Plínio Bortolotti

Assembleia Legislativa: “A pichação e o escândalo dos banheiros”

254 13

Arte: Hélio Rôla (clique para ampliar)

Meu artigo publicado na edição de hoje (8/9/2011) do O POVO:

A pichação e o escândalo dos banheiros
Plínio Bortolotti

O Governo do Estado, a exemplo do que fez a Prefeitura de Fortaleza, meteu os pés pelas mãos na negociação com os professores.

O sempre habilidoso governador Cid Gomes – que costuma atrair os mais díspares para o seu lado – tem-se comportado à desmedida nessa questão, tendo insistido na Justiça em uma causa perdida: o modo de calcular o piso nacional dos professores, no qual ele quer incluir bonificações, o que já foi rejeitado pelo STF.

Talvez porque seu estilo soft não consiga prevalecer nas confrontações diretas, como é o caso do movimento dos professores. Nessas horas costuma revelar-se nele a face Mister Hyde da família Ferreira Gomes.

O fato é que o presidente da Assembleia Legislativa, Roberto Cláudio (PSB), aliado do governo, parece ter embarcado na mesma canoa que, fatalmente, fará água. Ele está dando importância destacada a uma pichação inócua, por suas palavras: “Educação já”, deixada na parede interna da Casa depois da manifestação dos professores, na semana passada. Está certo, foi excesso, inda mais tratando-se de professores. Mas reconheça-se: de nenhum poder ofensivo, ninguém foi xingado ou ameaçado.

Porém, Roberto Cláudio chamou a Polícia e vai abrir inquérito para tentar punir autor do grafite. O que ele vai conseguir é pôr toda a categoria contra ele, achando ou não (o mais provável é que não encontre) o responsável.

Além do mais, alguém poderia perguntar: por que o presidente investe com tanta sanha para achar um pichador e não usa o mesmo vigor para descobrir os dutos por onde escorreram boa parte dos R$ 17 milhões destinados à construção de banheiros para famílias pobres do interior? Pelo contrário, um dos possíveis envolvidos, por estar sob investigação, foi acarinhado na Assembleia.

Pois bem, se alguém fizesse esse questionamento, o que o presidente da Assembleia responderia?

Recomendado para você

13 Comentários

  • Joseane Nunes disse:

    As medidas não estão sendo encontradas para solucionar os problemas da nossa categoria de professores.Aguardamos uma solução em breve.Estamos querendo a aplicação de uma lei!!

  • Irene Jucá disse:

    Pois eu pergunto: por que o presidente investe com tanta sanha para achar um pichador e não usa o mesmo vigor para descobrir os dutos por onde escorreram boa parte dos R$ 17 milhões destinados à construção de banheiros para famílias pobres do interior?

  • Francisco Oliveira disse:

    Parabéns jornalista Plínio, sua indagação reflete a indignação de toda a categoria de professores do Estado. A casa do povo cada vez mais quer calar, prejudicar o povo que infelizmente, por um ato consciente ou inconsciente, escolheram seus membros para representar-nos.

  • PROFESSORE ROGERS SOUSA disse:

    QUEREMOS RESPEITO, DIGNIDADE, E CADA VEZ MAIS PERCEBEMOS QUE ESTES DEPUTADOS NÃO ESTÃO DO LADO DA POPULAÇÃO E SIM DOS GOVERNOS ARBRITRÁRIOS

  • Eduardo disse:

    Excelentes comentários! A questão exige uma resposta: estará o Deputado Roberto Claúdio (PSB, mesmo partido do Governador) tão interessado em investigar com rigor os dois assuntos: a pixação e o escândalo dos banheiros! vale lembrar a desproporção: enquanto a pixação não custará mais que um pouco de tinta, o escândalo dos banehiros está custando vários MILHÕES. De um lado um ato de protesto contra o Governador do outro um escãndao de corrupção envolvendo o Governo. Para o primeiro, investigação rigorosa. para o segundo, “deixa pra lá”. Vários pesos e muitas medidas! Lamentável Deputado Roberto Claúdio! Lamentável!

  • Evalson Alves disse:

    Vale ressaltar que uma pichação pedindo “Educação Já”, “Saúde Já” ou “Segurança Já” nada é do que um imenso clamor social, existe todo uma conteúdo político de insatisfação nessas palavras, pois os três setores que mais traz bem estar social está um caos, somando-se a isso, um grande desrespeito ao principio da moralidade ao se aprovar áreas de segurança e pela desfaçatez nas desculpas para não se investigar a questão dos banheiro do legislativo cearense.

  • matheus disse:

    As vezes penso não existir deputados na ALEC e sim, escravos…

  • Lena disse:

    Pois é, faço a mesma pergunta: por que tanta sanha em descobrir um pichador e por que não usa o mesmo vigor para descobrir os larápios que se apoderam do dinheiro público?

  • Antônio disse:

    Perfeita sua análise.Ainda bem que temos jornalistas como voçê,mesmo que seja no jornal bipolar.Plínio,fingimos que não sabemos as respostas, e assim fazemos para não chegarmos a conclusão que tudo é um faz de conta.Um dia o povo vai enxergar e repudiar esses traidores da verdadeira democracia.

  • Luis disse:

    COMO DIZ GOVERNADOR CID. GOMES:CORPORATIVISMO É UMA PRAGA!!!! ISSO VALE PARA OS SENHORES DEPUTADOS!!!!!!

  • Jucieldo Alexandre disse:

    A Assembleia alega que a pichação “Educação já” é ofensiva e um dano ao patrimônio público. Maior dano é esse escândalo dos banheiros e tantas outras maracutaias de nossa política. Seria tão bom se os representantes do povo no legislativo atentassem para isso…

  • Geraldo Sales disse:

    Muito boa sua postagem, Plínio Bortolotti; a pergunta que encerra o comentário não poderia ter sido mais oportuna. Se o presidente da AL tiver lido a opinião que você, brilhantemente emite, sou capaz de apostar na mudança de atitude da chefia da casa do povo cearense. Aliás, o epíteto “casa do povo” precisa ser imediatamente revisto.

    Concordo com você, pichação inócua, impessoal, sem qualquer ofensa moral a quem quer que fosse. Pichaçãozinha tímida com duas inocentes palavras de ordem em que a primeira poderia ser psiquicamente substituída por “Moralização”, “Justiça”, “Democracia”, “Honestidade” e mais uma dúzia de outras que ocasionalmente nos viesse à mente.

    Portanto, o próprio deputado praticaria uma louvável ação se convocasse uma meia-dúzia de nobres parlamentares e, eles mesmos, limpassem a parede daquela insigne casa do povo e no lugar daquela pichação, estampassem em caixa-alta: “dignidade já, para os professores!” e logo abaixo esta outra, “nosso lema é trabalho”.

  • Eduarda domingos meskita disse:

    hoje a picachao é legal, mais traz problemas…pois a picachao sem qualquer ofensa moral a quem quer que fosse!

\

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

14 − dez =