Fisioterapia & Saúde

Para 47% dos paulistanos, qualidade de vida na cidade melhora no último ano

Por:  IBOPE Inteligência,Notícias

Rede Nossa São Paulo divulga a segunda edição da Pesquisa de Indicadores de Referência de Bem-Estar no Município, realizada pelo IBOPE Inteligência

A Rede Nossa São Paulo e o IBOPE Inteligência apresentam a segunda edição dos Indicadores de Referência de Bem-Estar no Município (IRBEM), pesquisa anual realizada para levantar e avaliar a satisfação com a qualidade de vida do cidadãos paulistanos, bem como suas percepções sobre vários aspectos da cidade.  

Nesta segunda rodada da pesquisa, aumenta a proporção da população que percebe melhoria na qualidade de vida na cidade. Em 2009, 42% consideravam que a qualidade de vida havia melhorado. Em 2010, o percentual sobe para 47%. Da mesma forma, aqueles que viam piora nesse indicador somavam 13% da população em 2009 e, em 2010, são 10% da população.

Também aumenta a quantidade de pessoas que não trocariam São Paulo por outra cidade. Quando questionados se mudariam de cidade caso tivessem a oportunidade, 51% dos entrevistados afirmam que o fariam, enquanto 48% dizem que continuariam em São Paulo. Em 2009, 57% afirmavam que deixariam a cidade se pudessem, enquanto 41% diziam que não sairiam.

Indicadores de qualidade de vida

Na pesquisa, os entrevistados são questionados quanto a diversos aspectos relacionados à sua qualidade de vida. O indicador geral médio de satisfação com a qualidade de vida em São Paulo obtido nesta edição da pesquisa é de 5,0, superando a marca de 4,8 obtida em 2009. Ao responder, o entrevistado escolhe uma nota de 1 a 10, para expressar sua satisfação com cada aspecto avaliado, sendo 1 para indicar total insatisfação e 10 para manifestar total satisfação.

No estudo, são avaliadas 25 áreas relacionadas à qualidade de vida na cidade. As três melhores avaliadas pela população são relações humanas (6,9), religião e espiritualidade (6,5) e trabalho (6,1). As três áreas com as piores avaliações são transparência e participação política (3,5), desigualdade social (4,1) e cessibilidade para pessoas com deficiência (4,1). O detalhamento dos 169 indicadores de qualidade de vida, distribuídos pelas 25 áreas analisadas, está disponível para o público no portal do IBOPE (www.ibope.com.br).
 
Sobre o IRBEM

O objetivo dos Indicadores de Referência de Bem-Estar no Município (IRBEM) é realizar um levantamento para que a própria sociedade civil, governos, empresas e instituições conheçam as condições e os modos de vida dos cidadãos, a fim de que as ações públicas e privadas tenham como foco principal o bem-estar das pessoas.

Em 2009, na primeira fase do processo de formulação do IRBEM, foi realizada pela Rede Nossa São Paulo uma consulta pública pela internet e por várias organizações sociais levantando os principais aspectos que os paulistanos consideram importantes para sua qualidade de vida. Essa etapa ocorreu entre julho e outubro de 2009 e contou com a participação de mais de 36 mil pessoas de toda a cidade de São Paulo.

Após a primeira fase, a Rede Nossa São Paulo e o IBOPE Inteligência selecionaram o que foi apontado como mais importante para o bem-estar dos cidadãos paulistanos e incorporaram tais itens à pesquisa anual de percepções da população sobre a cidade.

Assim, em dezembro de 2009 e de 2010, ao realizar a pesquisa anual de percepções sobre a cidade, o IBOPE Inteligência levantou o nível de satisfação da população com os temas e aspe ctos mais citados como importantes para a qualidade de vida e o bem-estar na cidade, permitindo o acompanhamento da evolução destes indicadores.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *