Clube da Luta

UFC Rio 2: Noite inspirada para os brasileiros

Lutar no próprio país é dividir o octógono com toda a torcida, receber orientações como se os espectadores fossem o próprio corner, sentir o estímulo da multidão que quer empurrar o lutador para a vitória. Sabendo disso, o peso pena brasileiro, José Aldo, manteve o cinturão da categoria no Brasil, nesta madrugada, e fez questão de partilhar a bela vitória sobre Chad Mendes com a torcida, no segundo Ultimate Fighting Championship (UFC) Rio (edição 142 do evento).

Sábio, esperou o jogo de wrestler de Chad Mendes. Aproveitando uma das tentativas de derrubada do americano, Aldo se desvencilhou da grade já encaixando uma joelhada, desestabilizando o oponente e encerrando a luta no ground and pound, ainda no primeiro round. Com o nocaute, nem esperou o locutor Bruce Buffer anunciar a vitória, e saiu correndo pra se jogar na torcida, para o desespero da organização do evento. Deu trabalho aos seguranças, que suaram o uniforme para tirá-lo de lá. Na volta, reafirmou sua gratidão à torcida, enalteceu sua equipe, afirmando ser a melhor do mundo, e dedicou a vitória à mãe, aniversariante do dia.

A noite foi de inspiração para os brasileiros. Boa parte deles preferiu não deixar a decisão na mão dos juízes e definiu suas lutas com belos nocautes ou finalizações ainda no primeiro round. O mais inspirado de todos foi Edson Barbosa Júnior. Fez um primeiro e segundo rounds apertados, técnicos, e com um chute alto giratório fez o inglês Terry Etim desabar. Surpreendente. Mereceu os prêmios de melhor luta e melhor nocaute da noite.

Um dos lutadores brasileiros mais populares e midiáticos, Vitor Belfort também não decepcionou. Aceitou fazer a luta mesmo com seu adversário, Anthony Johnson, não batendo o peso para a categoria. A vontade de lutar no Brasil era maior. Johnson, que já havia subido de categoria para enfrentar Vitor Belfort, não conseguiu pesar menos que 84 kg, limite da categoria peso médio. Vitor acabou exigindo o máximo de 93kg, meta que também não foi alcançada.

Na primeira fila da área VIP, os globais Marcelo Serrado (o Crô da novela das 9h, Fina Estampa), Dudu Azevedo (que faz o lutador Wallace na mesma novela) e Fernanda Paes Leme ficaram de pé erguendo bandeiras do Brasil na entrada do lutador.

A torcida, por sua vez, já cantava ainda mais forte e batia os pés com muito mais vigor. Vitor venceu por finalização ainda no primeiro round, encaixando uma guilhotina em Johnson. A mulher, Joana Prado, entrou no octógono para comemorar. “Meu sonho foi realizado hoje. A gente tá na Globo! O UFC é paixão nacional”, vibrou. Comemorava mais que a própria vitória, a “plataforma” que o MMA se tornou, oferecendo mais terreno para os lutadores que estão chegando.

Confira todos os resultados da noite:

CARD PRINCIPAL

José Aldo venceu Chad Mendes por nocaute aos 4’59” do primeiro round

Vitor Belfort venceu Anthony Johnson por finalização aos 4’49” do primeiro round

Toquinho venceu Mike Massenzio por finalização a 1’03” do primeiro round

Carlo Prater venceu Erick Silva por uma desqualificação polêmica a 29” do primeiro round

Edson Barbosa venceu Terry Etim por nocaute aos 2’02” do terceiro round
CARD PRELIMINAR
Thiago Tavares venceu Sam Stout por decisão unânime dos jurados

Gabriel Napão venceu Ednaldo Lula por finalização aos 3’22” do primeiro round

Yuri Marajó Alcântara venceu Michihiro Omigawa por decisão unânime dos jurados

Mike Pyle venceu Ricardo Funch por nocaute técnico a 1’22” no primeiro round

Felipe Sertanejo venceu Antonio Pato por decisão unânime dos jurados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 × 2 =