Fisioterapia & Saúde

Operação apreende 780 cosméticos irregulares e fecha fábrica.

A Agência Pernambucana de Vigilância Sanitária (Apevisa) apreendeu 780 cosméticos irregulares, já prontos para venda, na manhã desta quinta-feira (7/10), em Igarassu, Região Metropolitana do Recife. O órgão também localizou a fábrica na qual os produtos eram feitos, no bairro de Afogados, no Recife. Como o local não tinha licença para funcionar, os materiais encontrados foram apreendidos e o prédio fechado. A ação foi realizada em parceria com a Delegacia de Combate à Pirataria e o apoio da Polícia Civil.

Entre as irregularidades encontradas, o gerente da Apevisa, Jaime Brito, destacou o uso de formol em um redutor de volumes. “Esse é um produto tóxico e que pode ser fatal para quem manipula ou usa. Ele provoca irritação, queda de cabelo ou até mesmo o desenvolvimento de um câncer”, afirmou. Ainda foram localizados xampu, condicionador, reconstrutor térmico, kit alisamento, reparador de pontas e embalagens plásticas e de papelão no galpão em Igarassu. Os produtos eram das marcas Talento’s, Perfect Progress Hair e Advance.

Na fábrica, em Afogados, os agentes da Apevisa encontraram barris com formol e cosméticos, além de embalagens e outros insumos necessários para fazer os produtos. Os proprietários também disseram fabricar detergente no local. Segundo o gerente Jaime Brito, o órgão irá divulgar um termo de resolução para retirar imediatamente do mercado todas as marcas encontradas.

PIRATARIA – Durante a operação, foram encontrados o responsável pelo galpão de armazenamento e os dois proprietários da fábrica. Todos foram encaminhados para prestar esclarecimentos na Delegacia de Combate à Pirataria.

“Eles podem ser enquadrados no código penal 273, por crime de saúde pública, com pena de reclusão de 10 a 15 anos”, disse o delegado Tiago Cardozo, que começou a apurar a denúncia junto à Apevisa no mês de agosto.

Fonte: Secretária de Saúde do PE.