Ancoradouro

Maceneiro vira a noite em trabalho voluntário na tragédia do Edifício Andréa

Valdir Manoel é postulante da Comunidade Shalom. Aproximou-se de mim por volta de uma hora da manhã, na grade que separa a área de resgate da imprensa e curiosos.

Valdir virou a noite em serviço.

Puxou assunto sobre a cruz que eu portava à mão.  Ele que a tinha feito na macenaria que trabalha em uma casa de Promoção Humana do Shalom.

O rapaz contou que sua coordenadora de ministério havia feito o convite para os membros servirem no local da tragédia, nesta quarta-feira, dia 17, mas seu coração estava inquieto.

“Não aguentei.  Vim hoje mesmo”, conta o marceneiro que virou a noite em trabalho voluntário, mesmo depois de um dia todo no emprego.  “Daqui volto direto para o meu trabalho, amanhã “, fala.

Vi Valdir recolhendo lixo, oferecendo água, rezando.  Ele e mais duas centenas de voluntários fazem acreditar que a esperança se fortalece, mesmo em situações de tragédia.

Recomendado para você