Fisioterapia & Saúde

Fisioterapia Dermatofuncional nas intercorrências das cirurgias plásticas. Por Olavo Ximendes

A cirurgia plástica tem a cada ano novos adeptos em busca de uma melhor aparência. Com a evolução, as ritidoplastias, abdominoplastias, mamoplastias e lipoaspirações deixaram de ser apenas descolamento da pele para reforçar a musculatura flácida ou reposicionar com menos agressividade também reduzindo as incisões cirúrgicas, levando a naturalidade da região operada. As intercorrências surgem devido o processo de aderência da pele, seromas ocorridos nos primeiros dias, mal uso das cintas abdominais,movimentações bruscas imediatas; na face estão inseridos os nervos que podem ser lesados por variadas causas, como a dissecação do SMAS ou comprimidos por edema na fase do pós-cirúrgico imediato, ocasionando paralisias faciais temporárias; encapsulamentos de próteses de silicone, necroses, enfim inúmeras intercorrências de acordo com cada tipo de pele e estilo de vida do paciente operado. Objetivando-se a rápida recuperação das cirurgias plásticas a fisioterapia dermatofuncional lança mão de técnicas variadas e cientificamente comprovadas com recursos eletroterápicos e manuais para levar uma uniformidade do tegumento. Caracterizando o estudo por pesquisa de intervenção, com base na abordagem quanti-qualitativa, na Clínica Médica, Fortaleza – Ceará, durante janeiro 2008 a janeiro 2009; com amostra de 50 pacientes com lesões e alterações diversas relacionadas ao tegumento, com idade entre 40 e 70 anos, sexo masculino e feminino, grau de escolaridade superior. Foi realizada intervenções com ultra-som 3mhz pulsado; tens burst, radiofreqüência, vacuoterapia e drenagem linfática dependendo do caso clínico e prevenções a ser realizadas como também em seqüelas já instaladas. A freqüência das sessões era diária no grupo de 20 pacientes e 30 pacientes realizavam atendimentos três vezes semanais em média de total de 20 aplicações. Os resultados em 80% das pacientes atendidas foram percebidos inicialmente com o alívio do edema, descomprimindo a região operada, liberando a musculatura enrijecida, ocasionando alivio de forma geral auxiliando para o retorno da vida diária., enquanto 20% necessitaram prolongar o número de atendimentos com tempo diverso para o término do mesmo.As pacientes atendidas obtiveram resultado satisfatório sem nenhum incomodo, dor, irritações e descolamento do tecido, levando a um melhor resultado da cirurgia plástica e conseqüentemente ficando felizes com os profissionais cirurgiões plásticos e fisioterapeutas.

Por:  Olavo Ximendes