Plínio Bortolotti

Associação dos Defensores quer reduzir evasão na carreira

O presidente da ADPEC, Roberto Leitinho, entre as diretoras Roberta Quaranta (esq) e Elizabeth Chagas

Recebi hoje a visita de diretores da Associação dos Defensores Públicos do Estado do Ceará (ADPEC). Eles preparam uma campanha para divulgar o trabalho dos defensores públicos.

Estiveram presentes o presidente da ADPEC, Adriano Leitinho, acompanhado das diretoras Roberta Quaranta e Elizabeth Chagas.

Importância

O objetivo da campanha será mostrar a importância da Defensoria, e buscar evitar a evasão na carreira. Os defensores reivindicam “reclassificação” da carreira de modo a equiparar o salário inicial dos defensores com outras instituições do sistema de Justiça.

Evasão

O problema, diz Adriano, é que o salário inicial dos defensores é menor do que das outras instituições do sistema de Justiça, o que provocaria uma “evasão” de concursados da Defensoria. Segundo ele, do último concurso havido (2008) 40 defensores pediram demissão, pois passaram em concurso para a Justiça ou Ministério Público, que têm salários iniciais mais vantajosos.

Salário

Leitinho reconhece que os defensores têm um bom salário – R$ 13.890, no início da carreira. Mas como os aprovados no concurso para a Defensoria, diz ele,  são pessoas aptas a passar em outros concursos, a tendência é que essas concursados migrem para as carreiras da Justiça e do Ministério Público, nas quais o salário inicial supera os R$ 20 mil.

Carreira

A diretora Roberta Quaranta faz questão de dizer que não se trata de pedir aumento salarial, pois no fim da carreira, o salário da Justiça, Ministério Público e Defensoria Pública se equivalem. O objetivo principal, diz ela, é estancar a evasão na carreira de defensor público.

Recomendado para você

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *