Fisioterapia & Saúde

Saúde capacita profissionais na linguagem dos sinais

Encontro reúne cerca de 80 fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais

 

O domínio da Linguagem Brasileira de Sinais (Libras) fará parte da formação dos profissionais que atuam na acolhida de pacientes em todas as unidades de saúde de Curitiba a partir de 2011. O anúncio foi feito nesta quarta-feira (13) pela secretária municipal da Saúde, Eliane Chomatas, durante a abertura do VI Encontro de Fisioterapia em Saúde Coletiva de Curitiba.

O encontro reúne cerca de 80 fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais no Salão de Atos do Parque Barigui, para discutir a atenção à saúde das pessoas com deficiências. Segundo a secretária, o objetivo do treinamento em Libras é melhorar o atendimento das pessoas com esse perfil que usam a rede municipal de saúde e que no ano 2000, segundo o censo populacional, representavam 14,5% da população brasileira portadora de todas as formas dos diferentes tipos de deficiências.

“Já estamos tratando da contratação do curso que capacitará nossos profissionais para fazer a abordagem adequada das pessoas que não podem ouvir e, assim, facilitar sua integração na rotina das unidades de saúde”, disse Eliane.

O treinamento em Libras é mais uma manifestação da prioridade que a administração municipal dá às pessoas com deficiências. Recentemente foi criada a Secretaria Especial dos Direitos da Pessoa com Deficiência, comandada por Irajá de Brito Vaz. No âmbito da Saúde, os Núcleos de Apoio à Atenção Primária em Saúde (Naaps) contam com a presença de fisioterapeutas, implantados há 1,5 ano, e foi criada a Coordenação da Pessoa com Deficiência no primeiro semestre desse ano. Em julho foi distribuída a versão em braille da cartilha Alimentação Para Uma Vida Saudável: Orientações Para a Família Curitibana, com enfoque na reeducação alimentar.

A realização do VI Encontro de Fisioterapia em Saúde Coletiva de Curitiba coincide com a data em que se celebra o Dia do Fisioterapeuta e o Dia do Terapeuta Ocupacional – duas carreiras que fazem parte da estrutura da Secretaria Municipal de Saúde. A secretaria tem 48 profissionais das duas carreiras no quadro próprio, além de contar com nove clínicas e cinco hospitais credenciados ao Sistema Único de Saúde local que oferecem o serviço. Depois de ouvir palestras sobre o tema do encontro, os profissionais participaram de oficinas em que puderam vivenciar os diferentes tipos de deficiências físicas e a necessidade de adaptação ao meio para superá-las.

Além dos secretários dos Direitos da Pessoa com Deficiência e da Saúde, participou do evento o pároco da Igreja Nossa Senhora da Ternura, Wilson Czaia, o segundo padre surdo do Brasil. Voltada para os fiéis surdos e portadores de outras deficiências, a igreja funciona junto à paróquia de São Francisco de Paula. O presidente do Conselho Regional de Fisioterapia, Abdo Zaghib, também fez parte da mesa de abertura e destacou a visibilidade dada à carreira por meio do trabalho voltado para a saúde coletiva, nas áreas de prevenção e promoção da saúde. “Muita gente que não fazia ideia do que era o trabalho do fisioterapeuta passou a entendê-lo e valorizá-lo”, disse.

Fonte: Bem Paraná.