Plínio Bortolotti

Dono do 7 de Setembro critica disputa entre colégios e o “roubo” de bons alunos

370 4
Ednilton Soárez, em foto de Edmar Soares

Ednilton Soárez, em foto de Edmar Soares

Nos “Debates Especiais Grandes Nomes”, da rádio O POVO/CBN, foi entrevistado ontem Ednilton Soárez, proprietário do Colégio e Faculdade 7 de Setembro,  um dos maiores grupos educacionais do Ceará.

Os programas são mediados por mim e o de ontem teve a seguinte bancada de entrevistadores, jornalistas do O POVO: Daniela Nogueira, Eliomar de Lima, Neila Fontenele e Rosa Sá.

Hoje, às 11 horas, o entrevistado será o presidente da Transpetro, Sérgio Machado.

Veja um trecho do resumo da entrevista publicada no O POVO, edição de hoje, em texto de Mariana Toniatti:

«O mote das campanhas publicitárias dos maiores colégios cearenses é o índice de aprovação no vestibular e o número de primeiros colocados em cursos disputados. Na guerra por alunos vale quase tudo, inclusive “roubar” estudantes matriculados no concorrente no ano do vestibular para aumentar o número de aprovados. Ednilton Gomes de Soárez, diretor geral do Grupo de Educação 7 de Setembro, com dois colégios e uma faculdade em Fortaleza, lamenta essas ações. “A competição é desleal. Tentam tirar alunos de outros colégios oferecendo vantagens, às vezes financeiras. Não é nada ético”, diz.»

Veja a matéria completa.

4 Comentários

  • André Bloc disse:

    Caro Plínio,

    Estudei a minha vida toda no Santo Inácio, na Desembargador Moreira, e conhecia quase todo mundo de lá. A questão de lá sempre foi uma formação humana e tudo que isso implica, nunca prezando por resultados de vestibulares (o que tem mudado, já que mesmo meu colégio tem se rendido a essa ‘exigência’ de mercado).

    Eu era um dos melhores alunos de lá e antes do meu vestibular, cerca de 4 anos atrás, cheguei mesmo a receber proposta para mudar de colégio, recebendo bolsa de 50% ou até 100%.

    Eu nunca aceitei e acabei não virando número em outdoor. Acabei passando para a Federal em Jornalismo e, me incomodando muito, foi quando o meu próprio colégio começou a fazer menções a resultados de vestibular, com colocações e percentuais.

    Na outra mão, me lembro de dois colegas meus, que receberam propostas para sair e aceitaram. Um foi estudar em um famoso colégio cearense, ali na Duque de Caxias. Ele estudou a vida toda no Santo Inácio e recebeu uma proposta para estudar no novo colégio com tudo pago. TUDO. Desde mensalidades até material. Aceitou. Na segunda fase do meu vestibular, fiz a prova no colégio desse meu ex-colega. Subindo as escadas, vejo um cartaz enorme com ele. Foto bonita, de corpo todo. Com os dizeres “aluno do Colégio taltaltal é primeiro lugar em prova internacional de física”.

    Esse é um caso que eu vi. Sei de muitos outros, que vem de antes da minha geração e bem antes da atual. A educação cearense é cada vez mais refém desse clientelismo barato, dessa disputa de egos e esse ‘resultadicionismo’. A humanidade da educação está cada vez mais ficando pelo caminho.

  • erico disse:

    A prática dos grandes cursinhos, que transformaram o ensino médio em treinamento para o vestibular é muito danosa para a educação, não digo para os contemplados com outdoor, mas para a educação como um todo. A base da pedagogia delas é a competição e a troca, o tempo todo nas turmas especiais os estudantes são “avisados” pelos professores( em busca de benefícios se nas turmas que ministram houverem mais aprovados)que o seu colega de classe é seu concorrente. Também o desempenho desses bolsistas é motivado pelo acordo que realizaram de cederem o mérito que é deles para a escola.

    Já vi casos de crianças que querem ingressar ainda no ensino médio nessas escolas já pensando no vestibular

    Outra coisa que deve chamr a atenção é a instrumentação que essas empresas fazem das olimpíadas científicas. O aluno que é instrumentalizado para participar das olimpíadas de física, química e outras não necessariamente buscará cursos de física e química. Mas os cursos “nobres” em que o conhecimento dessas é importante para o vestibular.

  • Sérgio Baker disse:

    Essa é a ética do capitalismo, onde tudo vira mercadoria, inclusive a educação.
    O refrido comericante não pode reclamar, pois esse sistema propiciou a sua família um grande acumulo de capital, a ponto de se tornar milionária num Estado miserável.
    HIPOCRISIA.

  • Eduardo disse:

    Esse Ednilton é um hipócrita, a escola dele também faz isso. Estudei no C7S com tudo pago, incluindo material e todas as provas que eu quisesse, assim como vários amigos meus. Isso tudo só porque conseguimos boas colocações na primeira fase de medicina da UFC. Ele fala isso porque o C7S não aprova mais como antigamente, perdeu os alunos pra concorrência…

\

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *