Política

Defensor do armamento da Guarda, Ronaldo Martins critica proposta de segurança de Wagner

459 1
Ronaldo Martins participa de sabatina (Foto: Aurélio Alves/Especial para O POVO)

Ronaldo Martins participa de sabatina (Foto: Aurélio Alves/Especial para O POVO)

O candidato à Prefeitura de Fortaleza Ronaldo Martins (PRB) criticou nesta quarta-feira, 21, proposta do adversário Capitão Wagner (PR) de colocar guardas municipais dentro dos ônibus da Cidade. Também defensor do armamento da categoria, ele afirmou que não se pode “desvirtuar a função da Guarda Municipal”. Assista à entrevista aqui.

“O Capitão Wagner hoje está defendendo que vai colocar a Guarda nos ônibus. São 2000 homens e são 2000 ônibus e também 300 vans de transporte alternativo, nós tínhamos que ter pelo menos 8000 homens”, argumentou. “Ela é para cuidar do patrimônio do município. Nós vamos preparar, capacitar a Guarda Municipal, para cuidar perincipalmente do patrimônio público”.

Ele foi o quinto entrevistado na série de sabatinas realizadas pela Rádio O POVO CBN com os candidatos à Prefeitura de Fortaleza. Na ocasião, ele também respondeu a questionamentos sobre “contradição aparente” da defesa do armamento com a sua posição de cristão, pastor protestante. “Não tem nada a ver, não, justiça é justiça”, disse.

Perguntado se sua posição religiosa influenciaria na administração da Cidade em um eventual governo, ele respondeu que não e que governaria para todos. “Não tem nada a ver a religião de uma pessoa, não influencia em nada. Nós não estamos falando de montar uma igreja, mas administrar uma cidade. Vamos administrar para todo o mundo”.

Ele também respondeu que continuaria a apoiar a passeata gay que acontece todos os anos em Fortaleza. “Todos os eventos que já estão no calendário oficial de Fortaleza, nós vamos apoiar com toda a certeza”, falou, referindo-se também a eventos católicos.

1 comentário

  • nazareno germano máximo disse:

    Queria saber dos jornalistas da rádio o povo porque quando a ex- prefeita Luiziane Lins esteve
    na sabatina nada foi perguntado a respeito de religião, aliás a nenhum dos outros candidatos, porque só com o candidato Ronaldo Martins? é porque ele é pastor? isso não seria preconceito?

\

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *