Discografia

Do Volver, Bruno Souto voa solo em Estado de nuvem

bruno-souto-estado-de-nuvem-capa

Vocalista da banda Volver, o pernambucano Bruno Souto apresenta seu debut solo para venda ou download gratuito na Internet. São 10 faixas inéditas cuja tônica são os relacionamentos quentes e cheios de paixão. O som tem reggae, rock, brega e tem toques de Cidadão Instigado. Aliás, a produção é do Cidadão Régis Damasceno, junto com o próprio Bruno. Confirmando uma tese particular de que a banda cearense liderada por Fernando Catatau é quem tem feito a diferença no rock nacional, Estado de Nuvem merece ser visto como um dos melhores discos de 2013. Listas e indicações de melhor ou pior são sempre perigosas e injustas. Ainda assim, a estreia solo do cantor é algo sim digno de nota. Começa pelas letras, o calcanhar de Aquiles do rock nacional. Composto praticamente sozinho (apenas quatro fogem a essa regra), Estado de Nuvem é um disco de amor com muita paixão, mas sem clichês. As palavras têm calor suficiente para derreter o Ártico (que já anda meio derretido). Em Dentro, Bruno dispara “tenho sede de beber você a qualquer hora”. E se amor estiver acabando, as palavras não são menos singelas, como em Cansaço: “O meu desejo disfarçado e sem calor. O teu desprezo do meu lado é só mais um”. Há uma escorregada grande no português em Dance, mas podemos deixar pra lá diante do conjunto.

Passadas as letras, vamos às melodias e arranjos. Por cima, Estado de Nuvem é um disco de rock indie, com aquelas guitarras típicas de Cidadão Instigado (perdão pela insistência). A já citada Cansaço parece deslocada e mal aproveitada dentro de um reggae, mas tem sua beleza, inclusive pelos vocais discretos de Julia Valiengo. Contornada pelo trompete viajante de Guizado, Aurora tem um clima soul que se aconchega no ouvido, como se fosse um gato no sofá. E essa passa a bola para Avesso, que segue no mesmo ritmo. Se for de selecionar as melhores, fico com duas. Por quê?, dividida com a cantora Luz Marina, tem a tristeza, a incerteza e a desilusão dos amores mal resolvidos. O arranjo cheio de ambientações, climas e paradas, garante a dramaticidade. A outra é Eu e o verão, um disco rock cantada cujos versos fortes (“o sol explode em gozo num verão sereno”) são defendidos de forma urgente. E essa urgência expõe outro ponto forte de Bruno Souto: ele é um ótimo cantor. Sem afetações ou dós de peito, ele usa os recursos que tem de forma corajosa e criativa. Isso fica claro na pungente Se você quiser e em Antes de ser, que fecha o disco. Diante de tantos elogios, só resta baixar gratuitamente ou comprar Estado de nuvem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.