Discografia

Duas vezes Gonzagão

1901va0604

Ainda na esteira dos seus 100 anos, Luiz Gonzaga ganha dois tributos que abordam sua obra de diferentes maneiras. Produzido pelos cearenses José Milton e Fagner, Baião de Dois (Sony Music) lança mão da tecnologia para criar duetos inéditos do artista com nomes como Ivete Sangalo (Nem se despediu de mim), Zélia Duncan (Qui nem giló) e Alcione (Baião de dois). Embora essa ideia de unir o plano dos vivos com o dos mortos não seja mais novidade, o disco traz boas surpresas como o encontro do Seu Lua com Zeca Pagodinho em Siri jogando bola. Como claro propósito festeiro, Baião de Dois seleciona basicamente forrós e xotes clássicos. Claro que o resultado é apenas uma breve parcela da história do homenageado, a mais popular. E por esse mesmo motivo, a produção agrega nomes que, embora afastados da obra do Rei do Baião, garantem popularidade ao disco, caso das supracitadas Zélia Duncan e Ivete. Atéo sambista Jorge de Altinho comparece em Deixa a tanga voar, como um peixe fora d’água. Para encerrar as 15 faixas, Baião de dois trás três duetos originais, pescados de trabalhosantigos de velhos admiradores da obre de Luiz Gonzaga. Com Gal Costa ele canta Forró Nº1. Em seguida, com Alceu Valença, uma homenagem a Brasília com Plano Piloto. Por fim, a obrigatória Vida do viajante, ao lado do filho Gonzaguinha.

 

1901va0605

Mais arrojado, Luas do Gonzaga (Tratore) é um projeto do baiano Gereba Barreto que joga luzes sobre valsas e choros, esquecidos diante da verve forrozeira do homenageado. Egresso dos anos 70, Gereba ficou conhecido como um dos integrantes do grupo Bendengó, dono de alguns títulos hoje disputados em sebos por aí. Neste trabalho em homenagem a Luiz Gonzaga, ele vasculhou fundo em busca de peças obscuras, apaixonadas e que revelam a importância da mulher na obra do ídolo. Para se perceber, cinco das 16 faixas são batizadas como nomes femininos. No entanto, um dos elementos mais curiosos deste Luas do Gonzaga é a presença de compositores dando letras inéditas para canções originalmente instrumentais. Estre esses nomes estão Abel Silva, Tuzé de Abreu, Fernando Brant e Lirinha. Para dar voz à estas parcerias inéditas, foram convidadas vozes como Margareth Menezes, Jussara Silveira, Jorge Vercilo, Ná Ozzetti e Lenine. Um trabalho bonito para quem gostaria de conhecer o outro lado da sanfona do velho Lua.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.