Discografia

Nando Reis comenta show que apresenta em Fortaleza este fim de semana

Show - Nando Reis (Voz e Violão)

Por Mariana Amorim (marianaamorim@opovo.com.br)

Um microfone, uma cadeira, um violão. Depois de 15 anos ao lado da banda Os Infernais, Nando Reis está novamente sozinho no palco. Em show no formato acústico, o cantor volta a Fortaleza, este fim de semana, para dois dias de apresentações concorridas no Cineteatro São Luiz.

O show faz parte da divulgação do álbum Voz violão – No recreio – Volume 1, que foi gravado no ano passado em São Paulo e chegou às lojas e às plataformas digitais em novembro. A produção é assinada pelo próprio músico. No setlist, sucessos como Segundo Sol, Luz dos Olhos e Relicário. O disco também traz canções como Diariamente e Sutilmente, lançadas por Marisa Monte e Skank, respectivamente, e inéditas na voz de Nando.

O trabalho em voz e violão não traz novidades no repertório, mas marca a primeira vez que o cantor grava um CD sem a própria banda. No Recreio é o 12º disco solo de Nando, e o quinto registro ao vivo. Com os Titãs, ele gravou 13 álbuns, incluindo um dos maiores sucesso da carreira do grupo, Acústico MTV, que vendeu 1,7 milhão de cópias. Desde 2012, quando lançou o álbum Sei, com faixas inéditas, Nando Reis não lançava novo disco.

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=C4HeeSug3J8[/youtube]

Em paralelo a turnê, o músico já está trabalhando em um novo álbum de inéditas, com lançamento previsto para o segundo semestre deste ano. O projeto conta com participação especial de três integrantes da formação atual do grupo Titãs, Paulo Miklos, Branco Mello e Sérgio Britto, além do ex-Titã Arnaldo Antunes. O ruivo também está escalado para o projeto Nívea Viva, que na edição de 2016 fará uma homenagem ao rock nacional. O projeto chegará a Fortaleza no dia 15 de maio e vai contar ainda com as participações de Pity, Paula Toller e dos Paralamas do Sucesso.

Confira entrevista com Nando Reis:

DISCOGRAFIA – Você sempre foi um cantor de banda, e no caso dos Titãs era uma banda numerosa. Como você encara agora fazer esse show sozinho? É mais fácil? Em algum momento, bate uma solidão no palco?
Nando Reis – Eu sempre fiz shows de voz e violão. Aliás, antes mesmo de ter banda, passava o dia inteiro tocando violão em casa. Fazer show sozinho é outra história, é diferente. E de maneira alguma sinto solidão. Sou casado com meu violão.

DISCOGRAFIA – Em relação ao repertório do show, você prefere seguir a sua intuição ou um roteiro foi definido? 
Nando Reis – Tenho um roteiro, do qual dificilmente altero sua estrutura. Mas desde que comecei a turnê, já mudei várias vezes. Essa é uma das qualidades desse show: tenho liberdade de fazer o que quiser, de acordo com meu estado de espírito.

DISCOGRAFIA – Você vem com frequência a Fortaleza e esse retorno vai acontecer num teatro enorme, com mais de 1 mil lugares. Você ficou surpreso com a necessidade de abrir um dia extra do show?
Nando Reis – Fiquei sim! E estou muito feliz com essa surpresa.

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=lqz1nqRK768[/youtube]

DISCOGRAFIA – Você está participando do projeto Nívea que irá homenagear o rock nacional. O que você achou desse convite e do reencontro com os Paralamas, com quem você já tocou ao lado dos Titãs?
Nando Reis – Adoro tocar com os Paralamas. São grandes amigos.

DISCOGRAFIA – Saiu há pouco tempo uma pesquisa que mostra que o rock vem perdendo espaço nas rádios brasileiras. Qual a sua opinião sobre isso? Em sua opinião, por que o rock perdeu espaço na mídia?
Nando Reis – Não há resposta para esse tipo de ocorrido. Certamente a perda de espaço se dá porque há alguma coisa que interessa mais aos ouvintes, às rádios… E tudo também é cíclico.

DISCOGRAFIA – Recentemente, o musical sobre a vida da Cássia Eller rodou o País. A sua amizade com ela é retratada e é um ponto alto do espetáculo. Você assistiu o espetáculo? O que você achou de reviver aqueles momentos ali no palco?
Nando Reis – Assisti sim, e fiquei muito emocionado. A atriz tem uma semelhança impressionante com a Cássia.

DISCOGRAFIA – Sua amizade com a Cássia é algo inquestionável. Você ainda faz música pensando na voz dela? O que mais sente falta do convívio com ela?
Nando Reis – Ela faz falta em tudo. Mas não penso nesses termos: faço música pra mim.

DISCOGRAFIA – Paralelo a esse projeto de voz e violão, você está gravando um novo disco de inéditas. Como tá caminhando esse projeto?
Nando Reis – Está bem adiantado. No final de março gravo as vozes que faltam, mixo em Abril. Mas só lanço em Setembro.

DISCOGRAFIA – Esse novo disco, inclusive, vai contar com a participação de alguns dos Titãs. Como tá sendo reviver essa parceria?
Nando Reis – Foi muito divertido, uma farra!

Serviço:
Nando Reis – Voz e violão
Quando: amanhã, às 21 horas e domingo, 13, às 20 horas
Onde: Cineteatro São Luiz (Rua Major Facundo, Praça do Ferreira – Centro)
Quanto: R$ 154 (inteira) e R$ 77 (meia) – valores de 2° lote
Telefone: 3052 9900

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.