Clube da Luta

Michael Bisping anuncia aposentadoria do MMA

(Foto: Divulgação / UFC)

O ex-campeão peso-médio do UFC, Michael Bisping, anunciou aposentadoria nesta terça-feira, 29. O inglês usou seu podcast “Believe You Me” para revelar sua escolha. Bisping dedicou 14 dos seus 39 anos ao MMA, com 30 vitórias e nove derrotas em seu cartel. Ele deixa o mundo das artes marciais com o recorde de maior número de vitórias no Ultimate, com 20 triunfos e maior quantidade de lutas na organização, 29 duelos.

“Então, obviamente, brinquei com isso por um longo tempo, poderia lutar de novo, não poderia. E infelizmente não é uma luta que estou anunciando. Vou anunciar minha aposentadoria oficial das artes marciais mistas”, afirmou o lutador. Bisping revelou que tentou uma luta de despedida para o UFC Londres, no último dia 17, contra Rashad Evans, mas o combate não aconteceu.

O ‘striker’ falava em aposentadoria desde sua última luta contra Kelvin Gastelum, realizada em novembro de 2017, 20 dias após ter sido finalizado e perdido o cinturão dos médios para George St-Pierre. A ideia dele, no entanto, era ter pendurado as luvas já no embate contra Luke Rockhold, no UFC 199, mas a conquista do cinturão da categoria o fez mudar de ideia.

Ele abandona os octógonos para cuidar de sua saúde. Em 2013, durante a luta contra Vitor Belfort, Bisping descolou a retina do olho direito depois de ter sido golpeado com um chute. “Comecei a surtar, pensando: Oh, meu Deus, não acredito nisso. Tenho uma retina deslocada no meu olho bom e tenho problemas com meu olho ruim”, relata o agora ex-lutador. A decisão de se aposentar, contudo, aconteceu neste domingo, 27.

“Estava assistindo o filme “Journeyman” e pensei: não vale a pena. Não vale a pena. Quero dizer, o que mais vou fazer? Ganhei o cinturão, conquistei muitas vitórias. Qual é o objetivo de açoitar um cavalo morto? Não que eu seja um cavalo morto, mas qual é o objetivo?”, iniciou Bisping.

“Você precisa saber quando se afastar. Tenho quase 40 anos, a hora é agora. Quero dizer, antes de qualquer coisa, obrigada à minha esposa. Sem ela, não teria acontecido. Isso é um fato. Ela foi incrível a cada passo do caminho. Meus filhos. Meu pai. Meu pai foi incrível. E claro, todos no Reino Unido e em todo o mundo que me apoiaram”, completou.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *