Fisioterapia & Saúde

Núcleos de Apoio ao Saúde da Família serão expandidos

469 6

Com o objetivo de fortalecer a rede “Saúde Mais Perto de Você”, o Ministério da Saúde definiu novos critérios para que as secretarias municipais de saúde estruturem novos Núcleos de Apoio ao Saúde da Família (NASFs). Além da ampliação das categorias e especialidades profissionais que poderão atuar nos NASFs, o governo federal simplificou os critérios para a implantação dos Núcleos. A partir de agora, os Municípios que tiverem mais de duas Equipes de Saúde da Família poderão aderir ao NASF.

A nova portaria que institui a Política Nacional de Atenção Básica foi publicada no Diário Oficial da União dia 24 de outubro de 2011. A classificação e a forma de composição dos Núcleos também sofreram alterações. Serão duas modalidades de unidades: NASF Tipo I, em que a soma das cargas horárias semanais dos profissionais que atuam no apoio às Equipes de Saúde da Família (ESFs) deve acumular, no mínimo, 200 horas semanais; e NASF Tipo II, em que os profissionais acumularão, no mínimo, 120 horas semanais. Nas duas modalidades, nenhum profissional poderá ter carga horária semanal inferior a 20 horas.

Com os novos critérios, a estimativa do Ministério da Saúde é que a quantidade de NASFs em todo o país salte de 880 podendo chegar a 4.524. Os Núcleos são constituídos por equipes multiprofissionais que trabalham afinadas atreladas, vinculadas às ESfs. Nos Núcleos, os profissionais desenvolvem atividades como consultas  conjuntas, educação permanente, discussões de casos e ações de educação em saúde com a população. Com a ampliação das competências dos Núcleos, o Ministério da Saúde aumenta em até quatro vezes a capilaridade de resolutividade da Estratégia Saúde da Família. 

Os municípios que aderirem ao NASF Tipo I receberão, do Ministério da Saúde, R$ 20 mil para a implantaçao do Núcleo e mais R$ 20 mil mensais para o custeio das equipes. A modalidade Tipo II contará com R$ 6 mil para implementação do NASF e mais R$ 6 mil mensais de custeio. Os recursos serão repassados do Fundo Nacional de Saúde para os fundos municipais de saúde.

Poderão compor os NASF I e II as seguintes ocupações do Código Brasileiro de Ocupações – CBO: Médico Acupunturista; Assistente Social; Profissional/Professor de Educação Física; Farmacêutico; Fisioterapeuta; Fonoaudiólogo; Médico Ginecologista/Obstetra; Médico Homeopata; Nutricionista; Médico Pediatra; Psicólogo; Médico Psiquiatra; Terapeuta Ocupacional; Médico Geriatra; Médico Internista (clinica médica), Médico do Trabalho, Médico Veterinário, profissional com formação em arte e educação (arte educador) e profissional de saúde sanitarista, ou seja, profissional graduado na área de saúde com pós-graduação em saúde pública ou coletiva ou graduado diretamente em uma dessas áreas.

Fonte : COFFITO

6 Comentários

  • Ricardo Antônio Caminha Walraven disse:

    Penso que a idéia e muito boa, contudo, como
    De uma forma em geral, trata-se a saúde sem
    Se cuidar, com o respeito devido, dos profissionais
    Envolvidos. Quando não são as condições
    Mínimas (não citei ideais que o trato com a
    Saúde exige), são as condições salariais. A
    Baixa remuneração afasta os bons profissionais
    E desencoraja novos. Um bom programa, seja
    Ele qual for, só e bom quando e bom para todos.

  • Dr Henrique da Mota disse:

    O modelo apresentado, que guarda certa semelhança com os “dispensários” surgidos após a revolução francesa, é mais uma triste ilusão. Como fazer atendimento de qualidade sem uma estruturação séria de uma rede sanitária eficaz? Meus senhores, a saúde pública do Brasil é uma vergonha, dominada por grande inoperância e incompetência. Um ralo de dinheiro que não vale todos os impostos que nela colocamos. Não há profissional de qualidade com os valores que são pagos. Será sempre uma saúde de segunda linha. Uma saúde pobre para os pobres.

  • Luis disse:

    O piso é R$ 4600,00

  • Dr Henrique da Mota disse:

    O nosso grande problema é que neste nossa realidade de cabeça para baixo, o piso vira teto e este será o máximo, e não o mínimo a ser recebido. Enquanto não houver uma Carreira de Estado para os profissionais de saúde, com programação de progressão técnica, acadêmica e salarial, a coisa vai ficando no reino da enganação. O que mais me assombra é que tudo isto que eu digo vocês já foi feito na Europa no final do século 18. Estamos muito atrasados, não?

    A grande verdade é que nosso sistema de atenção básica mais se assemelha às gafarias medievais que aos modernos conceitos de saúde. Mesmo que possa haver algum tipo de sucesso isolado, a regra é a calamidade, a podridão e a imundice. Em nossa sociedade excludente, existe uma medicina pobre ao serviço dos pobres e em benefícios de uma eterna casta que disso se beneficia econômica e/ou politicamente, pois para eles a população pobre continua a mesma lazarenta de sempre e apenas merece uma política de isolamento do núcleo do sistema social e sanitário. O fato é que hospitais públicos europeus são infinitamente superiores aos hospitais mais ricos do Brasil e até mesmo aos centro de referências americanos. Tem algo muito errado nisso, não? Será que falta mesmo dinheiro? Posso assegurar que não falta. Quantos hospitais seriam construídos e aparelhados com o dinheiro gasto nos estádios da copa do mundo? Vivemos ainda no “panis etr circus”, numa era, de fato, pré-medieval.

    Assim sendo, caros senhores, pisos justos nunca serão possíveis nesse sistema, pois deve sempre sobrar “algum” para fazer rodar as engrenagens do “sistema”.

  • agamenon disse:

    Queria que alguem me dissesse como é gasto o dinheiro do nasf ??
    se é 100% com pessoal se é 70% e o resto com material ? O meu NASF é o NASF 1 vem 20 mil por equipe nós temos 3 equipes vem 60mil por mês os profissionais de 40h ganham 2.000,00 mil e os de 20h 1.400,00 . È gasto 30.000mil com salario e os outros 30.000 mil vão pra onde ?? Será se posso dar aumento??

  • Marciana disse:

    Vocês estão reclamando do salário ? eu queria ganhar isso ai meu DEUS sou efetiva do nasf I 40 hs semanais e ganho 800,00 fora os descontos, moro no PIAUÍ. a PM alega que esse valor estava no edital mais infelizmente o NASF não tem fiscalização . só cobrança.

\

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *