Discografia

Eu não conhecia Oscar Arruda

Por Hamilton Nogueira 

Eu não conhecia Oscar Arruda. Ponto pra ele. Fui buscar na internet. Ponto pra ele novamente. No primeiro resultado do Google, eu o vejo falar que Belchior, “exerceu um direito” ao se retirar. Mais dois pontos pra ele. Fui ao Cantinho do Frango no domingo de carnaval ver o Jorge Helder Sexteto e conheci Oscar Arruda. Ponto para ele e para o brilhante Cocoricó Jazz Festival. Vida longa!

Oscar Arruda apresentou-se com a Bird on the Wire Band, fazendo um tributo a Leonard Cohen. Ele na voz e guitarra, Ayrton Pessoa (do não menos espetacular Argonautas), Clau Aniz e Ayla Lemos (vozes femininas delicadas, fortes e doridas), Cláudio Miranda no baixo e Rami Freitas na bateria. O que aconteceu é que a noite foi deles.

Oscar Arruda é cearense de Fortaleza e tem 43 anos. É formado em Administração, Mestre em Geografia, Doutorando em Sociologia. Funcionário de carreira do IBGE (para provar que o Brasil não é para principiantes), está na música desde os 11 anos quando estudou violão erudito. Depois descobriu a guitarra e iniciou a melhor das escolas: bandas de garagem. Fui estudar em São Paulo onde passou 7 anos para retornar e montar a banda Somfusão. “Era música instrumental onde fazíamos fusão do jazz e do rock, influenciado por Miles Davis, Jimi Hendrix, Azimuth, João Donato, Marcos Valle”, explica Arruda.

Para o Cocoricó trouxe um show já exibido, mas com outra formação. “Bird on the Wire se apresentou primeiramente em 2017 no Salão das Ilusões. “Para nossa surpresa, o local lotou. É um lugar pequeno, mas nos surpreendemos com tanta gente interessada naquele som. Senhores, senhoras, jovens, muita gente. Depois fizemos no Teatro do Dragão do Mar e foi excelente, teatro cheio. Além disso mais duas apresentações: Café Culture e Cantinho do Frango”, comenta.

Pergunto por que Leonard Cohen para aquele carnaval. “Eu já gostava. Toco violão e costumava tirar um som dele. Em determinado momento ouvi mais vezes, assisti a um documentário de 1970, se não me engano, a seu respeito. E decidi fazer um show em sua homenagem. E aí ele morreu. Será que eu continuo? Bateu a dúvida, mas chegamos a conclusão de que seria uma homenagem. Agora veio o convite do Caio e remontamos a apresentação”.

A banda voou baixo. Instrumentos, afinação, a voz ponderada de Oscar, os líricos acompanhamentos das back vocals, que mais que cantam, encantam. Um show incansável. Um show que apesar dos percalços, pareceu estar desde sempre pronto. Ponto.

Obs 1.: Para conhecer Oscar Arruda, além de ficar ligado, na programação de locais que respeitam o público, pode-se procurar um EP de 2010 chamado Universo, o disco Revolução de2012 ou o Egomaquia de 2017. Ele também está próximo de lançar dois singles. A conferir.

Obs 2.: Clau Aniz, uma das back vocals, tem um disco chamado “Filha de mil mulheres”. Se eu fosse você eu procuraria no Spotify e ouviria atentamente.

Obs3 .: Segue o set list apresentado no Cantinho do Frango
Set List
#1 Bird on the wire
#2 So Long Marianne
#3 Suzanne
#4 Diamonds in the mine (A)
#5 The Partisan
#6 Hey Thats no Way to say goodbye
#7 Famous Blue Raincoat
#8 Joan of Arc (talvez)
#9 True Love leaves no traces
#10 Dance me to the end of love
#11 Allellujah
#12 Aint no Cure for Love
#13 Tower of Sonh
#14 Going Home

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.