Sincronicidade

Um compêndio de mariologia

Digitalizar0001Conscientes das orientações do Concílio, os cristãos assumem o estudo da mariologia com solicitude, seriedade, método, perseverança e ternura, esclarecendo e aprofundando seu conhecimento, sua reflexão e sua cultura. De maneira didática, o estudo, que se baseia nas Sagradas escrituras e considera o contexto atual, abrange a tradição e vida da Igreja, a história da mariologia, a compreensão dos dogmas marianos, a reflexão teológica e cultural, o diálogo ecumênico e inter-religioso, o culto e piedade do povo, a aproximação com as ciências humanas e a missão dos cristãos na Igreja e na sociedade.

Pe. Eugênio Bisinoto

[Bisinoto, Eugênio Antônio. Para conhecer e amar Nossa Senhora: formação Mariana. 2ª. ed. – Aparecida, SP: Editora Santuário, 2005, p. 27]. 

Nossa Senhora é, seguramente, uma das figuras mais reverenciadas na religiosidade brasileira. Um bom argumento a favor do que aqui se afirma é a informação fornecida pelo Pe. Eugênio Bisinoto no livro de sua autoria “Para conhecer e amar Nossa Senhora”. No capítulo VIII, intitulado “Maria na vida e na tradição da Igreja”, o autor informa: “O povo brasileiro é muito devoto de Nossa Senhora. Entre as 189 catedrais do Brasil, 104 são dedicadas a Maria. Das 8.069 paróquias do território brasileiro, 3.216 são dedicadas a ela, com os mais diversos e curiosos títulos. Temos 189 cidades brasileiras com o nome da Mãe de Deus” (p. 173).

Para quem quer se iniciar no estudo da mariologia, o livro do Pe. Eugênio Bisinoto é uma excelente sugestão. Ao longo de suas 280 páginas o autor aborda os diversos aspectos da mariologia, sempre fundamentado em documentos da Igreja, santos e autores que trataram do assunto, o que faz da obra um ótimo compêndio de mariologia. O livro é dividido em 18 capítulos, abordando os seguintes temas: I. Estudo mariano; II. Dogmas marianos; III. Maternidade de Maria; IV. Virgindade de Maria; V. Figura bela e virtuosa de Maria; VI. Refúgio de Maria; VII. Maria como rainha; VIII. Maria na vida e na tradição da Igreja; IX. A Virgem Maria nas considerações dos santos; X. O culto da Virgem Maria; XI. As imagens mariana; XII. Orações à Virgem Maria; XIII. A oração do rosário; XIV. Ladainha de Nossa Senhora; XV. A oração do Anjo do Senhor; XVI. Alegrias e dores de Nossa Senhora; XVII. Títulos marianos; XVIII. Devoção a Nossa Senhora.

Além das informações disseminadas nos respectivos capítulos, o livro traz, ainda, uma alentada bibliografia incluindo 261 títulos que tratam direta ou indiretamente de Nossa Senhora. Para quem deseja iniciar sua biblioteca de mariologia, essa bibliografia constitui uma fonte valiosa.  

No subtítulo “Os Bispos latino-americanos e a Mãe da Igreja”, escreve Pe. Eugênio: “Nossa Senhora é modelo da Igreja, pois sua vida foi entrega total a Deus. Acreditou com uma fé que é, ao mesmo tempo, dom e fidelidade. O canto do “Magnificat” mostra sua alma vazia de si mesma e cheia de confiança no Pai do Céu. A virgindade de Maria revela sua doação, reunindo duas realidades importantes: ela é toda de Cristo e servidora dos homens. Em sua imaculada concepção e em sua assunção, é a realização perfeita do projeto de Deus sobre a humanidade. Nela Deus dignifica a mulher”, concluindo, a seguir: “A Igreja, em Nossa Senhora, já atingiu a perfeição” (p. 172).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *