Discografia

Abusando do machismo, Péricles lança Se eu largar o freio

4181 45

 

Próximo de lançar o segundo disco ao vivo da carreira solo, o cantor Péricles já adianta ao público um primeiro single. Composição de Carlos Caetano, Claudemir e Marquinho Índio, Se eu largar o freio é um pagodão bom de ritmo, mas que chama mais atenção pela excessiva dose de machismo da letra. Revelado no Exaltasamba, um dos mais famosos representantes da avalanche de bandas de samba adocicado dos anos 1990, Péricles tem boa parte do seu repertório formado por baladas apaixonadas tratando de amores feitos ou desfeitos. Se eu largar o freio vai por outro caminho e se resume a uma ameaça para a mulher que não lava mais os pratos nem engoma blusas a contento. “Se eu largar o freio, você não vai me ver mais. Se eu largar o freio, vai ver do que eu sou capaz”, diz o cantor. É bem verdade que o machismo está presente – nas mais variadas tonalidades – em muitas canções de muitas épocas. Dorival Caymmi (O que é que eu dou) e Vinicius de Moraes (Minha namorada), por exemplo, já escreveram canções que colocavam a mulher num papel menor, passivo ou submisso. A favor destes há apenas o argumento de que, em suas épocas, esse tipo de pensamento era mais comum (embora não menos condenável). Péricles é de outra época e não precisaria repetir o mau exemplo. Melhor ainda, poderia ele mesmo aprender a lavar louça e limpar o fogão.

Confira a letra de Se eu largar o freio (Carlos Caetano/ Claudemir/ Marquinho Índio):

Vou de casa pro trabalho
E do trabalho eu vou pra casa na moral
Sem zueira, sem balada, sem marola
Sem mancada eu tô legal
Faça sol ou faça chuva
O que eu faço pra você nunca tá bom
Pago as contas, faço as compras
Tudo bem eu sei é minha obrigação
Mas eu tenho reclamações a fazer
Mas eu tenho que conversar com você
Mas eu tenho reclamações a fazer
Mas eu tenho que conversar com você

A pia tá cheia de louça,
O banheiro parece que é de botequim
A roupa toda amarrotada
E você nem parece que gosta de mim
A casa tá desarrumada
Nenhuma vassoura tú passa no chão
Meus dedos estão se colando
De tanta gordura que tem no fogão

Se eu largar o freio, você não vai me ver mais
Se eu largar o freio, vai ver do que sou capaz
Se eu largar o freio, vai dizer que sou ruim
Se eu largar o freio, vai dar mais valor pra mim

45 Comentários

  • Anderson Lima disse:

    Não vi machismo na letra, se você prestar atenção no andamento da poesia, perceberá que os compositores reclamam da mulher porque fazem a parte deles na relação (trabalha fora, paga conta, faz compras) e querem um retorno, deduzindo que a mulher fica em casa e não faz nada, implicito, ai vai de cada um achar o que essa mulher ta fazendo que nao agrada o cara.

  • Yago Costa disse:

    O Anderson, não achou machismo ? E sustentar a mulher a troco de uma casa arrumada é oq ? Contrata uma empregada então, muito mais simples.
    Música ridícula. Me deu vergonha ao ouvir e ver oq o Péricles tá fazendo com a carreira dele.

  • Júnior disse:

    E o que vocês esperam de um ex-Exaltasamba? ‘-‘ E olha que letra mais chula. Putz, Anderson Lima, você ainda consegue ver poesia, numa coisa mal feita e barata dessas… Cheia de rimas piegas.. Não acreditou que precisou de 3 pessoas pra fazer uma porcaria dessas… E nem tô falando da parte de a música ser machista…

  • Flavio Black disse:

    Na boa isso é só uma música, ao qual deve ser utilizada apenas como descontração e não como exemplo, na boa vocês estão precisando curtir mais a vida, quem nunca numa brincadeira não criticou a sua mulher por não ter feito algo dentro de casa? é de conhecimento mundial não por machismo mais por detalhes, carinhos e outros adjetivos que a mulher tem muito mais habilidade com relação a casa do que o homem, na boa façam mais amor e curtam mais a vida ao invés de procurar coisas tão pequenas pra ficarem criticando!!! SE EU LARGAR O FREIOOO… KKKKKK…

  • Jean disse:

    Povo vamos beijar mais na boca e parar de usar discurso popular só para ficar bonitinho na foto. Essa letra pode ser tocada tanto pelo homem como pela mulher. Hoje tem mulher que paga as contas e o homem fica em casa. E se nao fizer sua obrigacao em casa ela pode cantar pra ele. Ou vamos assumir que na relacao deve ter sempre aquele ou aquela que só come e dorme?

  • Danilo vieira disse:

    legal gostei desta musica

  • Kelly Faria disse:

    Na boa. Se vcs prestarem bem atenção essa musica é MACHISTA sim. Se ele está tão incomodado com a bagunça da casa, pq ele mesmo não arruma? Ele procura saber pq a mulher não faz nada? Ele está tratando a mulher como ela deve ser tratada de fato? No meu ponto de vista, ele só está vendo só o q acontece com ele. Não se interessa de fato pela mulher, ou seus sentimentos.Do mesmo jeito q ele pode largar o freio, ela pode dar um belo pé na bunda dele. #ficaadica.

  • Vitória Costa disse:

    Bom sou uma fã do Péricles, não por esse fato, mais gostei da música, e acho q quem critica tem q tomar vergonha na cara e parar de julgar, é só uma música cacete.. Eu em, vão viver a vida, curtam bastante e cá entre nós, Péricles é FODA!

  • tiago disse:

    quem critica e um se mane…ou nao curty pagode…

  • Jonathan Froz disse:

    po vocês criticando o Péricles ta de sacanage né, o maluco é brabo po e a musica ela estar falando uma situação que pode acontecer em ambas as partes, isso é comum não tem nada haver com machismo. Até porque é até dificil de acontecer isso hoje em dia porque ambas partes trabalham. Agora querer criticar o trabalho do cara é foda. Igual o Júnior falando o que vocE^s esperam de um ex-exalta samba, só pode ser brincadeira cara,srs só rindo mesmo.

  • Ronaldo disse:

    Para os que não gostam do caráter machista da sociedade brasileira, sugiro que se mudem para o Afeganistão, Paquistão ou mesmo A. Saudita. Lá poderão descobrir a essência e gênese do machismo e assim aprender o que significa tratar a mulher como cidadã de segunda classe. Quanto a música gravada pelo Péricles e que não é de sua autoria, a mesma retrata a realidade das pessoas que são culturalmente levadas a dividir as incumbências familiares dentro da tradição brasileira. Não é um “pagodão” como rotulou o blogueiro e sim um samba de terreiro ou partido alto, modalidade o que se denomina de “samba de raiz”, nascido nas comunidades cariocas e uma das mais autênticas modalidades de ritmo genuinamente nacional.

  • ju disse:

    Não acho machista. E que tem muita mulher preguiçosa isso tem…………O cara vai pro trampo e a mulher(no caso daquela q não trabalha fora), só quer bater perna e etc..

  • Bruno César disse:

    Não vi nada preconceituoso na música!

  • tatiane disse:

    Adorei alguns comentários…só ver machismo quem é preconceituoso…como foi falado tem tanta mulher sustentando macho ai….arrasaram! :*

  • Kelly Gaúcha disse:

    Nossa! Adorei dançar esta música!

  • Carlinhos disse:

    Na boa, Pericles é o cara… No lugar de criticarem deviam valorizar esse grande talento brasileiro.. A voz mais bonita do Brasil..

  • PAULA disse:

    MEU QUERIDO, VAI PROCURAR UMA TROUXA DE ROUPA PRA LAVAR…QUE ARTIGO MAIS SEM NEXO!

  • Luiz disse:

    Se o cara fica numa situação dessa e não fala nada é porque ele é um “froxo”!!!!

  • Michele Franco disse:

    Um trabalho que só poderia ser exaltado aqui, um país com uma população acostumada a submissão de qualquer ordem! Só reforça a historia escravocrata de nossa sociedade. Ao invés de estimularmos nossos ouvidos com letras instigantes, aceitamos os lixos midiáticos em troca de diversão! País merda de baixa educação, dá nisso!

  • Gustavo disse:

    deixem de frescura, o cara canta muito e a música é sensacional… Existem varios sambas, do Fundo de Quintal e Revelação por exemplo que seguem essa mesma linha. Não tem machismo nenhum, vão caçar o que fazer mulherada desocupada!

  • Anamaria disse:

    Jesus, eu peço p/ tocar todo dia na rádio! Gostei da letra, do samba, de tudo, tenho 60 anos e amei o ritmo que é e-le-tri-zan-te. Sou brasileira, O-D-E-I-O lavar louça, meu ex negociava comigo numa boa, adoro cozinhar. E em tempos de desemprego, é ridículo essa critica tão cruel. LIGA NÃO PÉRICLES!!!!

  • Rai disse:

    que machismo? ele deixa claro q ele coloca tudo dentro de casa, nada mais justo que a mulher fazer o trabalho de casa. isso é divisão de tarefas, ou vcs acham serto o cara trabalhar o dia todo e a mulher ficar em casa sem fazer nada, ai o cara chega e ainda tem q limpar casa fazer comida pra uma mulher que ficou em casa o dia todo sem fazer nada? se no caso ela trabalhasse tbm, ai era outros 500

  • Jorge A. Gomes disse:

    Isso é que procurar pêlo em casca de ovo. A aceitação da música pelo público (principalmente o feminino) dirá se deveríamos pensar ou não nesse caso. Além disso, você (autor do post) não deve ter interpretado a letra da música corretamente; me que você leu a letra e simplesmente decidiu que se trata de uma letra machista.

    Faça assim: vá em algum show do cantor e, quando ele cantar essa música, comece a perguntar às mulheres da platéia o que elas pensam da letra. Mas antes, sinta o clima do ambiente, o estado de espírito daquele que canta e daqueles que ouvem, isso por sí pode responder à questão de se tratar ou não de machismo.

  • Sex Shop disse:

    Quanto preconceito e baboseira… O cara faz a parte dele e espera q ela faça a dela. Se ela optou por cuidar da casa, que cuide.
    Se a mulher trabalha fora, tudo bem…
    Então pra não ser machista o homem tem chegar do trabalho, arrumar a casa, lavar louças e roupas etc, enquanto a mulher fica deitada só vendo novela e na net dia e noite? Tudo bem se ela for uma paralítica, caso contrario…

  • Esse politicamente corretos são fod… Em vez de apreciarem a obra artística ficam procurando pelo em ovo. Quem não conhece um casal em que o homem esteve ou está desempregado e só a mulher trabalha? E não poderia se aplicar a isso?

  • Miguel disse:

    Na verdade, em nenhum momento a letra menciona homens ou mulheres. Então, a letra da canção não pode nunca ser qualificada de machista, só imaginem que fosse uma mulher quem a cantasse! Péricles nem é o compositor da canção, os três compositores poderiam te-la feita pensando numa intérprete feminina. Ainda mais, a letra também poderia ser vista como se fosse um homem falando a outro homem (ou uma mulher a outra mulher), não vejo por que devemos supor que este cantante está falando duma mulher.

    Como tantas veces, tem mais machismo nos olhos dos preconceituosos e suas conjeturas do que nas próprias composições artísticas.

  • Tatiane disse:

    Então cabe a mulher aceitar ou não viver uma vida de empregada por um prato de arroz e feijão.
    As tarefas do lar não é só obrigação da mulher,tem que ser tudo de comum acordo e quando se tem filhos as tarefas aumentam ainda mais.
    Ai a mulher mete o pé na bunda de um cara com uma mente dessas e ela que é ruim.
    As mulheres já não são mais bobas não caros machistas ,pode largar o freio que que a mulher larga de você e a casa vai ficar muito pior.
    Ai quero ver arrumar outra que te queira e ainda seja sua empregadinha..

  • Tatiane disse:

    O único freio que um machista larga e o na cueca que ele mesmo vai lavar.
    Mulher bobinha sem amor próprio e capaz de fazer tudo para manter o casamento com um misógino é coisa rara hoje em dia..
    Arroz feijão teto e conta paga >>NÃO É AMOR NÃO É CARINHO<<.
    #Ficadika

  • jp disse:

    I vc q fika dizendo q o brasil e uma merda pq n vai morar em outro pais??

  • jp disse:

    A musica e mt boa e otima

  • kaw disse:

    Musica péssima… Carlos Caetano/ Claudemir/ Marquinho Índio ja fizeram outras porcarias como essa sem novidade…quanto ao Pericles “Deus da asas a passarinho que não sabe avoar”
    Digo mais dos 2 álbuns do péricles se salva umas 3 faixa.

    Aos poucos estão enterrando o samba esse e o fato!

  • vitor disse:

    o único preconceito que vi aqui foi o texto escrito, não gostar de samba é uma coisa, fazer uma critica tendenciosa é outra.

  • Carlos Eduardo do Nascimento Gomes disse:

    Pelos comentários aqui, percebe-se claramente quem estuda e fala com conhecimento de causa, e quem só repete o discurso do senso comum. Cada opiniãozinha rasa que dá até pena e mostra que a escola fracassa na tarefa de formar cidadãos que usam o senso crítico para tecer suas impressões sobre a sociedade e se aprofundam nos assuntos, debatendo de forma embasada. Parabéns ao autor do texto! Bola fora do Péricles, sem dúvida.

