Política

Guimarães defende judicialização da eleição na Câmara e afirma que votação representa “hegemonia conservadora” no parlamento

O deputado federal José Guimarães (PT) afirma que o Partido dos Trabalhadores realizou nesta terça-feira, 2, uma denúncia ao Supremo Tribunal Federal (STF) após a primeira decisão do novo presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), de retirar adversários do comando da Câmara, rebaixando o cargo do PT. “Isso foi uma violência antidemocrática e que compromete, evidentemente, a relação harmoniosa entre poder Legislativo e democrático”, disse o petista.

Segundo o parlamentar, na tarde desta terça-feira, 2, o PT  já “recompôs suas forças” e já formou acordo para ocupar quatro cargos na Mesa, duas titularidades e duas suplências. A votação para os cargos remanescentes da Mesa está marcada para às 18h.

Sob o argumento de que o PT perdeu por seis minutos o prazo para registrar no sistema eletrônico sua adesão ao bloco de Baleia Rossi (MDB-SP), o novo presidente rebaixou o partido do terceiro posto mais importante da Mesa, a primeira-secretaria, para o último, a quarta-secretaria. Após a decisão, Lira busca agora um acordo com parlamentares de partidos aliados ao emedebista. A ideia é evitar a judicialização da eleição da Mesa Diretora da Casa. 

Sobre a eleição para a presidente da Casa, Guimarães destacou a importância da aliança de partidos que integraram o bloco de Baleia. “Para nós da esquerda, essa aliança que fizemos foi fundamental. Se com aliança nós não ganhamos, imagina se o PT tivesse isolado. Isso reflete uma hegemonia conservadora e de direita que tem maioria no parlamento brasileiro”, avalia. 

 

Recomendado para você

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *