Fisioterapia & Saúde

Estudante de Fisioterapia é morto por cães pit bulls

Catherine Moraes
Da editoria de Cidades
O estudante de Fisioterapia da Fesurv Eduardo Alves Costa, 28, morreu, na manhã de ontem, após ser atacado por um casal de cães pit bulls, no município de Santa Helena, a 219 km de Goiânia. Segundo informações da Polícia Militar, os animais fugiram há três dias e fizeram quatro vítimas. Quando Bombeiros e Polícia Militar chegaram ao local, Eduardo já estava sem vida. Ele foi a única vítima fatal. Ainda não se sabe quem é o dono dos cães.
No momento do ataque, Eduardo atravessava uma área próxima à GO-210 e ao Setor Jardim das Aroeiras. Moradores ouviram os gritos e acionaram a PM e Bombeiros. Segundo o Corpo de Bombeiros, o rapaz foi arrastado por aproximadamente 20 metros. Ele teve a jugular completamente dilacerada. O corpo foi encontrado com mordidas nos braços e nas pernas. Estava sem orelhas e com a pele do rosto completamente solta. Eduardo morreu com hemorragias por todo o corpo.
Uma outra vítima dos animais, não identificada, teve o braço quebrado ontem e foi encaminhada ao Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo). Os cães foram perseguidos pela PM. O macho morreu com vários tiros, e a fêmea fugiu entrando em um canavial. A polícia acredita que a fêmea também tenha sido atingida pelos disparos. Várias denúncias foram feitas durante todo o dia de ontem a respeito da possível localização da fêmea pit bull, mas não se conseguiu localizá-la.
Em Goiânia, Carmen Lúcia da Silva, 44, outra vítima recente de animais dessa raça, foi atacada por seu cachorro pit bull no dia seis de maio, em sua própria casa, no Setor Fortaleza, em Goiânia. Os vizinhos que a ajudaram chamaram a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros. O cachorro, criado pela família desde pequeno, teve de ser sacrificado. Carmen foi levada ao Hugo, gravemente ferida. Ela estava com o pé quebrado e engessado, o que poderia ter feito o cachorro sentir estranhamento. O animal teria arrastado a vítima pela casa, atacando-a principalmente na sala. Como noticiou o DM à época, os vizinhos ouviram gritos e pularam o muro na tentativa de ajudá-la, deram pauladas no cachorro, chamando em seguida os Bombeiros e a Polícia Militar, que deu três tiros no cachorro. Carmen Lúcia teve laceração dos membros superiores, na face, na barriga e no crânio. No Hugo, precisou passar pelo centro cirúrgico, mas não correu risco de morte.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *