Discografia

Triago Varzé faz “pop perfeito” em Tempo de ser

496 1

cdf2a2f7-bf1a-4201-b247-9280c847e6b5É impossível ouvir o novo disco do cantor e compositor Thiago Varzé e não lembrar daqueles nomes que ditam as regras e o repertório das rádios e barzinhos com música ao vivo. Djavan, Jorge Vercilo, Isabella Taviani e outros. Tempo de ser (Lado A Music) traz todas as características, para mal e para bem, do pop radiofônico que sempre encontra espaço entre o público brasileiro. Como pontos positivos, é inegável que o paulistano sabe usar bem sua voz, de timbre elegante, que a banda é afiada e afinada, e que as composições são bem acabadas, redondas e se encaixam bem na proposta adocicada do disco. Por outro lado, essa aparente “perfeição” também transparece uma sensação de déjà vu ao longo das 11 faixas do disco. Produzido por Marcelo Mariano, Tempo de ser conta com músicos experientes como Paulo Calazans (teclados), James Mü (percussão) e Thiago Big Rabello (bateria) para emoldurar canções quase 100% autorais. A exceções ficam para Tribo, rock destoante de Zé Modesto (o humorista?), e três parcerias – Bem viver, com Dani Gurgel, e Amanhecer e Cobra criada, ambas com David Silva. Esta última, inclusive, merece destaque em Tempo de ser. Embora a tônica das letras seja o amor, verdade seja dita, que o assunto não é trabalhado de forma rala. Thiago busca formas criativas, simples e poéticas para lidar com o assunto mais comentado, de hoje e de sempre, no meio musical. Para fugir do mais do mesmo, ele ainda tenta ser contundente em Voz do Brasil, mas acaba ficando no óbvio. A canção, que conta com a participação de Pedro Mariano, roça a política com frases já bem batidas. “A barra ta pesando pra todo cidadão” e “o salário não dá pra comprar pão”, por exemplo. No entanto, se o protesto não sai bem feito, o esmero é destaque neste trabalho de Thiago Varzé. Tudo se encaixa com perfeição e sem risco. Vale ouvir.