Blog do Jocélio Leal

Zoneamento: Arialdo critica radicalismo

O secretário do Turismo do Ceará, Arialdo Pinho. (Fortaleza: Gustavo Simão – Especial para O POVO)

Fortaleza – Gestor público, mas oriundo do setor privado, o secretário do Turismo do Ceará, Arialdo Pinho, é uma voz crítica sobre os órgãos ambientais do Governo estadual. Em um grupo de WhatsApp, ele foi duro: “Pela última reunião que realizei saí impressionado com a visão radical do ecológico”. Veja a seguir as opiniões de Arialdo:

Zoneamento do Litoral do Ceará assusta investidores 

Zoneamento: Beto não vê motivo para preocupação 

RADICALISMO
A equipe que está constituída pela licitação da SEMA deve ter 90% dos participantes de ambientalistas e biólogos, o projeto é determinar Econômico Ecológico Costeiro ou Ecológico Econômico Costeiro , tanto faz, o setor econômico não se faz representar. Não que seja contra a ecologia, pelo contrário, sou adepto ao crescimento sustentável. Mas existe a faixa que o interesse turístico e econômico venha a ter uma interseção com o ecológico, trazendo crescimento econômico como em todas as grandes metrópoles mundiais, até pelo futuro da economia do Ceará.

LONGE DO MAR

Determine áreas de preservação das dunas permanentes, cada área com 70 kms, uma leste uma oeste do Estado. Agora um técnico responsável do ZEEC afirmar que hotéis devem ser construídos após as dunas, e não de frente ao mar , e de que não poderemos construir marinas é enterrar o futuro do setor turístico imobiliário Econômico do Ceará, por conta de radicalidade irracional do Ecológico.

NENHUM INVESTIDOR
Fora o Beach Park, hoje não temos nenhum grande investidor do Ceará no setor. Os grandes investidores do turismo e imobiliário são estrangeiros, quase ou sem nenhuma representatividade na sociedade cearense, tornando isso sem força política local.

PROJETOS TRAVADOS
Os poucos resorts construídos ou em construção ( via Justiça ) e especialmente aqueles que pretendem construir como o do Paracuru, um investimento de 250 milhões de Euros, são de estrangeiros, que faz quatro anos que se luta para tirar uma licença. Jericoacoara, ilha do Guajuru etc são todos investimentos de estrangeiros.

CASE DUBAI

Imagine se este pensamento retrógrado tivesse predominado em lugares como por exemplo Dubai, cujo grande atrativo turístico se deu com base na engenharia marítima de construção das famosas ilhas em formato de palmeiras? Exemplos não faltam. Inclusive de modelo de hotéis sustentáveis, com impacto ambiental reduzido ao mínimo, como Azulik em Tulum no México.

BAIXO IMPACTO
O setor turístico é de baixo impacto ambiental desde que sejam estabelecidas regras, como a dos resíduos sólidos, água , saneamento e o uso.

LEIS FEDERAIS
O grande erro no país começa que tudo tem de vir da lei federal, que não analisa a situação de cada ente federativo, cada povo de seu estado deveria fazer as regras de uso das suas terras, a desculpa do setor ecológico é que hoje nada podemos fazer por causa das leis federais. Está errado, cada povo tem de se unir e achar o que é melhor para seu futuro, unir inteligentemente o meio ambiente e econômico , turismo é o setor que ainda hoje, em uma era digital, continua a empregar, de cada cinco empregos um está relacionado ao turismo no mundo.

REPRESENTATIVIDADE

Na minha visão o setor do turismo e o imobiliário deveriam ter maior representatividade econômica no Ceará. O setor imobiliário e econômico são irmãos e ligados diretamente ao desenvolvimento do turismo. Para que crie força política é necessário que aconteça uma mudança de visão sobre o tema de uso da Costa do Ceará. Quando menciono falta de força política econômica do setor, é só fazer uma análise dos casos das fábricas e eólicas que são realizadas junto ao mar.

DESDE A ERA CID
A minha preocupação com ZEEC vem desde quando estava Secretario Chefe da Casa Civil do Governo Cid Gomes, acho que se não estabelecermos uma luta e uma vigília constante vamos ter surpresa ruim para setor turístico e imobiliário com ZEEC.

LÍDERES
Com essa análise e preocupado com futuro do setor, solicitei há poucos dias o auxílio dos líderes empresariais Beto Sturdart e Luciano Cavalcante, que de pronto entenderam a dificuldade e iniciamos os trabalhos. Com a nossa união espero iniciarmos uma nova fase para economia do Ceará, com compreensão e apoio do Governador Camilo Santana , e deixando claro para a população cearense a cilada que estão montando para economia do Ceará.

Recomendado para você