais aterrorizantes histórias escritas pela romancista.

Partindo de um argumento um tanto quanto batido, “O Último Capítulo” parece carecer de reais acontecimentos. Com praticamente apenas duas pessoas em tela durante seus curtos 87 minutos, a trama ainda consegue se arrastar pela falta de assombrações ou ações relevantes na história. Por ser uma personagem medrosa, Lily acaba se tornando irritante ao ser frágil em toda e qualquer situação. Sua interação com a mais famosa obra de Iris, responsável por assolar seus piores pesadelos, rende boas cenas, com algumas imagens perturbadoras, mas em doses pequenas.  

Ainda que não possua muito material com o qual trabalhar, no âmbito de interpretar uma personagem carente de coragem a atriz se mostra competente, mesmo sem momentos marcantes. Prentiss, sua companheira de cena, é difícil de ser avaliada, tamanha é a falta de tempo de tela que sua personagem possui. Ao final, cabe a Wilson segurar o filme nas costas, algo impossível dado o raso roteiro.  

Apesar de parcos, os momentos de assombração ao menos tentam fugir do clichê dos jump scares, ainda que usem do cansado recurso em alguns momentos. Os trechos onde o diretor Oz Perkins se permite contar a história de forma calma e com a trilha sonora agindo como catalisadora da tensão são facilmente os melhores do filme.

Esquecível logo após seu final, “O Último Capítulo” é um fraco filme a integrar o catálogo de originais da Netflix. Ainda que figure entre as listas de filmes de terror memoráveis de 2016, o longa pouco tem a oferecer, tanto em roteiro quanto em aspectos técnicos. Uma última nota, contudo: a antecipada cena da morte de Lily é bem realizada e condiz completamente com o desenvolvimento até então da história. Pena que uma cena não salva um filme.

Cotação: 3/8

Ficha técnica
O Último Capítulo (EUA, 2016). De Oz Perkins. Com Ruth Wilson. Terror. 87 minutos.

Disponível na Netflix.

Recomendado para você

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

doze − um =