Discografia

Revisitando o inesgotável Leonard Cohen

 

Por João Gabriel Três

joaogabriel@opovo.com.br

O músico cearense Oscar Arruda assim resume a vida e obra do cantor canadense Leonard Cohen, ícone da música falecido em novembro passado, aos 82 anos: “Não é algo que se esgote”. Ao longo de quase 40 anos de carreira, Cohen deixou um legado vasto, profundo e poético que vem sendo revisitado no projeto musical Bird on The Wire – Canções de Leonard Cohen, sob o comando do cearense, que tem apresentação hoje, às 20 horas, no Teatro Dragão do Mar. Além de Oscar na voz, guitarra e violão, o show conta com Ayrton Bob Pessoa (teclado, órgão Hammond, sintetizador e efeitos), Claudio Miranda (contrabaixo), Marcelo Holanda (bateria) e Natasha Maciel e Rafael Müller (vocais).

Admirador de Cohen desde os 17 anos, quando conheceu o terceiro disco do canadense, Songs of Love and Hate (1971), através da irmã, Oscar já soma 25 anos como fã do cantor. “Estabeleci essa relação muito pela forma peculiar que ele trabalha a poesia, as questões existenciais, as melodias, a profundidade das letras”, enumera. O embrião do projeto da homenagem a Leonard Cohen veio antes do falecimento do ídolo. “Sabia que ele estava com a idade avançada, mas tive a ideia de fazer essa homenagem quando li, em 2014, a biografia I’m Your Man – A Vida de Leonard Cohen (de Sylvie Simmons) e descobri várias coisas da vida dele”, explica.

O processo de aprofundamento não foi maior à época por conta da finalização de um trabalho autoral de Oscar – o que, à sua maneira, também o influenciou a mergulhar na obra de Cohen. “Essa finalização me consumiu muito nos últimos anos e, em 2016, me vi ocupado com coisas que não eram musicais, como a masterização do disco, a arte”, relembra. A partir do momento pessoal e também dos acontecimentos que o Brasil enfrentou no último ano, o músico “sentiu a necessidade” de se dedicar ao projeto. “Foi um ano muito pesado para o País. De certa forma, senti a necessidade de beleza, de fazer algo bonito que tocasse as pessoas. A obra do Cohen tem essa virtude. Toca em questões que, embora não sejam políticas, mas sim existenciais, são transformadoras”, reflete.

Para conseguir fazer “algo bonito”, Oscar mergulhou a fundo na obra de Cohen, estudando o repertório, ouvindo os discos e ensaiando as melodias. “A produção dele é muito grande, e vai mudando ao longo do tempo. Não foi um processo fácil. De início, decidi privilegiar mais a primeira e a segunda fases, voltadas para o folk, mas agora também vamos trazer canções mais recentes”, adianta. O show, para Oscar, funciona tanto para fãs como para quem não é iniciado na obra de Cohen. “Quem não conhece se pergunta quem é e, aí, descobre o tamanho da obra. O último álbum dele é de 2016, ou seja, é alguém que produziu a vida toda”, enfatiza. “A resposta do público mostra interesse. Gosto de pensar no show como um processo de estudo de repertório de uma obra muito vasta. É uma oportunidade de homenagear o conjunto de uma obra, de uma vida”, conclui.

Serviço
Show Bird on the Wire -Tributo a Leonard Cohen
Quando: hoje, 15, às 20 horas
Onde: Teatro do Dragão do Mar (rua Dragão do Mar, 81)
Quanto: R$20 (inteira)
Telefone: 3488 8600