Leituras da Bel

Um poema de Baticum para o blog Leituras da Bel

Arte de Antônio LaCarne

–Por Baticum

No meio do caminho tem um sorriso
Tem um sorriso no meio do caminho
Ser feliz é o que eu preciso
Para isso devo continuar existindo

É tão nítido
O incômodo dos que lucram com a dor e a morte. Se é que ganham algo ou é simplesmente porque são escrotos…
Ao saber que fazemos as cousas e nos sentimos bem…

Mas eu acredito!

Que juntes somos mais
Melhores
Fortes

E se um dia o silêncio nos tomar
Tu vai e
solta um grito!

Põe na boca um apito piiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii

Lança gargalhadas

Atira abraços

Joga olhares

Essas são algumas das armas que carregamos
Temos porte
Posse
Muita munição
E sabemos usar
Acertar os alvos
Em cheio

Powpowpowpow
Paaaaá

No meio
Acertei bem no meio do teu coração
Ficou alojado
Atravessou tua cabeça

E antes que você esqueça
Cresça
(Porque eu cresci e desapareço sempre quando posso pra esse mundo doente)

Onde às vezes podemos ser até pessoas mas não gente
Já estava esquecendo, cresça, se perca…bem, eu sou ruim de mais para dar…
Conselhos.

Sei que eles nos querem com a mão na cabeça
Moralmente
Psicologicamente
Socialmente
Existencialmente…ahhhhhhh

De
Joelhos

– tu responde?

O bonde do mal vai passar
Pode pá
Podes crer

Nada vai nos
parar
Se há algo a temer
É não
Poder
Como se pode
Ou
Quer
Viver

Essa onda passa, tudo passa, nós pagamos
Nós pisamos na grama
(Apesar de ser proibido)

Eu sou como um passarinho
Carregando as sementes no bico, engolindo
Lindo
E depois cagando. Ecaaa

Fertilizar o solo
Pra vida brotar
Esse é o ciclo da natureza
Para que tanta surpresa???

“Água mole
Pedra dura
Tanto bate até que fura”

Opa, eu ouvi ditadura?

Bem, se isso é ou não frescura
Se eu deveria estar na igreja
Eu não sei
Só sei que esse é um poema

E acompanhado de uma cerveja, huuum

Ah, você não bebe…
E essa boca
Beija???

***

Baticum

É poeta, arte educador, músico e articulador do Slam da Okupa.

Antônio LaCarne

É cearense, formado em Letras Inglês pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Autor de Elefante-Rei: Poemas B (CBJE, 2009), Salão Chinês (Patuá, 2014); Todos os poemas são loucos (Gueto Editorial, 2017) e Exercícios de fixação (AR Publisher, 2018). Participou das antologias “A polêmica vida do amor” (Oito e meio, 2011) “A nossos pés” (7Letras, 2017), “Golpe: antologia-manifesto” (Nosotros Editorial, 2017) e “Rotatórias” (Galeria Sem Título Arte, 2018).

***

Você também pode gostar de:

Recomendado para você

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *