Fisioterapia & Saúde

Novos caminhos no tratamento da dor lombar.

524 1

Treinamento avançado do controle motor para dor lombar e pélvica foi tema central, que trouxe a Fortaleza Paul Hodges, professor titular da Universidade de Queensland e diretor do Centro de Pesquisa em Excelência de Dor vertebral, Lesão e Saúde. É doutor em Fisioterapia e Neurociência e seu trabalho utiliza métodos neurofisiologia e biomecânica para compreensão do controle do movimento e estabilidade e como essa mudança ocorre em indivíduos com dor. Sua linha de pesquisa principal inclui investigação da relação entre dor e controle motor, a coordenação das múltiplas funções dos músculos do tronco, o efeito do exercício no tratamento das dores musculoesqueléticas. Publicou mais de 200 artigos e leciona em todo o mundo como podemos aplicar na clínica seus resultados.

Resolutividade, assim define Paul Hodges quando se quer alcançar êxito na recuperação das disfunções da coluna vertebral. É constatado através de evidencias o quanto é possível e necessário modificações do controle motor e da postura, para diminuição da dor, incapacidade e recorrência, desde que a abordagem seja feita individualmente e com precisão. Foi destacado a importância da avaliação na identificação do déficit motor, das condições posturais, respiratórias e biomecânica do assoalho pélvico que possam interferir diretamente na recuperação das disfunções da coluna lombar. A estratégia para resolutividade também consiste nas atitudes e crenças do individuo, seu equilíbrio e capacidade sensorial, bem como promover biofeedback, oferecendo condições para que o mesmo tenha ciência e consciência aonde está seu limite.

Pilates, atividades com roldanas, associar com trabalho de academia, melhorar condicionamento respiratório, foram citadas, por ser constatado em evidências científicas a eficiência dos exercícios ativos. Paul Hodges deixou claro que protocolos para dor lombar realizados em grupos não são eficientes, a velha regra: “Cada caso é um caso”, prevalece, dessa forma trabalhar individualmente respeitando as condições de cada um é o caminho do sucesso na recuperação das disfunções da coluna vertebral.

Fisioterapeutas de vários estados brasileiros estiveram reunidos por 16 horas, além de um momento de grande valor intelectual, reencontros e novos relacionamentos foram agregados a esse evento.

Paul Hodges em Fortalezacurso 1 curso2 curso 3 curso 5

1 comentário

  • João Silva disse:

    Boa noite,
    Sou estudante de Anatomia em Londres e esta semana foi colocado um desafio aos alunos.

    – Desafio –

    – Uma cliente com dores lombares e com uma inclinação anterior pélvica dirigiu-se a um especialista para que fosse observada e o seu problema diagnosticado. Após análises métricas os resultados foram os seguintes:

    Flexion – knee flexed 130°, knee extended 75°
    Extension – 5°
    Abduction – 30°
    Adduction 20°
    External rotation 50°
    Internal rotation 20

    Foi então transmitido à paciente de que o quadril era alvo de uma grande pressão e necessitava de fortalecer as rotações externas e os abdutores.

    – É pedido a cada aluno que identifique:

    – Quais os músculos que movem o quadril;
    – Quais os músculos que devem ser fortalecidos;
    – Quais os exercício na academia (ginásio) são beneficos;

    Gostaria de que partilhassem opinioes comigo se possível.
    Abraço

\

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *