Política

Justiça determina devolução imediata de material de Capitão Wagner

198 4
Foram apreendidas diversas caixas de material do candidato (Foto: Whats App)

Diversas caixas de material do candidato haviam sido apreendidas (Foto: Whats App)

A Justiça Eleitoral determinou agora há pouco a devolução imediata de todo o material de campanha de Capitão Wagner (PR) apreendido na última terça-feira, 23. Ação da Justiça Eleitoral havia feito apreensão de diversas caixas de material da campanha de Wagner, incluindo grande volume de adesivos do candidato.

A apreensão ocorreu pois o espaço do candidato a vice na chapa, Gaudêncio Lucena (PMDB), teria desrespeitado proporção mínima de 30% com relação ao nome de Wagner prevista na lei eleitoral.

Nesta quarta-feira, no entanto, decisão da desembargadora Kamile Moreira de Castro concedeu liminar suspendendo as buscas e exigindo a devolução imediata do material. O mérito da ação, no entanto, ainda será objeto de julgamento.

A apreensão ocorreu menos de 24 horas antes da inauguração do comitê de Wagner e pode dificultar o pontapé inicial do “quartel general” do candidato. “O fato caracteriza clara perseguição política, desespero dos adversários na possibilidade de derrota nesta eleição”, se manifestou, em nota, a assessoria de Capitão Wagner.

Proporção mínima

O espaço mínimo para divulgação do vice é inovação da minirreforma eleitoral de 2015. Além da apreensão do material, candidatos que desrespeitarem a norma poderão estar sujeitos a multas entre R$ 5 mil a R$ 25 mil, ou equivalente ao custo da propaganda.

Localizado na avenida Barão de Studart, o prédio iniciará atividades em evento marcado para as 19h desta quarta-feira, 24. A mesma estrutura serviu de base para campanha de Eunício Oliveira (PMDB), aliado de Wagner, ao governo do Estado em 2014.

Recomendado para você