Educação

Estácio passa a oferecer em tablets todo o conteúdo pedagógico e ferramentas de ensino para o aluno

A Estácio, um dos maiores grupos de ensino superior da América Latina, inova mais uma vez ao oferecer em tablets todo o conteúdo pedagógico e ferramentas de ensino para seus alunos. Em agosto, 5 mil estudantes de Direito, no Rio de Janeiro, começam a receber o equipamento.

Além do material didático – capítulos integrais das melhores obras por disciplina –, fruto de uma parceria entre a Estácio e a ABDR (Associação Brasileira dos Direitos Reprográficos), o tablet também vai trazer outros conteúdos, como biblioteca virtual, com mais de 1.600 obras, projeto pedagógico do curso e planos de aulas.

“Os benefícios para os alunos são inúmeros. O tablet passa a concentrar todo o sistema de ensino inovador que a Estácio desenvolveu nos últimos anos. Nele, o aluno pode revisar o conteúdo aplicado, fazer anotações pessoais, exercícios e trabalhos acadêmicos, participar de disciplinas on line, testar seus conhecimentos no banco de questões, realizar simulados, provas de concursos, enades anteriores, enfim, é um mundo que se abre para ele”, destaca a diretora-executiva de Ensino e Reitora da Estácio, Paula Caleffi.

A expectativa da Estácio é que nos próximos 5 anos todos os seus alunos, presentes em 17 estados e 36 cidades, tenham o tablet. A migração do material em papel, que já era fornecido gratuitamente, para o meio digital vai gerar uma economia anual de 6 milhões de páginas por ano e algo em torno de 240 milhões de páginas em cinco anos.  Além dos estudantes, professores também receberão seu tablet.

Para o diretor-executivo de Marketing, Pedro Graça, outra grande vantagem da introdução do tablet no sistema de ensino da Estácio é proporcionar inclusão digital, já que os alunos e professores receberão treinamento para aprender a usar o equipamento. E essa familiaridade com a tecnologia será um ativo muito importante no mercado de trabalho, para garantir um bom nível de empregabilidade aos alunos.

O modelo do tablet ainda não foi escolhido, segundo Pedro, mas será um andróide, com boa capacidade de processamento, que roda arquivos em flash e vídeo, já que o conteúdo da Estácio é multimídia. “O modelo que está sendo criado prevê acesso gratuito por meio da rede Wi-Fi. 

Por ser uma novidade não apenas para a universidade, mas também para os alunos, pensamos em tudo, desde pacotes de voz e dados com preços muito em conta até manutenção e assistência técnica com o equipamento”, conta Pedro Graça.

Fonte: Vivian Gai  / Consultora de Atendimento / Gerência Corporativa