Ancoradouro

“Santa Marielle das favelas”, aclama “Igreja Povo de Deus em Movimento”

Igreja Povo de Deus em Movimento – IPDM aclamou em suas redes sociais a vereadora Marielle Franco, assassinada em 14 de março 2018, como santa. A página endossou a publicação do jornalista editor do site Brasil 247 e fundador do canal Paz e Bem, Mauro Lopes, intitulado “Santa Marielle das Favelas – negra, gay, assassinada pelas milícias.

Marielle Franco foi assassinada em 2018.

“O objetivo de inventar uma ‘santidade’ pautada por pretensos ‘milagres de cura’ é o de manter a auto estima das pessoas comuns, especialmente dos pobres, rebaixada. ‘Nunca chegarei lá’. É criar submissão e sensação de impotência. Mas santos e santas não são milagreiros -no mais das vezes falsos milagreiros. Santos e santas são todos aqueles, homens e mulheres, que dedicam sua vida ao amor”, lê-se no texto que alçou a vereadora aos altares.

Para o IPDM, “temos uma nova santa no Brasil. Seu nome é Marielle Franco. Negra, gay, foi católica na juventude, tornou-se essa maravilha da convergência espiritual que o povo brasileiro realiza entre a religiosidade que chegou da África com o grande caldeirão histórico-espiritual-cultural do Brasil”. No passo seguinte, Marielle é comparada a irmã Dulce . “[Mariella é] Santa porque dedicou sua vida a seu povo. Santa das favelas do Rio, assim como irmã Dulce acaba de ser declarada Santa Dulce dos Pobres”.

Igreja Povo de Deus em Movimento como uma aglomeração de leigos, padres e religiosos por uma igreja libertadora. A associação  retoma na zona leste de São Paulo a tradição iniciada nos anos de 1980 com a Teologia da Libertação e as Comunidades Eclesiais de Base (CEBs). O núcleo principal da IPDM tem atuação na Paróquia Nossa Senhora do Carmo, da Diocese de São Miguel Paulista  (SP).

Recomendado para você