  • Vinicio disse:

    Deixa eu ver se eu entendi. Eu trabalho e tenho uma mulher que não trabalha. Eu chego em casa do trabalho e tenho que dividir as tarefas de casa com ela. No tempo em que eu estou trabalhando ela faz o que ela quiser, coisas que não geram renda nem nada, e quando chego tenho minha parcela de tarefas pra fazer. Na moral, isso só seria justo se ela trabalhasse fora também, do contrario não é machismo e simplesmente bom senso. Se eu aceitar uma mulher que vive sem fazer nada e ainda dividindo tarefas com ela, minha mãe vem na minha casa me chama de idiota e me espanca. E a mulher não faz nada mesmo, porque ele diz lá no começo da musica que paga as contas e faz as compras e não que divide as contas e compras com ela.

  • carlos a. s. paranhos disse:

    GENTE ISSO É SÓ UMA MÚSICA, DEIXEM DE SER RIDÍCULOS.

  • fer disse:

    “Se eu largar o freio” feito para homens e mulheres que não são cúmplices de seus parceiros no dia a dia! O cunhado do meu esposo mesmo! A esposa dele teve que largar o freio pra ver se ele dava uma melhorada! ! Não sei se funcionou 100%, mas ele tá mais esperto.

  • jm disse:

    Aos comentários a cima, conclui-se que a própria sociedade está amarrada ao fato do homem no trabalho, sustentando a casa, e a mulher dentro de casa, preparando e arrumando para seu marido. Em nenhum momento da letra é claro quem ocupa os papeis da música. Não vem ao caso por Péricles está cantando a canção ou ela ter sido escrita por homens. Ambos tiveram cuidado ou esquecimento de identificar os sujeitos. Em pleno século 21 não é impossível de se encontrar mulheres no trabalho e homens dentro de casa ou na maioria das vezes ambos trabalhando. Entretanto, a interpretação é individual. Porém a letra e o ritmo é de fazer qualquer um dançar.

  • Piter disse:

    Pra mim vcs q criticam são um bando de Zé bosta, viado e não entendem uma simples canção de desabafo, isso é apenas arte meu povo, vamos viver a vida sem críticas ao próximo. Hahahahhaa

  • Gisele Nascimento disse:

    Pra mim, quem esta achando machismo nao passa de a toa q fica em casa coçando o dia todo ou na net procurando bancar a critica-parasita.
    A musica fala de parceria no casal. Um faz tudo e o outro coça.
    Palhaçada do kct. Mimimi igual homofobia, as vezes.
    Fala sério!

  • Emerson disse:

    Na minha visão não é machismo. Só é um relato de um indivíduo (homem/mulher) que sua vida é trabalhar para sustentar sua família. A letra retrata uma visão da família de classe c brasileira. Onde indivíduo que rala para colocar comida na mesa da família, quando chega em casa não tem nada pronto/feito. Se a mulher quer trabalhar ela pode trabalhar para ajudar em casa, do mesmo jeito que um homem pode ficar em casa fazendo as coisas e a mulher ir atrás da “comida”. A letra faz alusão a quem fica em casa sem fazer nada(conhecido como preguiçoso(a)), o velho malandro. Vai dizer que você gostaria de acorda de 5hs todo dia pra trabalhar e ganhar no fim do mês um mísero salário. E alem de pegar o transporte lotado, pegar engarrafamentos, correndo risco de assaltos no caminho e quando chegar em casa a louça está suja… Não ter comida pronta e a casa uma bagunça? Não sejam falsos!

  • Dorotea Pereira de Souza disse:

    O cara trabalha o dia todo , a vadia da mulher fica dormindo , quando acorda vai pro zap zap , pra rua fofocar , não faz nada em casa e o cara é machista ? E quem escreveu essa merda é um idiota .

  • Wesley disse:

    Me diz ali em qual momento ele cita q é de homem pra mulher, essa música n pode ser de pai/ mãe pra filho também não? Pelo que percebi, vc que está sendo machista, porque vc entendeu que essa letra é pra uma mulher, sendo que não tem gênero nenhum na música

  • Ricardo disse:

    A música: “Quem será” do cantor Belo é muito mais forte do que essa brincadeira popular que o Pericão fez. Se vocês repararem a letra fala de possessividade, ameaça a integridade física, pressão psicológica e por quê não, ciúme doentio por algo que pode nem estar acontecendo, mas que na cabeça do cara, está só porque ele acha que a mulher pertence a ele. É só comparar com a maioria dos casos de feminicídio. Deixa o Péricles em paz porra!!!

  • Ana jacqueline disse:

    Amo muito está música

\

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.