Plínio Bortolotti

Criador da Teoria Gaia diz que mudar hábitos para salvar a Terra é “bobagem”

1028 1
De Hélio Rôla

De Hélio Rôla

Em entrevista ao portal da BBC Brasil [veja a íntegra] o cientista britânico, James Lovelock, criador da Teoria Gaia, disse que mudar os hábitos pessoais para salvar o planeta é “uma bobagem”.

A Teoria de Gaia considera o planeta um superorganismo, no qual todas as reações químicas, físicas e biológicas estão interligadas e não podem ser analisadas separadamente.

Um dos mais importantes estudiosos do meio ambiente, Lovelock, aos 90 anos, diz que se a Terra for salva, será por ela mesma, como sempre aconteceu. “A coisa mais sensível que podemos fazer é aproveitar a vida enquanto podemos”, recomendou.

Lovelock defende ideiais polêmicas, como o uso de energia nuclear como forma de restringir emissões de carbono e combater as mudanças climáticas.

Para Lovelock aquecer o mundo não foi uma decisão deliberada da humanidade, mas que o homem “puxou o gatilho”, inadvertidamente, ao desenvolver otipo de civilização em que vivemos, colocando “as coisas em movimento”.

O cientista disse ainda à BBC que não vê sentido em mudar alguns hábitos de consumo ou no desenvolvimento de fontes de energia renováveis. Ele diz que comprar um carro que consome menos gasolina faz bem para o bolso, mas tentar salvar o planeta dessa forma “é uma bobagem”.

Para Lovelock, a busca por formas de energia renováveis é “uma mistura de ideologia e negócios”, mas sem “uma boa engenharia prática por trás”.  “É um bom negócio, e não vai ser fácil parar com isso, mas não funciona de verdade”.

[Só fiquei chateado porque perderam o sentido as sacolas que levo para o supermercado para evitar os sacos plásticos. De qualquer modo, vou continuar levando, ajuda a carregar as compras – e vou te dizer: aplaca a consciência culpada.]

Comentário

Bom, não sou cientista, mas por instinto sou capaz de apostar que o Homem não conseguirá acabar com a Terra, somente destruirá a própria humanidade – e isso não faz muita diferença para o planeta. A Terra existe há 4,5 bilhões de anos e o homo sapiens surgiu há 60 mil anos. Portanto, ocupamos somente 1,33% do tempo de existência do planeta [e já fizemos esse estrago todo]. A Terra vive muito bem sem a nossa espécie – e deverá continuar existindo se o homo sapiens for extinto. Ela saberá reciclar – como um organismo vivo – o lixo e as cicatrizes que a nossa passagem pelo planeta deixaram.

Recomendado para você

1 comentário

  • Paulo Horta disse:

    Caro Plínio,

    A relação existente entre a idade do planeta e a do homem é bem menor do que foi relatado no seu post. Usando os dados que voce forneceu, o tempo do homem representaria 0,001333… % do tempo de vida da terra. Para se ter uma vaga noção do isso representa, imagine que a idade da terra dure um ano inteiro, a idade do homem seria mais curta do que um piscar de olhos.

    Abraço,

    Paulo Horta.

\

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *