Discografia

Música em Cores: A Máquina Voadora

Até onde se sabe, Ronnie Von nunca usou drogas. É um careta assumido. Ainda assim, ele foi capaz de criar uma das obras mais psicodélicas da história da música brasileira. A Máquina Voadora, de 1970, encerra uma trilogia influenciada diretamente pelos sons que faziam a cabeça daquela juventude planetária ligada em LSD, Woodstock, Beatles e guitarras elétricas.

Garoto bem nascido que passou pela Escola Preparatória de Cadetes do Ar, Ronaldo Nogueira começou a ser reconhecido como cantor na era da jovem guarda. Mas, é bem verdade que ele nunca se encaixou perfeitamente naquela turma de cabeludos. Embora chamasse a atenção pelo rosto de beleza impactante, ele sempre quis mostrar que mais do que se esperava dele. Ligado a sons mais vanguardistas, ele acabou sendo uma bandeira solitária entre o iê iê iê e a Tropicália.

A Máquina Voadora é uma prova inquestionável disso. A faixa-título abre com um riff poderoso de guitarra que se embola com o peso do órgão e dos sopros, até levantar voo no arranjo orquestrado de Damiano Cozzela. A mesmo peso se repete em Verão nos Chama, uma ode ao hedonismo mais alienado (“Vem, esquece o regime/ Cerveja existe/ Seu corpo é sublime”). E o que dizer de celebrar o chopp escuro no calor? Mas esse clima de desbunde alucinado também abre espaço para melodias delicadas como as de Baby de Tal, Enseada e Tema de Alessandra (feita para a filha recém nascida).

Mesmo que seja mais palatável e direto que seus dois antecessores, A Máquina Voadora é arrojado, roqueiro e corajoso como poucos álbuns poderiam ser. E Ronnie tinha muito a perder quando embarcou nessa viagem malucona. Após fazer sucesso com A Praça e outras canções inocentes, sua ousadia vendas baixíssimas e três discos incompreendidos que só seriam respeitados muitas décadas depois, quando foram redescobertos pela geração download. Ronnie Von já nem seguia mais com a carreira de cantor quando viu uma legião de jovens enaltecendo seu esforço psicodélico. Sem falsa modéstia, ele recebeu os elogios (tardios?) e deixou o tempo fazer sua justiça.

Veja as faixas de A Máquina Voadora (1970):
1. Máquina voadora (San Martin/ Ronnie Von)
2. Baby de Tal (Arnaldo Saccomani)
3. Verão nos chama (San Martin/ Ronnie Von)
4. Seu olhar no meu (San Martin/ Ronnie Von)
5. Imagem (San Martin/ Ronnie Von)
6. Continentes e civilizações (Tom Gomes/ Jeanpierre)
7. Viva o chopp escuro (San Martin/ Ronnie Von)
8. Enseada (Renato Teixeira)
9. Tema de Alessandra (San Martin/ Ronnie Von)
10. Águas de sempre (San Martin/ Ronnie Von)
11. Cidade (Eustáquio Senna/ Paulinho Tapajós)
12. Você de azul (II tema de Alessandra) (San Martin/ Ronnie Von)

>> A Máquina Voadora (San Martin/ Ronnie Von) por Carlus Campos

Confira o Música em Cores sobre A misteriosa luta do reino do Parassempre contra o império de Nuncamais, outro trabalho psicodélico de Ronnie Von, aqui