Plínio Bortolotti

“Literatura e Viagem”: ciclo de palestras na Academia Cearense de Letras

608 2

Ilustração: Hélio Rôla (clique para ampliar)

Começou no mês de agosto e segue até novembro/2011 o Ciclo de Conferências da Academia Cearense de Letras (ACL), tendo como tema Literatura e Viagem.

Livro

As palestras serão sempre às terças e quinta-feiras, das 18h às 19h. Em cada um dos encontro um estudioso do assunto abordará um autor ou livro, a partir do tema proposto.

Viagens

A escritora Angela Gutierrez, integrante da ACL e da coordenação do evento, ressalta que o tema não se refere estritamente a literatura “de” viagem. Ou seja, “viagem” é para ser entendida no seu sentido mais amplo, como é o caso, por exemplo, da conferência “Uma viagem à obra de Lima Barreto: Triste Fim de Policarpo Quaresma” ou “A travessia de Euclides da Cunha entre Os sertões e o livro inconcluso”.

Veja abaixo programação completa.

ACADEMIA CEARENSE DE LETRAS

Presidente:: Pedro Henrique Saraiva Leão

CICLO DE CONFERÊNCIAS 2011
Coordenação do Ciclo de Conferências: Angela Gutiérrez, Diretora Cultural da ACL
Colaboração: Acadêmicos Pedro Paulo Montenegro e Ednilo Soárez

Coordenação Administrativa: Regina Fiúza
Secretaria: Cláudia Queiroz

Ciclo de Conferências da Academia Cearense de Letras, 2011

Período: Agosto a Novembro; às terças-feiras e quintas-feiras, das 17 às 18 horas

Tema: Literatura e Viagem

Conferencistas: membros da Academia Cearense de Letras, do Instituto do Ceará, de outras academias e associações literárias, docentes de universidades, escritores

Programação:

1. Angela Gutiérrez (23/8; terça-feira)
O sonho do celta de Vargas Llosa: uma travessia por três continentes

2. Pedro Paulo Montenegro (25/8; quinta-feira)
Viagem à Espanha de Dom Quixote

3. Regine Limaverde (30/8; terça-feira)
Viagem ao Canadá e à sua vida literária

4. Cleudene Aragão (1/9; quinta-feira)
As viagens sonâmbulas de Mia Couto por seu país recontado

5. Ana Maria Roland (6/9; terça-feira)
A travessia de Euclides da Cunha entre Os sertões e o livro inconcluso

6. Ednilo Soárez (13/9; terça-feira)
A Peregrinação de Ramalho Ortigão por Terras Alheias

7. Horácio Dídimo (15/9; quinta-feira)
A viagem de Manuel Bandeira ao Sítio do Picapau Amarelo

8. Vania Vasconcelos (20/9; terça-feira)
Para muito além de mim mesma: personagens viajantes em Clarice Lispector, Conceição Evaristo e Ana Maria Gonçalves.

9. Maria Inês Cardoso (22/9; quinta-feira)
Escritores espanhóis contam Toledo

10. José Alves Fernandes (27/9; quinta-feira)
Viagens, trilhas e caminhos

11. Neuma Cavalcante (29/9; quinta-feira)
Guimarães Rosa: “o real não está na saída nem na chegada: ele se dispõe para a gente é no meio da travessia”

12. Ítalo Gurgel (4/10; terça-feira)
A tradução como viagem

13. Orlando Araújo (6/10; quinta-feira)
Viagens à Literatura Grega Antiga

14. Luciano Maia (11/10; terça-feira)
Mocidade, Amor e Morte: uma ponte literária entre Eminescu e Castro Alves

15. Vera Lúcia Albuquerque de Moraes (13/10; quinta-feira)
Clarice em viagem

16. Beatriz Alcântara (18/10; terça-feira)
Portugal: monges, navegadores e pastores

17. Ingrid Shwamborn (20/10; quinta-feira)
Neukomm, Debret e os Brasileiros (1816-1831

18. Lúcio Alcântara: (25/10; terça-feira)
A Viagem de São Brandão: O Paraíso na Terra

19. Sânzio de Azevedo (27/10; terça-feira)
Viagem à poesia do poeta viajante Raimundo Correia no seu centenário de morte

20. José Augusto Bezerra (3/11; quinta-feira)
Viajando por pergaminhos, cimélios, incunábulos e palimpsestos

21. Noemi Elisa Soriano Aderaldo (8/11; terça-feira)
Sombra e iluminação em Eça de Queiroz (viagens)

22. Pedro Paulo Montenegro (10/11; quinta-feira)
Viagem à obra de Lima Barreto: O homem e o escritor

23. Odalice Castro Silva (17/11; quinta-feira)
Viagem à obra de Lima Barreto: O escritor não silenciou sobre seu tempo

24. Eduardo Diatahy Bezerra de Menezes (22/11; terça-feira)
Viagem à obra de Lima Barreto: Triste Fim de Policarpo Quaresma

Recomendado para você

2 Comentários

  • Thiago Barros disse:

    Caro “professor” Plínio, o senhor ainda lembra de mim dos Novos Talentos? hehe.. Nunca deixei de o ver por aqui, ainda que nem esteja praticando o jornalismo atualmente…
    Venho aqui no seu blog tirar uma dúvida sobre um assunto que, por muito lê-lo, acho possa detalhar. É que em frente a minha casa há uma padaria com um estacionamento de calçada “protegido” por uma corrente que impede qualquer um de estacionar ali. Não há recuo para pedestre, ainda por cima.
    Para piorar, de uns tempos parra cá, o proprietário pôs cones na rua, e uma espécie de vigia para que ninguém os retirasse, numa clara medida intimidativa. Privatizaram a rua e a calçada.
    Quando eles começaram a pintar a rua, indicando que era local proibido de se parar, o síndico do meu prédio ligou para a AMC. Os agente vieram aqui, averiguaram e saíram. Depois o síndico ligou novamente para a AMC para saber que providências seriam tomadas. Incrivelmente, eles disseram que a padaria tinha autorização para tudo aquilo.
    Em que , Plínio, se baseia essa autorização para burlar a lei? Você teria alguma pista para me ajudar a desvendar esse mistério? Ou estou entendendo a lei errada?

    Abraços, Thiago.

    • Plínio Bortolotti disse:

      Caro Thiago,

      Caro Thiago,

      Mande informações mais precisas, como endereço, fotos, etc., que vou pedir para alguém averiguar. (Envie por e-mail).

      Abraço,
      Plínio

\

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 + dois =