Leituras da Bel

Os pombinhos: leia poema de Sara Síntique no blog Leituras da Bel

Os pombinhos.

*Por Sara Síntique

Ilustração: Jéssica Gabrielle Lima

Te amei como um cão.
E gostei.
Não disse nada.
Inventei rosnados e latidos.
Você não me entendeu além de patas garras lambidas mordidas certa lealdade.
Não um cão domesticado.
Nunca uma coleira.
Também não tão raivoso.
Evitei prejuízos.
Que cão fui eu ora isso.
Você não me entendeu além.
Amei como um cão talvez tenha sido.
Te entender como bicho entende bicho.
Com o mistério de um bicho. De um cão.
Com o interesse de um cão no lixo.
Tenha sido bom talvez.
Cruzar o cio no meio-fio.
Deixar o rastro pela calçada.
Você não me entendeu cão.
Eu mesma duvidei.
Pensei antes gato. Lebre. Gráis.
E a solidão de um cão no feminino.
Mas fui o cão. Os rosnados os latidos.
O ganir afoita as madrugadas.
Soube também pelo faro. Pelo farejado.
Você só concorda pelos olhos.
Pelo susto.
Você não me entendeu. Te amei.
Renunciei outros modos.
Gato. Lebre. Gráis.

***

Sara Síntique
É escritora, atriz e professora. Autora dos livros ÁGUA ou testamento lírico a dias escassos (Ellenismos, 2019) e Corpo Nulo (Substânsia, 2015). Tem textos publicados na antologia O olho de Lilith (Ferina, 2019), na CULT Antologia Poética n.2 (REVISTA CULT, 2019) e em diversas revistas. É mestra em Literatura Comparada pela Universidade Federal do Ceará (UFC), onde também se graduou em Letras Português – Francês.

Recomendado para você

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dez + dezenove =