Política

Oposição na AL-CE critica licitação de R$ 38 milhões para obras do Acquario

Wagner critica edital para obras do Acquario (Foto: Divulgação / AL-CE)

Atualizada às 14h18min

A licitação da Secretaria da Infraestrutura do Ceará (Seinfra) que destina R$ 38,717 milhões para as obras do Acquario foi criticada por representantes da oposição ao Governo do Estado na Assembleia Legislativa (AL-CE). O processo licitatório é de 2015, mas a validade das propostas foi prorrogada.

Líder da oposição na Casa, o deputado Capitão Wagner (PR) lembrou que, em dezembro de 2016, o governador Camilo Santana (PT) disse que não investiria mais no Acquario, adiantando que a construção continuaria por meio da iniciativa privada.

“Eu não pretendo mais investir nenhum dinheiro público com a construção do Acquario, estou procurando uma parceria com a iniciativa privada. Não dá mais pra gastar dinheiro público nessa obra”, disse o petista em entrevista ao O POVO.

“Não só o Governo vai investir dinheiro público, quando disse que não iria mais investir, como vai fazer o trabalho caro e entregar o barato para a iniciativa privada. É muita incoerência e falta de planejamento do Governo do Estado”, rebateu Wagner.

Para Roberto Mesquita (PSD), Camilo teria mudado o seu posicionamento” após alguma discussão interna com seu grupo político, em que entenderam que o fantasma do Acquario poderia ser um inimigo nos palanques do ano que vem, e seria necessário agradar o setor turístico”.

Segundo o líder do PMDB na Casa, Leonardo Araújo, todo o gasto feito com a obra foi “irresponsável”. “O Acquario já foi pensado de forma absurda pelo ex-governador, Cid Gomes. Colocado embaixo do tapete por Camilo Santana e, agora, querem retomar para contar vantagem no próximo ano durante as eleições”, afirmou.

O outro lado

Líder de Camilo na Casa, o deputado Evandro Leitão (PDT) esclareceu que o Governo do Estado não realizou nova licitação para as obras do Acquário Ceará, mas prorrogou e revalidou outro certame datado de agosto de 2015. De acordo com o parlamentar, não há recurso novo sendo destinado para o empreendimento.

“Não existe recurso novo, não existe custo adicional para essa obra; não há divergência com a declaração do governador de que não aplicaria mais recursos na obra”, afirmou.

Ele também explicou que a conclusão dos 25% da chamada superestrutura e a manutenção do que foi feito até agora vai garantir as condições para a concessão do equipamento. “A empresa que assumir vai concluir o empreendimento instalando o Acquário em si. Ou seja, os tanques, toda tecnologia, a vida marinha etc”.

O deputado da base Julinho (PDT) afirmou que ele vai permitir a conclusão da obra, evitando que o Estado perca o dinheiro que já foi investido até agora. “O Estado não pode deixar que os 75% construídos se percam. Este equipamento fará com que o turista prolongue em um dia a estada em Fortaleza, o que significa um incremento na cadeia produtiva do turismo”, disse.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *