Discografia

Música em Cores: Eu quero é Mocotó!

763 1

trio mocotóEntre as muitas expressões do samba espalhadas pelo Brasil, uma surgiu em 1963 anunciada num disco muito bem batizado de Samba esquema novo. O autor deste hoje clássico foi o carioca Jorge Ben, criador de uma batida inconfundível de violão que processava influências de soul, bossa nova, gospel e rhythm and blues. Essa mistura chegou ao seu ponto máximo no fim década de 1960, quando Jorge conheceu um trio de músicos paulistas que tocava na boate Jogral. Fritz Escovão, Nereu Gargalo e Joãozinho Parahyba formavam o indefectível Trio Mocotó. Cheios de ritmo e bom humor, o negócio deles era botar o povo pra dançar. E assim fizeram em trabalhos próprios ou acompanhando outros artistas, como Ivan Lins e Vinicius de Moraes. Até no Japão eles foram parar, onde gravaram com Jorge o antológico álbum On Stage (1972). A discografia do Trio Mocotó é pequeníssima e, hoje, disputada a peso de ouro nos sebos internacionais. Nesse meio, destaca-se o disco de 1973 que enchia de batuques as composições de Roberto Carlos, Erasmo Carlos e, claro, do padrinho Jorge Ben. Até o elegante Burt Bacharach caiu no samba numa versão improvável de Raindrops keep falling on my head (trilha “oscarizada” do filme Butch Cassidy and the Sundance Kid). Bem mais do que bom acompanhante, o Trio Mocotó prova que sabia muito bem fazer seu papel quando estava no centro do palco. Se há dúvida, é só conferir.

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=omihcU2UujM[/youtube]

Faixas:
1. Desapareça (Fritz Escovão)
2. Nó na garganta (Carlinhos Vergueiro)
3. Vem cá (Mutinho)
4. Recordar (Aluisio Marins/ Aldacir Louro/ Adolfo José Macedo)
5. Não vá embora (Fritz Escovão)
6. Desculpe (Fritz Escovão)
7. Maior é Deus (Fernando Martins/ Felisberto Martins)
8. Samba da preguiça (Erasmo Carlos/ Roberto Carlos)
9. Palomares (Jorge Ben)
10. Swinga sambaby (Nereu)
11. Tô por fora da jogada (Mutinho/ Itiberê)
12. Gotas de chuva na minha cuíca (Raindrops keep falling on my head) (Hal David/ Burt Bacharach)

>> Não vá embora (Fritz Escovão) por Carlus Campos

ARTEblog