Política

Osmar Baquit diz ser “perseguido” pelo PSD por defender fim do TCM

375 1
Osmar Baquit foi expulso do PSD nesta semana (Foto: Divulgação)

Osmar Baquit foi expulso do PSD na semana passada (Foto: Divulgação)

O deputado Osmar Baquit (sem partido) disse nesta sexta-feira, 30, ser alvo de “perseguição” por seu antigo partido, o PSD. Expulso da sigla na semana passada, Baquit classificou a decisão como “ilegal, imoral e inconsequente” e disse estar sendo perseguido por ter se manifestado pela extinção do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM).

“Eu não poderia ter sido expulso como fui, sem que houvesse o contraditório”, disse o deputado. “Se tivessem decidido com toda a tramitação legal, eu aceitaria. E nem iria recorrer, porque não quero ficar onde as pessoas não me querem. Só que não pode ser desta maneira, retirar um parlamentar de forma grosseira, infantil”, diz o deputado, que recorrerá na Justiça.

Baquit lembrou que Gony Arruda, outro deputado do PSD, assinou PEC que prevê a extinção do TCM e não sofreu qualquer processo de expulsão. “Virou uma questão pessoal. É porque eu sou relator da PEC”, diz. Líder maior do PSD no Ceará, o deputado federal Domingos Neto é filho do presidente do TCM, Domingos Filho.

Outro lado

Domingos Neto, no entanto, rejeita acusações de Baquit. Ele nega qualquer questão pessoal no processo e destaca que o deputado estadual foi convocado para participar de reunião sobre o tema em maio, mas não compareceu. O líder do PSD destaca que o partido havia fechado questão contra a PEC do fim do TCM.

“Eu tinha feito essa representação dos atos dele. Não tem questão pessoal, teve a deliberação do fechamento de questão. Ele foi convidado e não compareceu, teve toda a oportunidade para mostrar suas posições nas reuniões executivas, mas não quis. Ele subiu na tribuna para falar mal do partido e dizer que ia sair”, disse Domingos.

Recomendado para você

1 comentário

\

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *