Clube da Luta

BKF confirma data da 5ª edição; Carlos Índio defenderá cinturão no evento

Ao lado de José Moreno na imagem, Carlos Índio (esquerda) defenderá seu cinturão; outro título estará em jogo no evento. Foto: Arquivo do Blog

Ao lado de José Moreno na imagem, Carlos Índio (esquerda) defenderá seu cinturão; outro título estará em jogo no evento. Foto: Arquivo do Blog

Vem aí mais um Brazilian King Fighter (BKF), um dos eventos mais notórios do MMA cearense nos últimos anos. A data da 5ª edição já está confirmada:18 de julho. O palco das lutas também já está acertado: o ginásio do Náutico Atlético Clube, no bairro Meireles, em Fortaleza.

De acordo com o manager da organização, José Moreno, uma escolha estratégica, já que o local é um tradicional palco de lutas na cidade. “Vai ser como nos velhos tempos. Escolhemos o Náutico visto que muitos eventos excelentes aconteceram ali”, comentou Moreno, em conversa com o blog Clube da Luta.

O card está sendo montado, mas já existem algumas definições. Um delas é que o lutador Carlos Índio, da equipe Dragon Fight/Nova União, defenderá o seu cinturão dos pesos meio-médios. O adversário ainda não está definido, mas Moreno adianta: “será um oponente do mesmo nível dele”, diz.

Índio faturou o cinturão na 1ª edição do BKF, quando nocauteou o argentino Jacob Quintana, em maio de 2012. Ele também já fez uma defesa de título, em novembro daquele ano, quando finalizou Ari ‘Mãos de Pedra’. O atleta, que é potiguar de nascimento e cearense de coração, também estava escalado para a 3ª edição do BKF, em novembro de 2013, quando enfrentaria Marinho Rocha, mas machucou o joelho no vestiário, antes do combate.

Sem lutar desde agosto do ano passado, quando enfrentou Gugu Besouro, na disputa do cinturão do cinturão Sul-Americano do Shooto, Índio partirá agora para sua 44ª luta e busca a 32ª vitória.

Moreno antecipou ainda que o BKF 5 terá outra disputa de cinturão e deve contar também com a presença de atletas estrangeiros, como nas edições passadas. Outra ideia é dar oportunidade para atletas de várias equipes.

“Tentaremos colocar no card uma diversificação de equipes. Vamos colocar um card de 11 lutas com pelo ao menos 12 equipes”, destacou Moreno.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *