Corremah!

Acabou!!! Depois de 34 anos, a equipe de atletismo mais tradicional do país encerra as suas atividades.

646 2

Fortaleza, 28/12/2018 – A notícia não poderia ser das piores para o pedestrianismo brasileiro neste final de ano, mas de acordo com o treinador da equipe Alexandre Minardi, este será o último ano de atividades da Equipe de Atletismo do Cruzeiro de Belo Horizonte.

Após 34 anos sob o comando de Minardi, a Equipe Azul Celeste possui atualmente 25 atletas, e o custo de manutenção mensal é de aproximadamente 30 mil reais.

Em 34 anos de atividade, a Equipe de Atletismo do Cruzeiro participou de 3.850 competições nacionais e internacionais, com diversas vitórias marcantes, como a conquista da Corrida Internacional de São Silvestre em 2006, com Franck Caldeira.

“Sou muito grato ao Cruzeiro, gratidão imensa, mas fiquei triste pela forma como foi comunicado o fim da equipe de atletismo”, lamentou Minardi. “Sempre brilhamos nas provas de rua do país. O Cruzeiro é reconhecido no mundo inteiro, é uma equipe respeitada no Brasil inteiro”, Alexandre Minardi.

No próximo dia 31 de dezembro, 07 atletas da equipe estarão na Corrida Internacional de São Silvestre: Gilmar Silvestre Lopes, Wellington Bezerra da Silva, Valdir Sérgio de Oliveira, Valério de Souza Fabiano, Gleison da Silva Santos, Reginaldo José da Silva, Ivamar de Oliveira, Marcela Cristina Gomez Cordeiro (Argentina).

Fonte: MG Super Esportes.

Esperamos que este desfecho possa ser revertido.

Acompanhem as nossas publicações, www.portaldocorredor.com.br

.

Recomendado para você

2 Comentários

  • Vânia disse:

    Que noticia triste!
    Uma equipe de tanto valor merece é ser valorizada e não desrespeitado dessa maneira.
    Ficará na história e memória de todos nós amantes da corrida.

    • Felix Luis disse:

      Com certeza Lucivânia. O que são 30 mil reais para um Clube como o Cruzeiro? Uma coisa é você manter uma equipe como essa aqui no nordeste, no sacrifício, e outra, é você ter milhões para investir em uma área midiática como o futebol, e fechar as portas para uma modalidade tão tradicional e carente de investimentos como o atletismo. Todos nós saímos perdendo com essa decisão equivocada.

\

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

20 + doze =