Política

Sérgio Aguiar admite deixar o PDT após derrota para Zezinho Albuquerque na AL-CE

368 1
Sérgio Aguiar foi derrotado na eleição para a presidência da AL-CE.

Sérgio Aguiar foi derrotado na eleição para a presidência da AL-CE.

O candidato derrotado à presidência da Assembleia Legislativa do Ceará (AL-CE), Sérgio Aguiar (PDT), admite a possibilidade de deixar o PDT após a acirrada disputa interna pela sucessão na eleição da Mesa Diretora.

“O que fizeram comigo foi desleal. Vou repensar minha atuação política. Provavelmente não fico no partido. Não saio daqui derrotado. Combati o bom combate. Esse grupo entra na história enfrentando com altivez a tudo e a todos”, declarou após o anúncio do resultado.

Por 27 votos a 18, Zezinho Albuquerque foi eleito para o seu terceiro mandato consecutivo. Embora aliado do governador, Sérgio Aguiar acabou ganhando o apoio de parlamentares da oposição, já que Camilo Santana (PT) pedia votos para o atual presidente.

Após o racha na base aliada do governador na Assembleia Legislativa durante o processo eleitoral, Sérgio Aguiar afirmou ainda que deverá deixar a base e se manter na condição de independência em relação ao governo estadual.

Colaborou a repórter Isabel Filgueiras

Recomendado para você

1 comentário

  • João Luiz Pereira Tavares disse:

    ¯_(ツ)_/¯
    2017: a todos do blog, que fiquem atentos à picaretagem em 2017 & que vossas mentes permaneçam rápidas perante ao ilusionismo do PT.
    Um sublime 2017!

    Viva 2016!

    Em 2016 houve fato fabuloso sim, apesar de Vanessa Grazziotin falar que não, dessa forma equivocada assim:
    “O ano de 2016 é, sem dúvida, daqueles que dificilmente será esquecido. Ficará marcado na história pelos acontecimentos negativos ocorridos no Brasil e no mundo. Esse é o sentimento das pessoas”, diz Grazziotin.

    Mas, por outro lado, nem que seja apenas 1 fato positivo houve sim! É claro! Mesmo que seja, somente e só, um ato notável, de êxito. Extraordinário. Onde a sociedade se mostrou. Divino. Que ficará na história para sempre, para o início de um horizonte progressista do Brasil, na vida cultural, na artística, na esfera política, e na econômica.

    Que jamais será esquecido tal nascer dos anos a partir de 2016, apontando para frente. Ano em orientação à alta-cultura. Acontecimento esse verdadeiramente um marco histórico prodigioso. Tal ação acorrida em 2016 ocasionou o triunfo sobre a incompetência. Incrementando sim o Brasil em direção a modernidade, a reformas e mudanças positivas e progressistas. Enfim: admirável.

    Qual foi, afinal, essa ação sui-generis?
    Tal fato luminoso foi o:

    — «Tchau querida!»*

    [ (*) a «Coração Valente©» do João Santana; criada, estimulada e consumida. Uma espécie de Danoninho© ‘vale por um bifinho’. ATENÇÃO: eu disse Jo-ã-o SAN-TA-NA].

    Eis aí um momento progressista, no ano de 2016. Sem PeTê. Sem baranguice. Sem política kitsch.

    A volta de decoro ao Brasil.

    Feliz 2017 a todos.

\

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *