Fisioterapia & Saúde

Anúncios que Apagam a Ciência da Fisioterapia.

264 7

interrogacaoPode-se observar que há muito tempo a ciência da fisioterapia tem perdido sua identidade, nos dias atuais quando os colegas entregam seus cartões de identificação anunciando osteopata,  RPGista, Terapeuta manual, Quiroprata …  Se não fosse pouco também estão mudando os nomes das clínicas, agora é FISIOESTÉTICA, STUDIO DE PILATES… Temos que lembrar a legislação brasileira, as nossas leis devem ser respeitadas no Brasil e elas são claras a ciência é a FISIOTERAPIA, todas essas especializações fazem parte dessa ciência, fico comovido com a área médica e temos que admitir o quanto eles são honrados por serem médicos, eles chegam a modificar nomenclaturas com o intuito de fortalecer sua ciência junto a sociedade isso é observado até quando adquirimos um livro e o título é “Fisiologia Médica”, algo inexistente, a fisiologia é na verdade a Fisiologia Humana. Temos que admitir o fortalecimento da Odontologia e Psicologia, quando alguém vai fazer tratamento odontológico ou psicológico isso significa que vai ser submetido ao tratamento ou está indo buscar recursos para melhorar sua saúde, o mesmo não acontece com a fisioterapia, quando se vai buscar o tratamento fisioterapêutico se diz: “vou fazer fisioterapia” parece bobagem, mas temos que verificar nesses detalhes que isso modifica o objetivo real em relação ao tratamento, porque só vai fazer  fisioterapia  quem  pretende  se submeter  a  fazer uma faculdade em fisioterapia com no mínimo  4000horas/aulas. Outro ponto é a tal sessão de fisioterapia, assim bem como  o tal de pacote de desconto. Caros colegas não fazemos sessão e sim tratamento, quanto aos pacotes busquem negociar financeiramente seus serviços, nada mais justo, só não empacotem uma ciência.  Minha sugestão final não façam sofrer  os que amam e respeitam a fisioterapia, proponho que retirem essas faixas  horríveis de descontos das dez sessões de crio, forno e drenagem , retirem as faixas de pacotes e aulas gratuitas.  Sugiro estamparem nos bolso ou nas mangas dos seus jalecos, nas placas de suas clínicas e em  seus anúncios: Tenho Orgulho de Ser  Fisioterapeuta, certamente estaremos modificando a história, estaremos  apresentado os reais valores dessa ciência a sociedade.

7 Comentários

  • Bruno N. Felinto Nogueira disse:

    Inicialmente gostaria de parabenizar a iniciativa de termos um local onde possamos discutir os rumos que a nossa profissão vem tomando, e saudar o amigo Jorge Brandão pela forma ética com que vem trazendo a tona os assuntos que muitos tentam esquecer.
    Acredito que a atitude de nosso colegas ao adotarem uma denominação que não a de FISIOTERAPEUTA, deve-se ao grande comércio de cursos que virou a fisioterapia. A grande maioria dos cursos que estão no mercado vendem uma ilusão: o titulo de RPGista, Osteopata, etc mudará sua realidade e remuneração. Me pergunto muitas vezes se a realidade financeira modificada não foi apenas a do organizador do curso ou mesmo do professor (muitos sem experiência clínica, recém “formados”no métodos e já se tornam “professores”).
    A real mudança na forma como somos vistos e remunerados virá da nossa ética ao tratar: não atenda pensando no financeiro, pense no resultado clínico, e se este for bom você aos poucos começará a ter melhores retornos.
    Valdez Ludwig, consultor de empresas, exemplifica este fato descrevendo o início da vida de um jogador profissional de futebol, que inicia ganhando muitas vezes um salário mínimo, mas nem por isso faz gols contra.

    Vamos deixar de fazer “gol”contra na fisioterapia. Vamos ter orgulho da nossa profissão e atuar com competência e responsabilidade, sempre pautado em evidências científicas e não em rótulos de cursos.

  • Ewertom disse:

    Caro autor,

    Discordo em parte de suas colocações.

    Por que não podemos nos designar pela nossa especialidade? O médicos não usam Cardiologista, Pneumologista, etc.? Então por que sendo especialista em Osteopatia não posso me designar Osteopata, ou Acupunturista, ou quiroprata…?

    Especialistas devem sim ser designados pelas suas especialidades… o COFFITO reconhece especialidades e boa parte delas já possui CBO Específico.

    Saudações!

  • Ilana Barros disse:

    Fiquei super feliz quando vi essa iniciativa, e mais ainda saber que existem pessoas como o Dr.Jorge Brandão lutando por nossa profissão!

  • Claudia Simone R. Araújo disse:

    Muito edificante o espaço! Adorei mesmo! Penso que as discussões só nos levam ao crescimento. Vale pensar e repensar nossos conceitos e condutas. Tenho orgulho de ser FISIOTERAPEUTA!!

    Um grande abraço

  • Lilian Lourenço disse:

    Parabéns Dr. Jorge Brandão pela iniciativa de permitir um espaço para discutirmos sobre a nossa profissão e defendê-la…Sempre acreditei no seu potencial…Parabéns pelo grande profissional que você é…Felicidades!!!

  • José Corsino Monteiro Júnior disse:

    É fundamental que os fisioterapeutas entendam que a base do profissional é a FISIOTERAPIA. Esta é a nossa profissão e não pode ser substituída pela especialidade ou outro curso, seja de aperfeiçoamento ou não.

    A especialidade dentro da fisioterapia é importantíssima, mas esta, só existe porque antes existe a outra. Portanto a primeira é, e sempre será, pré-requisito para qualquer especialização.

    É claro que, em questão de marketing, pressupõe que se deve divulgar a especialidade, pois isso informa a qualificação do profissional, mas tem que ser de maneira clara e direta, para que o cliente entenda bem e não fique confuso na hora de buscar um atendimento FISIOTERÁPICO mais adequado para a disfunção que está apresentando.

    No entanto, esta propaganda nunca poderá apagar ou mesmo camuflar o principio que norteia o profissional em questão, que no caso é a FISIOTERAPIA, sob pena de criar uma confusão ainda maior na cabeça do cliente e pior ainda, apagar paulatinamente da memória social a FISIOTERAPIA. Isto, com certeza seria uma ação antimarketing e um desserviço a toda a classe dos fisioterapeutas.

    Acho que, sem dúvida alguma, os fisioterapeutas devem se fortalecerem fazendo uma especialização, porque indica mais estudo, aperfeiçoamento e atualização do profissional, mas ele tem que ter o cuidado em não desfazer da sua profissão, desvalorizando-a ou anulando-a através de uma demasiada divulgação da sua especialização. Seria com certeza anular a si mesmo como profissional.

    SOMOS TODOS FISIOTERAPEUTAS !!!

  • Marcelo Sidney Gonçalves disse:

    Caro colega Ewerton,

    Não se trata de proibir ou permitir. Quem é fisioterapeuta deveria se apresentar como tal, pois, perante o inconsciente coletivo da sociedade brasileira inexiste uma construção histórica que consagre profissões como osteopatia ou quiropraxia ou ainda de RPG.
    Você clinica no seu dia a dia não por ter feito curso de osteopatia, ou em outros casos, de RPG. A chancela que lhe garante e lhe resguarda autenticidade social é a de fisioterapeuta, então por que não se apresentar como FISIOTERAPEUTA OSTEOPATA?
    Não vejo o que você deixaria de ganhar com isso. A não ser que você pertença ao time dos fisioterapeutas osteopatas que estão torcendo para que o Projeto de Lei da regulamentação da quiropraxia, através do estupro da legislação da fisioterapia, seja aprovado para que apresentem um Projeto de Lei, através de outro estupro da legislação de regência da fisioterapia, visando regulamentar a osteopatia.

    Marcelo Sidney Gonçalves – São Paulo
    Fisioterapeuta Intensivista
    Fisioterapeuta Quiropraxista

\

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *