Discografia

XI Feira da Música estreia amanhã no Dragão do Mar

Mais de quarenta atrações musicais aportam a partir de hoje em Fortaleza. Elas vêm de 14 estados brasileiros para se juntar com os músicos locais. Mais uma vem de Moçambique e outra da Argentina, e está completo o time de atrações da Mostra de Música Independente, um dos braços mais fortes da Feira da Música. Chegando à sua 11ª edição, a Feira traz à cidade um pedaço dos muitos sons produzidos hoje no Brasil, muitos deles à margem do que toca nas FMs e grandes redes de TV, além de discussões sobre os muitos lados do mercado da música.

O encontro entre músicos, produtores, público e curiosos começa hoje, no Centro Dragão do Mar e seu entorno, e segue até o sábado. Entre as principais atrações selecionadas para este ano, está o catarinense Oswaldo Schlikmann Filho, o Wado. Dos nomes mais requisitados da nova cena, o cantor, músico e compositor apresenta por aqui um pedaço dos seus 11 anos de carreira. Da sua nova safra, ele mostra as composições de Samba 808, trabalho disponibilizado somente para download gratuito em seu site oficial, que conta com as participações de Chico César, Marcelo Camelo e Mallu Magalhães.

De São Paulo, a banda Volver apresenta seu terceiro e mais novo disco, Próxima estação, também disponibilizado gratuitamente em formato digital (aqui). Natural de Pernambuco, o quinteto formado por Bruno Souto (voz e guitarra), Kleber Croccia (guitarra), Thiago Nistal (bateria), Augusto Passos (baixo) e Missionário José (teclados) é adepto de um rock assobiável, de arranjos simples e guitarras bem marcadas. Mas, por falar em guitarra, o cearense Artur Menezes (foto) também vai aproveitar o palco para adiantar as novidades no seu novo trabalho, ainda inédito. #2 vem dois anos de Early to marry e traz as mesmas fusões de blues com jazz, funk, soul e outros estilos. Acompanhado de Lucas Ribeiro (baixo), Wladimir Catunda (bateria), e Cláudio Mendes (teclado e guitarra), Artur mostra no Dragão a experiência que vem acumulando em palcos nobres do rock e do blues. Entre eles, o Rio das Ostras Jazz e Blues Festival (RJ) e a abertura das apresentações do mestre Buddy Guy no Brasil, em São Paulo e Rio de Janeiro.

As atrações musicais vão estar divididas em quatro palcos: Diversidade, Instrumental, Rock e Roots. Este último, uma novidade da programação da Feira, é dedicado exclusivamente às bandas de reggae. Aberto somente na sexta-feira, o som jamaicano vai tocar no Reggae Club, próximo ao Dragão do Mar. Além dos cearenses Alma Negra e Andread Jó, forma selecionados para este espaço as bandas Juca Culatra (PA) e Vibrações (AL).

Além da Mostra de Música Independente, a programação da Feira da Música abre espaço para muitas discussões sobre a produção e negócios. O Encontro Internacional da Música, por exemplo, traz convidados para a realização de painéis e workshops, enquanto as Rodas de Negócios aproximam músicos, donos de casas de show, produtores e gestores culturais para exporem propostas e realizarem novos negócios. Enquanto isso, o Sesc Senac realiza oficinas de formação em diversas áreas, como ritmos africanos, criação de clipes, história da música popular cearense e guitarra baiana.

Expectativa

Assim como aconteceu no ano passado, uma sombra de dúvida ainda paira sobre a Feira da Música. Em 2011, às vésperas do início do evento, um problema no repasse da verba que vem do Governo Federal quase impossibilitou sua realização. “A gente só não diz que não vai acontecer (o mesmo) por que ainda não passou. Fica sempre o risco”, comenta Ivan Ferraro, presidente da Prodisc e coordenador da Feira. Enquanto no ano passado o problema foi uma inadimplência da Secult, esse ano a preocupação fica por conta do ano de eleições. A verba que vem da Funarte chega na conta da Secretaria de Cultura de Fortaleza, que repassa o valor para a realização da Feira. No entanto, como alguns itens da feira chocam com as limitações de um ano de eleição (caso de uma verba para publicidade), o Tribunal de Contas do Município entende que aquela verba não pode ser liberada.

“Mas o problema não está na Secultfor, está na burocracia. A Feira nem tem nem marca da prefeitura, por que é ano eleitoral. Mas, depois de tudo feito, o Tribunal diz que não pode. São coisas que a gente percebe que é desinformação”, continua Ivan. Ainda segundo ele, o dinheiro já chegou na conta da prefeitura, mas ainda não pode ser  liberado. “No ano passado, o dinheiro nem chegou. Agora, a gente tem que fazer milagre em uma semana. Felizmente, a Funarte está do nosso lado”. Ainda assim, apesar da preocupação, Ivan garante que a programação está mantida.

Programação de shows:
> Dia 22/08, a partir das 22h (Estoril)
Vitoriano
Daniel Peixoto

> Dia 23/08 (quinta-feira)
Palco Instrumental Nordeste (Espaço Rogaciano Leite)
Luciano Franco (CE)
Sex On The Beach (PB)
Coutto Orchestra de Cabeça (SE)
Rivotrill (PE)

Palco Rock (anfiteatro)
Mestre Laurentino e Os Cascudos (PA)
Vendo 147 (BA)
Artur Menezes (CE)
Suzana Flag (PA)
Jonnata Doll e os Garotos Solventes (CE)

Palco Diversidade (Praça Verde)
Likute (Moçambique)
Comparsas da Vivênda (CE)
Alaídenegão (AM)
Flavio Renegado (MG)

> Dia 24/08 (sexta-feira)
Palco Instrumental Nordeste (Espaço Rogaciano Leite)
Ayrton Pessoa (CE)
Dibigode (MG)
Fiero (ARG)
Fóssil (CE/SP)

Palco Rock (anfiteatro)
Garibaldo e o Resto do Mundo (MA)
Verônica Decide Morrer (CE)
Ram (MG)
Uh La La! (PR)
Leptospirose (SP)

Palco Diversidade (Praça Verde)
Wado (AL)
Os Ultraleves (CE)
Alex Sant’Anna (SE)
Mestre Vieira e Os Dinâmicos (PA)

Palco Roots (Reggae Club)
Vibrações (AL)
Alma Negra (CE)
Andread Jó (CE)
Juca Culatra (PA)

> Dia 25/08 (sábado)
Palco Instrumental Nordeste (Espaço Rogaciano Leite)
Carlos Hardy (CE)
Anjo Gabriel (PE)
Ferraro Trio (SE)
Camarones Orquestra Guitarrística (RN)

Palco Rock (anfiteatro)
Gloom (GO)
Volver (SP)
Felipe Cazaux (CE)
Nevilton (PR)
Obskure (CE)

Palco Diversidade (Praça Verde)
Pena La Mafia (CE)
Bandinha di dá dó (RS)
Ferrugem (PE)
RadioMundi (BA)
Cabruêra (PB)