Plínio Bortolotti

Livro – Gary Neeleman conta a história do exército esquecido dos soldados da borracha

1076 1
A partir da esquerda: o repórter Emmanue Montenegro, eu, Gary Neeleman, Volnei Oliveira e Rose Neeleman

A partir da esquerda: o repórter Emmanuel Montenegro, eu, Gary Neeleman, Wolney Oliveira e Rose Neeleman (clique para ampliar)

Visitou hoje (1º/6/2013) O POVO o jornalista americano Gary Neeleman e sua mulher, Rose. O casal estava acompanhado do cineasta Wolney Oliveira.

UPI

Neeleman trabalhou no Brasil por vários períodos, a partir de 1954 – e até hoje mantém contato permanente com o país. Foi repórter na agência da notícias United Press International (UPI) e atuou em outros jornais americanos, como o Los Angeles Times e o Washington Post (onde está atualmente).

Soldados da borracha

Ele interessou-se pelo assunto “soldados da borracha” a partir de uma grande reportagem, assinada pela jornalista Ariadne Araújo, publicada no O POVO em 1998. Desde então passou a pesquisar sobre o assunto o que resultou em um livro pronto para ser publicado.

O exército esquecido

Assinado por Gary e Rose Neeleman, escrito em inglês (deverá ser traduzido para o português) o livro tem o título de “Rubber soldiers – The forgothen army that saved World War II” (algo como “Soldados de borracha – O exército esquecido que salvou a Segunda Guerra Mundial). A previsão é que a versão em inglês saia em, no máximo, nove meses. A publicação no país está sendo negociada com editoras brasileiras.

Nordestinos

Segundo Neeleman, o livro traz documentos inéditos, contando como os Estados Unidos recorreram ao Brasil para suprir a necessidade de borracha para a produção de guerra. E mostra as condições dramáticas em que trabalhavam as populações nordestinas (a maioria cearense), que atenderam a convocação do governo brasileiro para coletar látex na floresta Amazônica.

Curiosidade

Neelleman chegou ao Brasil pela primeira vez em 1954. Dois de seus filhos têm dupla cidadania (brasileira e americana), assim como vários de seus netos. Um de seus filhos brasileiros é David Neeleman, proprietário das companhias aéreas Jet Blue (americana) e da Azul (brasileira).

Recomendado para você